hyperfan  
 

A Sensacional Mulher-Hulk # 02

Por Josa Jr.

Little More Conversation, Little Less Action

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Voltar a Mulher-Hulk
:: Outros Títulos

Poderíamos dizer que o ambiente no quarto de Jennifer Walters, a sensacional Mulher-Hulk, é de tensão completa. Há alguns minutos, um terrível vilão invadiu o apartamento da heroína, estilhaçando completamente o vidro da janela de sua casa. Mesmo que a própria Jen e G'Nort — Lanterna Verde e cãozinho de estimação — tenham poder de sobra para derrotar o iníquo e desprezível invasor, o risco de Wyatt Wingfoot sofrer algum dano com a batalha seria grande. Sim, poderíamos dizer tudo isto.

Mas o vilão é o Mancha. E, afinal, esta é uma história da Mulher-Hulk... não há lugar para coisas realmente sérias.

— Eu não queria questionar seus métodos, Mancha, mas com seus poderes de teletransporte você poderia facilmente entrar aqui.

— Bem... está certa. — o vilão chega à conclusão que uma entrada dramática não compensa a quantidade de cacos de vidro cravados em sua pele — Mas eu sou um terrível vilão, numa missão para destuir a sua vida! E eu começarei pelo seu apartamento!

— Na verdade, este apartamento é da Janet, a Vespa dos Vingadores... — Wyatt corrige — Ela não vai ficar muito feliz quando souber... ei, vocês já notaram que o Rob Liefeld imitou o Mancha, quando criou aquele Zero?

— Wyatt, ninguém se lembra das histórias da X-Force... — Jen responde, ignorando o vilão — Você tirou essa do baú, hein?

— Silêncio! Enfrente-me se puder, Mulher-Hulk!

Movendo seus dedos, Mancha parece abrir um buraco negro na própria realidade, algo semelhante às ridículas manchas em seu uniforme branco. Jennifer tenta agarrá-lo antes que ele entre neste portal aberto, mas apenas consegue segurar a perna do vilão. Um outro buraco se abre acima da cabeça da gigante esmeralda. O inimigo aparece e tenta acertar um soco na heroína. Porém a velocidade de Jen é o suficiente para segurar o braço dele.

— Bem... vamos ver sua elasticidade! — com sua mão esquerda, Mulher-Hulk puxa a perna de seu adversário e com a outra mão, faz o mesmo com o braço. O grito de Mancha parece estar em todos os lugares do quarto — G'Nort, use seu anel para tirar esse idiota daqui! — o Lanterna obedece, e depois de acertar o vilão várias vezes em lugares errados, consegue puxar sua cabeça.

— Por favor, parem com isso!! — Mancha quase chora — Eu desisto, eu desisto!

— Que batalha patética... — Jennifer comenta, decepcionada com o pequeno desafio que enfrentou — Mas, afinal, o que você queria aqui?

— Eu... bom... vocês não vão acreditar...

— Diga. — Jen já imagina que ouvirá um motivo completamente absurdo — Dificilmente acontece algo que se considere normal por aqui...

— Eu... eu não sei! Eu apenas resolvi atacar sua casa. De alguma forma eu sabia que era aqui... e fiz aquelas ameaças vazias, mas eu... er... vocês não estão acreditando nisso, né?

— Você vai explicar isso pra polícia, afinal já dá pra entender por que você agiu dessa forma. Enquanto isso, acho que vou ter uma conversinha com um certo escritor...

Assim que Mancha é levado pela polícia, Jennifer senta-se em seu sofá aguardando...

— Sim, eu estou aguardando você me dar explicações.

... aguardando alguém que não sabemos ao certo de quem se trata. Mas não temam, logo a ação começará nesta história (apesar de seu título), afinal deve haver algum propósito para a personagem principal estar sentada sem fazer nada.

— Sim, estou esperando você falar comigo!

Talvez uma descrição do ambiente tome um pouco de nosso tempo. Jennifer senta-se num belo sofá feito de mogno, com almof...

Josa!

— Tá, entendi. — o lindo autor desta história aparece na sala — Você quer falar comigo. Eu não tinha perceb...

— Você tinha sim, seu cínico.

— O que você quer, afinal?

— Eu quero que você escreva alguma coisa que faça sentido! O Mancha entrou aqui, não deu explicação de nada e pronto! Como eu vou explicar isso para os leitores que acompanham ansiosamente as minhas histórias?

— E alguém acompanha essas hist... ei! Não precisa bater!!

— Se não acompanham, nós sabemos o motivo! — Jennifer se irrita mais ainda e levanta-se do sofá para ameaçar covardemente o pobre e genial escritor — E pára de falar bobagem sobre si mesmo na narração!

— O médico recomendou por causa da auto-estima...

— Que se dane, Josa! Eu preciso ter auto-estima também! Estou cansada de enfrentar vilões de vigésima categoria! Estou cansada de tramas ridículas! Eu sou uma mulher poderosa e linda e sexy! Mereço algo grandioso!

— Olha, meu médico é muito bom. Ele pode falar sobr... pára de me bater!

— E então?

— E então o quê?

— O que você vai fazer?

— Olha, eu tenho que enviar um plot para os editores antes de mudar demais algo no título, afinal... — a heroína ameaça fechar os punhos outra vez, acelerando um pouco a burocracia do Hyperfan — ...afinal, você é a Mulher-Hulk e merece realmente grandiosas histórias!!!

— Sim! O que você vai fazer?

— Você nem imagina, minha linda verdinha!

— Oh-oh...

Nova York, planeta Terra.

Mais uma vez, Galactus invade nosso pequeno mundo azul. Todos os grupos importantes de super-heróis já foram derrotados — Quarteto Fantástico, Liga da Justiça, Vingadores, Justiça Jovem e X-Men, além de outros que não merecem ser citados. Toda a nossa esperança parece perdida depois que o último herói tomba.

A nave de Galactus começa a sugar a energia do planeta. Em um campo perdido de Sidney, as flores começam a morrer. O pobre aborígene que cuidava de seu jardim não pode entender o que está havendo — como de costume, os vilões e heróis aparecem nos EUA, mas quem sofre as conseqüências são os países mais distantes e desconhecidos. Todavia, antes que a pobre Austrália possa sofrer maiores danos, Galactus inesperadamente interrompe sua refeição.

Parado, vilão!

A última esperança da Terra aparece na forma da cor esmeralda! Trata-se da linda, sensacional e verdejante guerreira, Jennifer Walters — a Mulher-Hulk — além de seu parceiro, G'Nort.

Os dois oponentes se encaram, num clima de tensão que pode ser sentido por todos. O silêncio toma conta da cidade. A batalha decisiva irá começar.

Jennifer salta na direção de Galactus e...


A seguir: Conseguirá Jennifer vencer Galactus? Conseguirá impedí-lo de devorar a Terra? Conseguiremos tornar isto um título sério? Conseguirá Josa burlar as regras do Hyperfan e colocar uma história sem qualquer ligação com nossa cronologia no site? Será que os escritores de Liga da Justiça, Vingadores, Quarteto e X-Men irão matá-lo? E os editores? Como reagirão a isto? Será que esta caixa de A seguir chegará ao final? Quem sabe?




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.