hyperfan  
 

Liga da Justiça # 48

Por Robson Costa

Batalha pelo Cubo Cósmico — Parte VIII
Adivinhe Quem Vem para Jantar?

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Terra de ontem

Donna Troy recupera os seus sentidos e sente um peso no seu pescoço. Ela ergue o braço e vê as algemas e as correntes. Procura pelo laço mágico, mas não o encontra. Já sabia que ele deveria ter sido retirado pelas amazonas. Nem tenta arrebentar as correntes, pois sabe que nem mesmo o Super-Homem conseguiria. De repente,a cabeça começa a doer. Isto só pode ser um sinal: a Lança do Destino está por perto e, com ela, Arnim Zola.

O vilão nazista surge. Por entre as grades da cela, Zola admira a jovem amazona.

— Não sei dizer como, mas você e o seu amiguinho atlante são bem resistentes ao efeito da Lança. Gostaria de saber o porquê.

Donna sorri disfarçadamente. Provavelmente, por terem sido resgatados por Eléktron para o Limbo, isto esteja os protegendo. Ou o próprio Eléktron tenha fornecido a proteção. Quem sabe?

— O que deseja, Zola? — pergunta Donna — Você não veio aqui para comentar sobre o tempo...

— Você tem razão. Tenho que admitir que a sua presença e a de Tempest me surpreenderam, pois pelo acordo que fiz com o Pensador Louco e Turo, a Liga da Justiça não nos atrapalharia. Isso significa duas coisas: ou uma falha no plano do Pensador ou um deles está me traindo e, de certa forma, os protegeu durante a divisão da Terra e do cubo cósmico. Mas isso pouco importa agora. Amanha de manhã, vocês não serão mais problema meu.

— O que você quer dizer com isso?

— Ora, minha querida enteada, você e o seu amigo Tempest serão executados, acusados de alta traição.

Donna avança em direção às grades da sua prisão, mas as correntes a detêm no meio do caminho.

— Você está deturpando o modo de justiça amazona.

— Aqui não há justiça amazona. Apenas a justiça de Zola. E espero que até amanhã, o seu outro colega ou colegas apareceram, para lhe fazer companhia na execução. Hahahaha!

Zola parte gargalhando. Donna investe novamente, mas é detida pelas correntes mais uma vez. Uma guarda lhe toca com a lança que carrega para que se afaste das grades. A dor de cabeça passa, fica apenas um leve mal-estar. Donna percorre com os olhos a prisão onde está e localiza Garth acorrentado e desmaiado em outra cela.

— Irmã, — fala Donna Troy — em nome de Hera, dê um pouco de água ao meu amigo.

— Cale a boca, traidora. — responde a guarda — O nosso rei já nos passou instruções de como tratar o seu amigo. Não precisamos dos seus conselhos.

"Ótimo!" — pensa Donna — "Zola está mantendo Garth vivo para a execução. Assim ele não fica desidratado, estando tanto tempo longe da água. Mas onde será que Wally está?"

Enquanto isso, longe dali, Wally West atende o enfraquecido Erik Lehnsherr, o mutante que se tornará o temido Magneto. Vendo-o naquele estado, Flash chega a esquecer todos os atos condenáveis que Magneto fez pela sua luta pela superioridade mutante. Wally olha para a direção de Jay Garrick, o Joel Ciclone, que está calado, desde a descoberta daquela caverna e o do seu ocupante, o cientista nazista Josef Mengele. O médico está amarrado a uma das pilastras que sustenta o teto da caverna.

— Eu não entendo! — fala Joel Ciclone — Zola tinha nos dito que Mengele havia morrido quando Auschwitz foi tomado...

— Parece, Jay, que o seu querido "herói de guerra" não lhe contou toda a verdade. Não é verdade, nazista? — pergunta Flash.

O médico alemão levanta a cabeça e fita o jovem velocista com um olhar frio e sem sentimentos. Logo depois, ele gargalha sem parar.

— Vocês, super-heróis amerricanas, são mesmo muito tolas! Hahahahaha! Acreditar em Arnim Zola?! Hahahahaha!

— Cale a boca, seu carniceiro! — grita Joel Ciclone.

— Calma, Joel! Desta forma não conseguiremos obter resposta nenhuma.

— Você não entende, meu jovem. Zola não enganou apenas os Invasores ou a Sociedade da Justiça, mas o mundo inteiro! Meu Deus, Hipólita! Ela casou com este monstro!

— Muito bem, Mengele. Pode começar a falar.

Mengele para de rir. O tom de firmeza na voz de Wally West demonstrou que a paciência do jovem estava se esgotando.

— Muito bem! Zola aparreceu no campo, antes que os soviéticas chegassem. Ele surrgiu do nada e trazia na mão dele um estrranho objeto brilhante, como se feito de crristal.

"O Cubo Cósmico!" — pensa Wally.

— Antes que eu pudesse falarr qualquerr coisa, ele segurrou minha mão e disse que prrecisava de mim. E aí nós sumimos. Quando dei porr mim, estávamos em um outrro país, no Carribe, em um quarrto de hotel. Ele me falou para que ficasse escondida e que depois entrrarria em contato comigo. Alguns dias depois, ele reaparreceu e contou seu plano. Continuei escondida até o casamento de Zola com Hipólita. No outro dia, ele me trrouxe para este caverna e me passou o meu missão: estudarr os serres chamados mutantes. E desde então é o que estou fazendo.

— Estou vendo! Apenas Erik está vivo! Todos os outros mutantes estão mortos.

— São serres frracos! Até as judeus suporrtavam mais. Mas não imporrta. Zola diz estar decepcionada com meu trrabalho. E irria trrazer outrra para continuarr.

— Quem é o outro?

— Não sei o nome do outrra. Só sei que se diz um especialista em genética mutante. Há! Não há quem se comparre comigo: Josef Mengele.

De repente, um tiro é disparado. O cientista nazista engole em seco e tomba a cabeça em seu peito. Uma mancha de sangue surge no seu jaleco. Wally West se afasta surpreso do corpo do nazista e olha na direção de onde veio o tiro. Ali em pé, está um homem alto, de pele extremamente branca. Na mão, o revólver ainda fumegante.

— Foi Zola que fez uma piada de mau gosto em deixar este açougueiro com diploma de médico fazer isto. Fez retroceder em séculos os estudos da genética mutante. — fala o estranho.

— Quem é você? — pergunta o Flash.

— Meu nome é Nathaniel Essex.

— Muito bem, sr. Essex. Já que Mengele está morto, será o senhor que irá me esclarecer algumas coisinhas.

Porém, antes que pudesse fazer qualquer coisa, Wally recebe um soco potente que o joga contra um armário. Vai ao chão, mas não consegue se levantar, pois o seu atacante lhe desfere mais socos com uma velocidade impressionante.

— Jay.. pare... por fav... — e Wally desmaia.

— Já chega, Joel Ciclone. — fala Essex, aproximando-se do velocista — Zola gostará de tratar deste invasor pessoalmente.

Terra do amanhã

O Homem-Dragão dispara mais uma das suas rajadas de fogo. Kyle Rayner ergue um campo de força em torno de si e dos seus colegas justiceiros. Quando o fogo abaixa, Kyle parte na direção do andróide. No mesmo instante, ele cria uma enorme rolha verde que tampa a boca do Homem-Dragão. Ele fica desesperado tentando retirá-la e não consegue. Kyle desvia dele, até pousar nas suas costas. Ele cria arreios que envolvem o pescoço e a boca do andróide. O Homem-Dragão começa a corcovear, como um cavalo xucro, tentando se livrar. Kyle mantém-se firme, domando a fera.

— Ihá! — ele grita, enquanto sacode um chapéu verde em uma das mãos.

Super-Homem e J'onn J'onzz vão na direção do Ronin Vermelho. O robô dispara uma série de mísseis, que são destruídos pelos socos dos dois heróis ou pelas rajadas das visões especiais deles. Ronin ergue o seu escudo, que o protege dos socos desferidos pelos justiceiros.

"J'onn! Ronin possui uma sala de controle! Nós temos que tomar o controle de lá!" — comunica Super-Homem, telepaticamente.

O Caçador de Marte torna-se intangível e passa pelo escudo, penetrando no corpo do robô gigante. Dentro do robô, J'onzz procura pela sala de controle. A procura é curta. O marciano encontra a sala de controle e percebe que há alguém sentado em uma poltrona. J'onn torna-se tangível e vira a poltrona para encarar o controlador.

— O seu jogo acabou, Turo! Mas...

— O jogo acabou para você, marciano — responde o controlador, empunhando um enorme martelo de aço, que dispara uma rajada de energia. O Caçador de Marte, ainda surpreso com a descoberta, recebe toda a rajada e desmaia.

Aço aproxima do corpo caído do seu ex-colega de equipe e o examina. Após verificar que ele está vivo, John Henry Irons aperta um botão. Em um dos alto-falantes, escuta a voz modificada de F. U. Turo.

— Pode falar, Aço.

— Marciano foi derrotado. Aguardando ordens.

— Traga o Caçador de Marte para mim. O Ronin Vermelho e o Homem-Dragão podem cuidar dos outros dois.

— Sim, Mestre.

Aço pressiona outro botão e uma porta para o exterior abre-se. Ele pega o corpo do marciano e parte voando.

Super-Homem continua a socar o escudo impenetrável do Ronin Vermelho. De repente, ele escuta um som diferente. Usando da sua visão de raios-x, ele vê Aço partindo levando o Caçador de Marte.

— Kyle, pegaram J'onn J'onzz — avisa o Super-Homem.

O Lanterna Verde puxa os arreios e leva o Homem-Dragão na direção do Ronin Vermelho. A criatura continua brigando contra aquele controle, mas faz o que Kyle deseja. Entretido em livrar-se da rolha e dos arreios, o Homem-Dragão não percebe e se choca com o Ronin Vermelho. Na mesma hora, Kyle desfaz os seus construtos e voa na direção contrária. O Ronin Vermelho, em resposta ao choque, dispara os seus mísseis contra o Homem-Dragão, que enraivecido, dispara suas rajadas de fogo. Os dois andróides passam a brigar entre si e esquecem dos seus oponentes anteriores.

— O que foi que aconteceu, Super?

— J'onn ficou intangível e invadiu o Ronin Vermelho. Há uma sala de controle dentro do robô e é dali que ele é controlado. Pelo jeito, J'onn caiu em uma armadilha. Vi o controlador partir, levando-o.

— E você o reconheceu o controlador?

— Infelizmente, sim. Era John Henry Irons, o Aço. Mas não há tempo para lamentações. Com certeza, ele nos levará até Turo.

Kyle dispara o seu anel, que localiza rastros dos jatos de Aço. Os dois heróis partem velozmente no encalço do seu colega. Os rastros os levam até um enorme edifício que Super-Homem logo o reconhece.

— Laboratórios STAR! Cuidado agora, Kyle. Desde que viemos para esta Terra modificada, aconteceram emboscadas atrás de emboscadas. Essa deve ser mais uma.

— Sim, mas o Caçador de Marte está aqui e, com certeza, o cubo cósmico também. Eu proponho não termos muita delicadeza.

— Concordo.

Os dois heróis destroem a parede envidraçada do prédio e o invadem. Super-Homem usa da sua visão de raios-x.

— Encontrei-os. Estão a duas salas naquela direção.

Eles partem voando, destruindo as paredes e divisórias no caminho até chegar na sala onde está Aço e o Caçador de Marte.

— Turo! Devolva o cubo cósmico — ordena Super-Homem para um vulto que ele percebeu no momento que invadiu a sala.

Aço vira na direção de Kal-El, que cai, se retorcendo de dor.

— Super-Homem! — diz Kyle, surpreso, pois o kryptoniano só reagiria assim se estivesse na presença de kryptonita.

Kyle vê então que o peito do Aço está aberto e uma pedra verde brilha.

— Metallo! — reconhece Kyle, que ergue a sua mão com anel na direção do ciborgue. Porém, uma parede verde se ergue entre o Lanterna e Metallo, protegendo da rajada que saiu do anel de Kyle.

Amazo sorri ao ver a surpresa do Lanterna Verde. Ele então dispara uma rajada contra Kyle que só tem tempo de erguer um campo de força. Mesmo assim, ele é jogado contra uma parede e a atravessa.

Turo se levanta da poltrona de onde observava tudo.

— Destrua o Lanterna, Amazo. — ordena o vilão — E desta vez não quero falhas.

O andróide sai voando atrás de Kyle. Turo caminha em direção do Super-Homem. Primeiro passa pelo corpo ainda inerte do Caçador de Marte. Ele verifica se o marciano continua desfalecido. Após confirmar, aproxima-se de Kal-El.

— Sabe, a minha fixação sempre foi o futuro. Foi por ele que criei os andróides, como o Tornado Vermelho. Desta forma, quando criei esta Terra, logo percebi que as pessoas não mereceriam viver no meu mundo. Elas não reconheciam a dádiva que tinha criado e lhes dado. Apenas os andróides perceberam. Assim, decidi livrar-me das pessoas, dos seres orgânicos. Quem quisesse continuar no mundo, era assimilado. Do contrário, morto. Muitos aceitaram. Muitos não. Porém, percebi que faltava mais uma coisa. Assim, resolvi me livrar da última criatura orgânica que ainda restava em meu mundo.

Super-Homem ergue com dificuldade a cabeça, tomado pelas dores causadas pelo envenenamento radioativo da kryptonita. Turo estava em uma parte não muito iluminada. Agora mais perto, Clark Kent se surpreende ao se deparar com um rosto metálico.

— Isto mesmo, Super-Homem. A última criatura orgânica de que me livrei foi eu mesmo.


Próxima edição: Na Terra do Pensador Louco, Arqueiro Verde e Homem-Borracha correm contra o tempo para por em prática o plano de Batman contra o vilão.




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.