hyperfan  
 

Lobo # 26

Por Lucio Luiz

As "Lendas de Czárnia" apresentam os fatos nunca antes contados sobre a infância e adolescência do maior putardo das galáxias em seu planeta natal, a outrora adorável e aprazível Czárnia.

Lendas de Czárnia: Excursão Escolar

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Lobo
:: Outros Títulos
"Meu passeio no zoológico", por Larden Zoorb.

Semana passada, todo mundo da minha turma da terceira série do Colégio Modelo de Czárnia foi visitar o maior zoológico do planeta. Eu sempre gostei do zoológico, principalmente depois que começaram a mostrar bichos de outras galáxias.

O único problema do passeio é que nosso colega Lobo estaria presente. Mesmo assim, a tia E. Tribb mandou que todo mundo fosse. Ninguém desobedece a tia E. Tribb.

Então, fomos todos no ônibus da escola até o zoológico. A gente queria cantar musiquinhas da Xoosha, a mais legal apresentadora de programa infantil de Czárnia, mas Lobo estava com uma revista de mulher pelada antiga que trazia fotos da Xoosha pelada e ficou cantando umas músicas com palavras estranhas enquanto fazia um troço estranho que ninguém entendeu.

Quando a gente chegou no zoológico de Czárnia, fomos rapidinho ver os macacos. Eles são os bichos mais engraçados de todos. Tem um até que é bem antigo no zoológico e fica jogando caquinha nos visitantes. Todo mundo acha engraçado.

O problema é que o macaco velho acabou jogando caquinha no Lobo, que ficou chateado e gritou que também ia jogar aquilo no macaco. Na verdade, ele usou uma palavra muito feia, mas eu não posso escrever aqui.

Ele abaixou as calças e fez caquinha na frente da jaula. Eu fiquei assustado com a quantidade que ele fez. Parecia que ia ficar seco por dentro. Sem usar luvas, ele pegou a caquinha e jogou em cima do macaco.

Quando o bicho estava terminando de se limpar, Lobo fez mais um pouco e começou a enfiar pela garganta do macaco. Tadinho, morreu.

Meus bichos preferidos são os passarinhos. Deve ser legal pra caramba ficar voando por aí. Lobo também deve achar isso, já que arrancou a grade da gaiola dos passarinhos e arrancou as penas de todos.

Ninguém entendeu o que estava acontecendo, até que ele disse que ia voar que nem os pássaros. Ele colou as penas nos seus braços e se preparou para pular do alto de uma árvore.

Mas ele pensou melhor e pegou um de nossos colegas, o Loopus Raféll, e jogou ele do alto da árvore para testar. Só que ele esqueceu de colar as penas primeiro e o Loopus acabou ficando todo quebrado.

Por sorte, ele desistiu de jogar os colegas lá de cima e pulou ele mesmo. Ele balançou os braços com toda a velocidade, mas não deu para voar e acabou caindo em cima da tia E. Tribb, que deu a maior bronca nele.

Depois de acordar do desmaio, no dia seguinte à confusão, claro.

Enquanto a tia estava desmaiada, Lobo assumiu o controle da turma e continuou o passeio pelo zoológico. Todo mundo desistiu de reclamar depois que o Dudds chamou ele de chato. Lobo não gostou e brincou de grampeador com ele.

Na verdade, ele arrancou a cabeça de uma morsa que tinha no zoológico e furou o Dudds com os dentões como se fosse um grampeador. Eu não achei muita graça, mas Lobo ficou rindo.

Acho que depois disso ele teve novas idéias e a cada bicho que passava ele escolhia um da turma para brincar. Fatiou um para dar de comer a uma cobra gigante e usou três como banquinho para ensinar o elefante a sentar.

Eu estava morrendo de medo, mas acabei não sendo usado em nenhuma brincadeira. É que quando chegou a minha vez de sofrer, a gente acabou ficando na frente da gaiola dos golfinhos espaciais.

São uns bicinhos muito engraçados, que ficam como se estivesse nadando no ar. Não sei o que aconteceu com Lobo, que ficou olhando atento para eles. Acho que foi a primeira vez que eu vi Lobo olhando pra alguma coisa como se estivesse gostando.

Depois de admirar os golfinhos, Lobo virou pra mim e me mandou abrir a jaula. Eu já estava achando que teria que fazer alguma coisa dolorosa, mas só precisei abrir essa e todas as jaulas do zoológico.

Como não tinha mais ninguém por lá, já que todo mundo fugiu com medo quando Lobo começou a usar os colegas nas brincadeiras com os bichos e brigava com todo mundo que reclamasse, foi bem fácil.

Eu fiquei com medo na hora de abrir as jaulas dos bichos mais perigosos, como as bestas de Khúndia ou os protopterossauros de Eloperdido. Mas fui corajoso e fiz tudo que Lobo mandou. Na verdade, eu estava com mais medo dele do que dos bichos.

Depois que todos os bichos estavam soltos, Lobo subiu nas costas de um golfinho espacial e comandou todos eles para fora do zoológico. Engraçado como ele consegue dar ordens para os bichos e ser obedecido.

Não sei o que aconteceu depois. Só sei que a polícia demorou sete dias para prender todos os bichos de novo, menos os golfinhos espaciais. Eles voltaram para o espaço e Lobo se despediu prometendo que ia procurar por eles quando fosse mais velho.

Eu fiquei escondido atrás de uma moita e esperei tudo ficar calmo para acordar a tia E. Tribb. Agora estou escrevendo essa redação porque a tia brigou comigo porque eu ajudei Lobo na confusão e acabei sobrevivendo.

Prometo que da próxima vez vou agir que nem um menino bom e vou me jogar no rio das piranhas antes de fazer outra maldade. Nas costas dessa folha estão as 500 frases "Eu não devo obedecer o Lobo mesmo que isso custe a minha vida".


Na próxima edição: Pela primeira vez no mundo, um... fanficordel???




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.