hyperfan  
 

Wolverine # 02

Por Rafael Borges

Linhagem de Sangue — Parte II
A Filha do Dragão

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Wolverine
::
Outros Títulos

Tóquio, Japão

— Detenham a menina! — ordena o policial aos passageiros do metrô.

Infelizmente, nenhum deles tem destreza suficiente para impedir que a pequena japonesa salte ligeiramente sobre as catracas da estação sem a menor preocupação em pagar por sua passagem.

Sem hesitar, ela se lança para dentro do primeiro vagão que encontra pela frente. Quando as portas do veículo se fecham automaticamente, ainda há tempo para que a garota mostre a língua para a dupla de policiais que a perseguiam. O metrô parte ligeiro com destino à liberdade.

Um pouco ofegante, ela procura um assento no fundo e confere na bolsa o fruto de sua pequena incursão ao bairro nobre da capital nipônica. Os diamantes refletem a iluminação oscilante do metrô de maneira magnífica.

Yukio ficará satisfeita. Amiko conseguiu safar-se de mais um roubo.

Tóquio, anos atrás

Sob os arranha-céus, a criatura bate suas gigantescas asas. Na verdade, a intenção do enorme dragão fêmea que ataca a cidade é apenas construir um ninho para si. Mas, quando edifícios começam a ser destruídos, o exército japonês é obrigado a intervir.

Sorte deles que os X-Men estão na cidade.

Com os esforços concentrados dos mutantes, somada a intervenção de Solaris, é possível minimizar os danos à metrópole. Infelizmente, muitos dos destroços dos edifícios chegaram ao chão fazendo algumas vítimas.

Minha mãe é uma delas. Para me proteger, ela absorve todo o impacto causado pela queda de tijolos e vigas sobre nós. Quando Wolverine se aproxima para nos tirar do meio da destruição, ela solta um gemido de dor.

— Estou morrendo... — ela diz com a voz já fraca — Minha filha, Amiko... Quem cuidará dela?

Por um segundo, o gaijin fixa seu olhar em mim. Quase posso sentir o peso de seus olhos por de trás da máscara.

— Cuidarei dela como se fosse minha filha! Dou minha palavra! — responde em japonês quase sem sotaque.

Ao som dessas palavras, minha mãe parte.

A ameaça do dragão é debelada logo em seguida, mas os acontecimentos daquele dia mudariam minha vida para sempre.

Inicialmente, Lady Mariko Yashida foi a responsável por minha guarda. Depois de sua morte, passei algum tempo sofrendo na mão de tutores escolhidos pelo governo. Mas foi quando Logan pediu a Yukio que cuidasse de mim que minha educação para a vida realmente teve início.

O apartamento de Yukio, hoje

— Você comprou essa porcaria com o dinheiro dos diamantes? — Questiona Yukio. Ela se refere ao enorme aparelho de televisão de tela plana no meio da sala de estar sem qualquer outro móvel.

Amiko olha para sua tutora com uma mescla de desprezo e vergonha. Ela não consegue entender qual é o mal de usar o dinheiro dos roubos para melhorar o ambiente. Durante os anos em que ela viveu ali, o único conforto a que Yukio se permitia era um tatame para as refeições.

— Essa maldita fome consumista está acabando com você! — a mulher continua a passar seu sermão. — Quando você vai aprender que aquele que nada tem não necessita de nada? Dessa forma, você nunca será uma ronin como eu!

— Você não é uma verdadeira samurai! — interrompe Amiko — É apenas uma ladra!

A resposta vem na forma de um tapa.

O silencio toma conta do ambiente enquanto uma lágrima corre insolente pelo rosto dolorido de Amiko. A garota corre para seu quarto, que é ligeiramente menos minimalista do que o resto do apartamento, e bate a porta com força.

Deitada sobre a cama e forçando o rosto contra o travesseiro para abafar seu pranto, Amiko não percebe o homem vestido como um ninja que abre a janela do cômodo pelo lado de fora. Um feito considerável se considerarmos os 15 andares que o separam do chão.

Com uma máscara esculpida na forma de uma cabeça demoníaca, o invasor avança silencioso pelo quarto e só se deixa notar quando toca delicadamente o ombro da garota.

— Yukio! — Apavorada, ela grita por socorro.

Sem saber exatamente o que está acontecendo, a ladra corre para o quarto de sua afilhada. Quando a porta se abre, ela se depara com o ninja segurando Amiko pelo braço e, na outra mão, segurando uma katana de forma ameaçadora.

— Deixe a menina! — ordena Yukio — Se veio em missão de vingança para o Tentáculo ou a Yakuza, é a mim que eles querem!

A impassível máscara vermelha não esboça resposta alguma. Seu semblante ostenta uma risada diabólica, mesmo quando o guerreiro é pego de surpresa por uma fina lâmina de metal que toca seu pescoço.

— Tu escutou a mulher, xará! — sussurra Wolverine, que entrou sorrateiro no apartamento pelo mesmo caminho usado pelo ninja minutos atrás e o pegou pelas costas. — Ogun, quando você matou a Tigre para me ferir, sabia que faria questão de repetir a dose com minha filha adotiva. Foi só espreitar o lugar por alguns dias pra ter a prova de que eu estava certo.

Lentamente, o guerreiro mascarado abaixa sua espada e a deixa cair no chão, em aparente gesto de rendição. Entretanto, assim que Logan e Yukio sentem-se confortavelmente no controle da situação, ele libera de dentro da manga de seu kimono um familiar objeto arredondado.

— Granada! — berra a ladra.

Com rapidez impressionante, Ogun salta pela mesma janela por onde entrou agarrado a Amiko. Eles despencam pelo lado de fora do prédio, deixando a Wolverine apenas a chance de se jogar sobre o corpo de Yukio para absorver o impacto da explosão.

A força da granada joga os dois de volta para a vazia sala de estar e inicia um pequeno incêndio no quarto. O mutante canadense levou a maior parte do tranco e apresenta queimaduras de terceiro grau em grande parte das costas.

— Depois, você apaga o fogo! — aconselha Wolverine, contorcendo-se no chão devido a dor causada pelos ferimentos. — Primeiro, veja se eles ainda estão na calçada lá em baixo!

A ladra o obedece rapidamente. Infelizmente, o ninja desapareceu, levando Amiko consigo.

— Quem era aquele homem? — indaga Yukio, visivelmente alterada pelo rapto de sua afilhada — O que ele quer com Amiko?

— Aquele é Ogun, meu antigo sensei. — responde Logan enquanto seu fator de cura começa lentamente a reconstituir a pele queimada pela explosão. — Ele voltou da morte para fazer com a minha filha a mesma coisa que tentou fazer com Kitty Pryde anos atrás. Ela vai se tornar sua nova discípula.


:: Notas do Autor

O ataque do Dragão fêmea a Tóquio foi mostrado na edição 181 de Uncanny X-Men, produzida por Chris Claremont e John Romita Jr. em 1984. A história, que se passa logo após os mutantes retornarem da megassaga Guerras Secretas, foi publicada no Brasil na revista X-Men número 7, de Maio de 1989.




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.