hyperfan  
 

Mulher-Hulk # 09

Por Josa Jr.

Matrixyzptlk

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
::
Próxima Edição
::
Voltar a Mulher-Hulk
::
Outros Títulos

— E então, Kal-Neo? Você vai querer a pílula vermelha ou a azul?

— Desculpe, Mulher-Hulk, mas eu não assisti isso. Qual deveria escolher segundo o roteiro?

— Ah, sei lá, pô.

O Homem de Aço se levanta da cadeira e tenta pensar em algum plano. Hoje ele se arrepende de não ter visto o maldito filme quando a Supermoça recomendou. O lugar, uma velha casa sombria e tenebrosa, não é nem um pouco familiar. Nem o papel que está cumprindo desta vez. Ele não pôde elaborar um jeito de fugir, como das outras vezes.

Por causa disso, a Mulher-Hulk conseguiu achá-lo antes que Mxyzptlk pudesse dar um fim no Super-Homem, como fez nas outras vezes. Agora, a garota verde e o Homem de Aço tentam superar mais essa farsa do duende da quinta dimensão. Desta vez, de uma vez por todas.

— Quem são seus aliados, senhorita Walters?

— Esta é a doutora Reyes, Wyatt Wingfoot, a Fantasma Loira, meu pai Morris e Vulcana. O Homem-Molecular não está no momento, mas também irá colaborar com nosso plano.

— Homem-Molecular, o vilão? E qual é o plano?

— Vamos ficar sentados esperando alguma coisa acontecer.

— O quê? Vai saber o que o Mxyzptlk fez ao mundo inteiro!

— Olha, Super. Só posso dizer que estamos confiando no Homem-Molecular. Nesta versão, ele pegou o papel do Cypher, assim como eu sou Morpheus e você é o Neo.

— E em que isto nos ajudaria?

— Hã... veja o filme um dia. É legal. De qualquer forma, Owen é nossa maior esperança.

Enquanto isto, no topo de um prédio, uma aliança é formada. Dois homens de baixa estatura, mas com o grande poder de alterar a realidade conversam.

— Quer dizer que você trairia os seus amigos?

— Sim, senhor Mxyzptlk. Acredito que tenho muito mais a ganhar aprendendo a manipular a realidade com você. Além disso, com meus poderes, o seu controle sobre os "superbobos" seria maior.

— E o que quer em troca?

— Apenas sair deste mundo que você criou.

— Eu não criei um mundo, eu criei uma máquina simuladora de realidades. Eu a chamo de Matrixyzptlk!

— *Argh* Não sabia que era fã de filmes da nossa dimensão.

— De vez em quando, observo a dimensão de vocês! O que importa é que agora vamos nos divertir. Hahaha... ainda bem que resolvi prestar atenção nessa Mulher-Hulk (*) e sua obsessão com um tal de "Josa". Vi que ela era tão divertida quanto o Super-Homem e seria ótimo brincar com ela também.

Owen apenas sorri ao ouvir o comentário do duende. Uma tentativa de ser educado e disfarçar seu desgosto por não entender nada do que Mxyzptlk disse. Aparentemente, o pequeno "cientista" não percebeu as reais intenções do Homem-Molecular. Os pensamentos de Owen se confirmam quando Mxy sorri e, ao abrir uma brecha na realidade com as mãos, o convida para passar pelo portal.

— Venha comigo, meu amigo. Conheça o centro da Matrixyzptlk: a Torre de Vigilância da LJA!

— Oh, meu Deus!

De volta à mansão antiga e sombria de Morpheus, todos aguardam algum sinal de vida do Homem-Molecular. Para o Homem de Aço, sempre angustiado pela vontade de ajudar o próximo, a espera é insuportável.

— Jennifer, como você consegue ficar calma assim?

— Não estou calma, bonitão. Só não adianta nada nos preocuparmos com um mundo que talvez nem exista. Esqueceu que Mxyzptlk destruiu as outras duas realidades?

— Duas?

— O que foi? Não se lembra?

— Na verdade, estou surpreso de você ter "acordado" em apenas duas realidades. Provavelmente não se lembra das imitações de Blade Runner, Friends, Akira, SOS Malibu e I Love Lucy que ele criou.

— Putz... Que heroína lerda eu sou. Hmmm... EI! Em alguma a gente namorava?

O Homem de Aço finalmente sorri.

— Sinto muito, Jennifer.

— Pena... mas pelo menos a Mulher-Maravilha não viria atrás de mim. (**)

— Hein? Está delirando? Há muito tempo não tenho nada com ela!

— Eu sei, brincadeira! Mas quer dizer que o charmoso, simpático e poderoso Homem de Aço está livre?

— Isto está ficando mais íntimo do que deveria, senhorita Walters.

— Foi mal, Su...

— Jennifer?

— Hã... Oi, Wyatt.

— Acho que o Homem-Molecular conseguiu.

— Conseguiu? Como sabe?

— Dê uma olhada na janela, Super-Homem.

Antes que o Homem de Aço possa se levantar, a janela some. Toda a mansão começa a despencar ou desaparecer. Por alguns instantes, tudo se torna negro. Súbito, uma claridade passa a cegar nossos personagens.

Em alguns segundos, Super-Homem começa a perceber onde está e tudo se torna familiar. Ele já esteve nesta máquina antes, neste mesmo local (***). Provavelmente Mxy ficou ciente daquela ocasião e reconstruiu o aparelho. Ou talvez tenha criado algo novo. Ele sempre foi talentoso para estas coisas.

Mais rápido que uma bala, o kryptoniano se liberta da máquina de ilusões e começa a livrar seus aliados. As câmaras de contenção que prendiam e controlavam a Mulher-Hulk e seus amigos são todas destruídas. Jennifer nota que uma delas está vazia.

— Veja! Owen seguiu meu plano e nos salvou. Mas onde ele está?

— Temos que achá-lo, Mulher-Hulk.

— Não se preocupe, Vulcana. Vou tentar encontrá-lo com meus raios-X.

Ao permitir que sua visão atravesse as paredes da Torre de Vigilância, Super-Homem tem uma desagradável surpresa. No espaço, acontece uma batalha entre o Homem-Molecular e uma versão gigante de Babe, o Porquinho Atrapalhado.

— Eles estão no espaço, srta. Rosenberg.

— Sou senhora Reece agora, Super-Homem.

— Meus parabéns! Mas agora tenho que parar essa briga antes que... Essa não!

— O que foi, Super?

— Marsha, Owen foi derrotado.

O suíno gigante desaparece junto com seu oponente. Em alguns segundos, Mxyzptlk se materializa na frente dos nossos heróis, carregando o corpo desmaiado do Homem-Molecular.

— Eu vou te matar, seu duende maldito!

— Calma, Marsha. Não é assim que funciona. Mxyzptlk só quer fazer suas brincadeiras ridículas. Ele não mataria Owen Reece.

— Isso mesmo, Supertolo. Ele está vivinho! Podem ficar com ele. Bom, superbabacas, é o de sempre: para eu voltar para casa, vocês tem que me fazer dizer meu nome ao contrário. Enquanto isso não acontecer, eu me divirto!

Apontando o dedo para Vulcana, Mxyzptlk a transforma em uma lagartixa. Ao ver a moça correr desesperada, o duende apenas gargalha.

— Ei, Super. Quer dizer que temos que fazer ele falar Ktlpyxm?

— Isso mesmo, Mulher-Hulk. Ktlpyxm.

— Não! Não! Não! Seus superidiotas, não é ktlpyxm. Meu nome ao contrário é ktlpy... Ei! Acharam que eu ia cair nessa?

— Droga, e essa já tinha sido usada no desenho do Super e dado certo...

Enquanto Jennifer se lamenta, Mxyzptlk encara a doutora Reyes.

— Ah, não! Eu sou mutante! Já sofriii... narf!

— Hahahahaha... que grupo divertido! — o vilão continua a transformar cada pessoa presente no local. O seguinte é Morris Walters, depois Wyatt Wingfoot. Para finalizar, a Fantasma Loira. Mxyzptlk preferiu deixar aqueles que considera mais divertidos para o grande final. Neste meio tempo, os dois heróis pensam alguma solução para seus problemas.

— Ei, Super. Temos que agir logo. Onde está a LJA?

— Todos têm vidas particulares na equipe. Não sei onde estão. E acho que a presença deles aqui não ajudaria tanto.

— Mas eu tive uma idéia!

— Espero que seja boa.

— Se não vencermos desta forma, não vencemos de jeito nenhum. Tente entreter o seu amigo enquanto faço o que estou pensando.

— Tudo bem.

Enquanto o Super-Homem tenta manter alguma coisa parecida com diálogo com o duende, Mulher-Hulk põe seu plano em ação. Depois de acessar o monitor de comunicações da Liga, Jennifer agradece aos céus por conseguir contatar facilmente quem ela gostaria. A escuridão na tela dificilmente revelaria alguma coisa desta pessoa, e ele realmente prefere assim.

— Mulher-Hulk? O que está fazendo na Torre de Vigilância?

— Precisamos de sua ajuda. A Torre foi invadida, acho que você pode nos ajudar.

— Quem?

— Mxyzptllk.

— Maldição.

— Confio em você. Você sempre tem um plano... Batman. Ei, Batman? Batman?

[— Fala, fala, fala!]

— Eu ADORO quando ele faz isso. É um charme.

[— Não era bem isso que eu tinha em mente :P]

— Mulher-Hulk... preste atenção.

Para surpresa de Jennifer, as trevas começam a falar. Num canto escuro da Sala de Justiça se encontra o maior detetive da Terra, já teleportado de Gotham para a Torre de Vigilância, mas ainda mantendo seu famoso ar de mistério.

— Aiii!

— Silêncio, senhorita Walters.

— Putz... Você quase me mata de susto!

— Bom. De qualquer forma, volte ao combate. Estarei à espreita.

— Ok! E o plan... ah, esquece.

A Mulher-Hulk não sabe o que Batman preparou, mas, para ela, um pedido do Morcego é uma ordem. Poucos heróis conseguem impor tanto respeito. Apenas lendas como o Capitão América e o Super-Homem obtiveram resultados semelhantes ao que Batman teve há poucos instantes. Voltando ao campo de batalha, Jen vê o Homem de Aço transformado em um cão branco, liderando uma legião de animais. Todos tentando usar alguma habilidade contra Mxyzptlk, que apenas ri da degradante situação que criou.

— Ei, Mxy babaca. Você esqueceu que quem ri por último ri melhor?

— Hã? Hahahaha... como pude esquecer de você, minha dama verde? Verde como um sapo! Hahahahahahaha!

— Merd... ribble. Ribble. Coach.

— Chega, Mxyzptlk.

— Hã? Mais um? Quem está aí?

Algumas bombas armadas pelo próprio Batman explodem, criando uma nuvem de fumaça em boa parte da Torre de Vigilância. As luzes são apagadas e, como um demônio, o Homem-Morcego surge entre o vapor e as trevas. Mxyzptlk começa a se sentir desconfortável com tudo aquilo. Sua desagradável tensão logo piora quando a criatura das trevas se manifesta. Com a voz grave e seca, e o usual tom ameaçador, Batman apenas ordena.

— Fale.

— S-seu bat-bobo. Hehehe... A-acha que é assim?

— Fale!

— E-eu posso t-transforma-má-lo n-no que e-eu q-quiser, sabia? Hein? Hein?

— Se fizer isto, eu lhe caçarei até o fim da Quinta Dimensão. Seu espetáculo circense não tem lugar aqui. Se mexer com a LJA de novo, sofrerá retaliações de minha parte. Eu sou a escuridão e posso lhe alcançar onde eu quiser. Não sou como os outros. Destrua-me, e eu voltarei cada vez pior, mais poderoso que nunca. Agora fale ou prepare-se para a dor.

— Er... Não p-podemos c-conversar?

O Homem-Morcego simplesmente abre sua capa e ameaça um ataque. O duende se intimida com isso. O rosto de Batman denuncia um pequeno sorriso. Mxyzptlk começa a suar como nunca em sua vida.

— Fale!

— Ok! Ok! K-kltpzym! Kltpzym! Kltpz...

No momento em que o vilão desaparece, todo o caos criado por ele também se vai, e a realidade volta à forma que tinha antes. Nossos heróis comemoram a vitória e, num canto mais escuro e reservado, o Homem de Aço, Batman e a Mulher-Hulk conversam.

— Putz, Morcegão, eu sabia que você metia medo, mas até no Mxyzptlk?

— É uma das vantagens de trazer temor às pessoas. Obrigado, Batman.

— De nada, Super-Homem.

— Agora preciso partir. Quanto tempo ficamos presos aqui?

— Pelos meus cálculos, apenas 22 horas. Também preciso voltar a Gotham. Adeus.

— Ei, Bats, Super, esperem! Soube que vocês estavam recrutando membros... E eu estou desempregada, será que...?

— Er... o que acha, Batman? Eu sou o líder, mas acho interessante ouvir sua opinião.

— O teleportador é por aqui, senhorita Walters.

— Desculpe, Jennifer. (ufa)

— Tsc. Sabia que o Lopes não iria me querer no título dele...

:: Notas do Autor

* Ver parágrafo perdido na edição 06.
** Esta história se passa antes da saga "A Namorada do Super-Homem".
*** A LJA foi colocada numa máquina parecida com a "Matrixyzptlk" pelo vilão Chave em Os Melhores do Mundo 15.



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.