hyperfan  
 

Birds of Prey # 06

Por Igor Appolinário

A Filha Pródiga
Parte I — Nada Dito (*)

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Birds of Prey
::
Outros Títulos

Torre do Relógio — Gotham City

Dinah Lance corre pelas escadas da Torre do Relógio o mais rápido que consegue; os degraus parecem intermináveis. Ela abre a porta do apartamento de Bárbara Gordon e encontra a moça esperando impacientemente. Babs olha para Dinah e bate com o indicador no relógio.

Elas descem até a garagem e no SUV de Babs vão até o Centro Gotham, o maior e mais badalado centro de eventos da cidade. Lá está o motivo de toda a pressa de Dinah: a Feira Internacional de Floricultura. Cada ano sediada em um local diferente, desta vez conta com uma de suas maiores instalações.

Em algum lugar nos EUA

Uma jovem de feições asiáticas caminha vacilante por uma estrada semideserta. O calor escaldante tira as forças de seu corpo e ela mal consegue enxergar. Alguns metros adiante, a salvação. Não é um paraíso de fontes frescas e frutas maduras, mas pelo menos é algo que satisfaz quem não vê uma sombra há muitas horas: uma parada de caminhões. A jovem se senta sob a sombra mais fresca que encontra e cochila em um sono rápido e profundo.

Um caminhão se aproxima da parada. O motorista não vê a hora de encontrar um banheiro decente onde possa fazer suas necessidades em paz. Ele pára o caminhão na vaga mais próxima, quase estacionando sobre a moça deitada nas sombras, e sai correndo em direção aos banheiros do lado de dentro do pequeno restaurante integrante da parada.

A jovem asiática se assusta com a chegada do caminhão; sua cabeça a apenas alguns centímetros da roda mais próxima. Ela olha em todas as direções, não vê ninguém por perto e começa a rodear o grande veículo. Chega às portas traseiras e experimenta a tranca, que inesperadamente se abre, revelando uma grande carga de flores dentro do caminhão. A jovem fica admirada com a beleza das plantas, entra no baú e se deita entre elas, sentindo o seu aroma refrescante. Em pouco tempo, adormece.

O motorista volta aliviado ao seu caminhão e dá a partida. Ele sai da parada e se dirige novamente à estrada, seguindo em direção a seu destino final. Ela passa por uma grande placa de informação com os dizeres:

Nova York — 190 km
Metrópolis — 100 km
Gotham City — 50 km


Uma menina asiática está sentada em um grande tatame no centro de uma sala de feitio japonês, envolta em uma sutil penumbra. A delicadeza de seu rosto e a pequenez de sua pessoa nos faz imaginar sua idade em torno de seis anos. Ela desenha pacificamente em algumas folhas de papel, rabiscos coloridos e criaturas próprias da imaginação infantil.

Zummmmpt!

Uma grande adaga prateada cai zunindo em direção à garotinha; sua ponta acerta o desenho no papel, separando a cabeça de um cavalo azul de seu corpo desproporcional. A menina rola para o lado, segundos antes de uma segunda adaga cair exatamente onde estava sentada. Ela se levanta no momento em que duas adagas voam em sua direção e, com as mãos nuas, as desvia de sua trajetória, fazendo-as atingir a parede ao fundo.

A garota pega a adaga que cortou o desenho e a lança em direção às sombras, de onde os ataques vieram. Um impacto surdo acontece e o silêncio preenche a sala. A respiração ofegante da menina é o único som que corta o desconcertante silêncio, mas, de repente, passos suaves ecoam pela sala e das sombras em um canto sai um homem vestido de negro. Em seu ombro direito, uma adaga cravada até o cabo. Seu sangue pingando no tatame traça um caminho reto em direção a garota asiática. Ele arranca a adaga do ombro e, com uma reverência, a entrega para a menina...


Feira Internacional de Floricultura — Centro Gotham — Gotham City

Diversos odores e múltiplas cores preenchem todo o galpão da feira. Dezenas de pessoas, na grande maioria apenas curiosas, andam pelos corredores formados pelos estandes. Entre elas, muitos especialistas analisam a qualidade e a beleza dos espécimes expostos. Dinah e Babs passam pelos estandes da feira, rindo e admirando a diversidade de flores. A primeira carrega uma sacola com várias sementes, enquanto Bárbara leva em seu colo um belo vaso de orquídeas brancas manchadas de laranja.

Nos fundos do galpão onde a feira ocorre, um grande caminhão estaciona. O motorista desce e se dirige à parte traseira do veículo. Ele coloca a mão na trava e a percebe aberta. Subindo no baú, ele vê algo escondido nas sombras do caminhão, logo atrás das plantas. Cautelosamente, caminha entre as flores e se aproxima da jovem que dorme tranqüilamente. O motorista observa o rosto da garota, um belo contraste entre sua pele levemente amarelada e seus cabelos negros. Ele toca o ombro da desconhecida, que imediatamente abre os olhos. Ela agarra o pulso do motorista e torce, fazendo-o gritar desesperadamente. A menina lhe dá um soco, fazendo o homem desmaiar em meio às flores. Ela sai do caminhão e olha ao redor, encontrando uma das portas de acesso do galpão entreaberta.

A menina agora tem oito anos. No meio da sala do tatame, ela está sentada em posição de lótus, se concentrando e respirando calmamente. Sentado exatamente a sua frente está o homem vestido de preto, também em posição de lótus. Estão ambos de olhos fechados, meditando; o silêncio preenche a sala com uma sensação pesada e relaxante.

O homem abre os olhos e vê a face da menininha em sua frente. Seu próprio rosto não mostra nenhuma ternura, apenas uma inexplicável determinação. Ele desfere um soco em direção ao rosto da garota, mas que antes de atingir o alvo é aparado por ela, que ainda mantém os olhos fechados. O homem continua com uma grande seqüência de golpes, todos devidamente evitados pela garotinha...


Centro Gotham

A jovem asiática corre pelos corredores formados pelos estandes da feira, em meio a flores e vasos. Os seguranças perseguem-na em uma corrida alucinada, na qual diversos vasos são destruídos. A garota empurra as pessoas em seu caminho tentando ficar o mais longe possível dos homens que a perseguem. Ela passa por Babs e Dinah, dando uma trombada na loira, que derruba sua sacola cheia de sementes, esparramando-as pelo chão e fazendo os seguranças escorregarem.

Dinah corre por trás dos estandes seguindo um trajeto quase paralelo ao da garota em fuga. Tomando um caminho mais curto, ela consegue ficar na frente da moça e se esconde atrás de uma pilastra. A jovem corre alucinada, aliviada pelo sumiço dos seguranças, e se distrai, não vendo o braço esticado de Dinah saindo detrás de uma coluna e atingindo-a no estômago. Ela fica caída no chão, enquanto Bárbara e os seguranças se aproximam. Dinah levanta a garota e a imobiliza, pronta para entregá-la aos seguranças, mas Babs vê uma estranha marca avermelhada no braço dela e gesticula para que amiga não a entregue aos guardas.

Nos fundos do Centro Gotham, o motorista atacado pela jovem asiática sai cambaleando de dentro de seu caminhão. Ele vai até a boléia, mas antes que consiga subir, um homem todo vestido de preto surge em sua frente e o agarra pelo pescoço, levantando-o do chão. O motorista está tão aterrorizado que começa a pingar, mas não de suor. O homem não consegue nenhuma informação útil do motorista e observa o local, vendo a porta entreaberta que leva ao galpão. Ele joga o motorista, já desacordado, contra a roda do caminhão e entra pela porta.

Torre do Relógio

Dinah joga uma bolsa de gelo para a garota, que está deitada no sofá da sala de Bárbara. Ela coloca a bolsa sobre seu estômago. Seu outro braço está esticado ao lado, apoiado sobre a mesa de centro, enquanto Babs tenta esboçar o desenho que ela tem tatuado, desenho este muito apagado, como se tivesse sido feito a muito tempo. Uma tempestade começa a cair sobre Gotham, Dinah corre para fechar a janela mas acaba deixando uma delas apenas encostada com o fecho aberto.

Na tempestade lá fora, um vulto misterioso caminha, aparentemente sem se preocupar com a chuva, em direção a Torre do Relógio. Sorrateiramente, ele se aproxima do prédio evitando todos os sistemas de segurança instalados por Oráculo.

Dentro da Torre, Babs mostra o esboço para a jovem, que olha intrigada para desenho. Ela tira o papel e o lápis da mão de Bárbara e começa a desenhar por cima do esboço, como que preenchendo as falhas do desenho. Dinah e Bárbara ficam esperando ansiosas o resultado. A garota pára de desenhar, olha o que fez e mostra a Babs, que fica extremamente chocada com a imagem: a cabeça estilizada de uma raposa, a Marca de Cain. Um estrondoso raio cai do lado de fora e todas olham para a janela, que se abre, deixando a furiosa chuva entrar na sala, e com ela também entra David Cain!


Na próxima edição: Quem é a misteriosa adolescente que apareceu na vida de Oráculo e Canário Negro? Qual a relação dela com o assassino profissional David Cain? E o que a menininha asiática tem a ver com tudo isso?


:: Notas do Autor

(*) Tanto o subtítulo, quanto o método de escrita deste texto foi inspirado nas histórias "Nuff Said" da editora norte-americana Marvel. Nestas histórias, os personagens interagem sem a existência de diálogos, trazendo apenas os quadrinhos com a ação. voltar ao texto





 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.