hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 02

Por Igor Appolinário

"Guerra é Paz, Liberdade é Escravidão, Ignorância é Força"
— "1984", George Orwell

A grande armada atravessa a imensidão congelante do espaço sideral, seguindo pelo sistema solar entre os planetas Netuno e Urano. Uma fenda se abre em uma das grandes naves e dispara um projétil gigante em direção ao terceiro planeta do sistema. Em direção a um grande reino...

Pedra Fundamental — Parte II
De Inícios

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Poseidônis, capital da Atlântida — sob o Atlântico Central

— Guardas!! Fechem os portões principais e protejam as guaritas!

— Lorde Orin! — grita o conselheiro real Vulko da sacada de uma das guaritas — O senhor deve ficar em um lugar seguro!

— Eu não vou ficar sentado em um trono enquanto uma ameaça da superfície ataca meu reino!

Universidade de Moscou — Rússia

— Professor Palmovitch! O senhor precisa ver isso!

Calma, jovem Alecsander. — diz uma voz eletrônica saindo de uma caixa de som — Nesta magnitude, qualquer abalo sônico parece um terremoto.

Alecsander, um jovem de cabelos negros e olhos verdes, se aproxima da bancada do laboratório em que se encontra e observa um vidro de cultura.

— Me desculpe, professor. — sussurra o jovem para o vidro — Mas seus sensores captaram um grande projétil que caiu no oceano. (*)

O pequeno vidro começa a tremer e de dentro dele um homem começa a crescer até atingir um tamanho humano em poucos segundos.

— Um projétil?! Tem certeza disso, meu caro?

— Sim, professor. Afinal, o senhor mesmo construiu os equipamentos.

Caverna do Morcego — Noroeste de Gotham

Então, o que pretende fazer?

— Nada, isso não é problema meu. Só Gotham me interessa e você sabe disso, Oráculo.

Mas esse misterioso projétil espacial pode ser algo importante. Gotham não está em ameaça direta agora, mas e no futuro...?

— Você sabe mesmo me convencer... quando vou saber quem você é?

Você é um detetive, descubra...

O rosto virtual de Oráculo desaparece da tela do grande computador da caverna, deixando em seu lugar um smile e um homem pensativo.

Fundo do Atlântico Central

Uma cratera fumegante brilha no fundo do oceano com intensidade incrível. Os animais marinhos fogem em disparada do buraco. Um barulho metálico ruge na imensidão escura e o projétil se levanta, revelando-se como um robô, que inicia uma caminhada em direção aos portões da capital da Atlântida.

— Pare! — grita o rei Orin, avançando contra a ameaça alienígena.

O robô ignora o monarca da Atlântida e continua sua inexorável caminhada em direção à capital do reino. O rei pega seu tridente e dispara contra o robô que também ignora o impacto dos raios. Orin então se joga contra a máquina, atingindo-a com a força das ondas. O robô repara no ser que o vem atacando até então e, com uma de suas garras metálicas, joga-o para longe. O rei-guerreiro continua sua investida e usando o tridente desestabiliza o solo sob a máquina. O robô se volta para Orin e lança uma das rochas soltas contra ele. Quando está prestes a esmigalhar a rocha com o tridente, Orin se depara com algo inacreditável: a rocha começa a diminuir até virar um grão de areia.

— < Acho que eu te livrei de uma, Camarada! > (**)

Orin olha para trás e vê um homem usando roupa de mergulho vindo em sua direção.

— < Quem é você?! > (***) — grita o rei, furioso — < Outro invasor da Atlântida? >

— < OK, não entendi nada do que você disse, mas parece que eu não fui muito bem-vindo. >

— Humm... você é russo? — diz Orin para o professor.

— Sim, você fala minha língua?

— Como soberano da Atlântida e de todos os mares, eu sou fluente em diversas línguas da superfície.

— Atlântida, muito interessante... isso explica o fato de você estar respirando sem equipamento.

Uma explosão próxima aos dois homens volta suas atenções novamente para a máquina. Orin e Palmovitch partem para cima da máquina e atacam de todas as maneiras possíveis. O robô abre diversas fendas e revela armas que começam a disparar raios laser contra os dois homens. Orin e Palmovitch se escondem atrás de uma grande pedra, que aos poucos vai se esfacelando com os tiros.

Planeta Diário — Metrópolis — EUA

"Por Rao! Essa mulher não vai parar de falar nunca?"

Clark Kent e diversos outros repórteres do Planeta Diário estão na sala de reuniões enquanto Lois Lane apresenta uma pequena palestra sobre sua matéria mais recente.

— ...então, concluindo minha apresentação, — suspiros de alívio são ouvidos na sala — Super-Homem é mesmo um alienígena e veio pra nos salvar de nós mesmo, pois a humanidade um dia vai acabar com o planeta Terra.

Lois faz uma pequena saudação e espera pelos aplausos, que vêm poucos e esparsos. Perry White, editor-chefe do jornal, se levanta e começa a falar:

— Muito bem, Lois. Mais uma excelente reportagem sobre Super-Homem...

— Pois é, outra... — murmura Clark.

— ... parece que você ganhou outra primeira página. Parabéns! Agora todos voc...

Perry é interrompido pelo barulho da TV, que entra em um noticiário urgente.

... confirmada depois de alguns minutos a queda de um grande meteoro no meio do oceano Atlântico. O mais extraordinário deste fato inusitado é que diversos cientistas afirmam que o meteoro está se movendo sob a superfície oceânica.

— Hã... senhor White, eu preciso sair...

— O que foi agora, Kent? Algum outro parente está passando mal? Seria o quarto só essa semana!

— Na verdade, senhor White, eu pretendia ir ao Laboratório STAR para descobrir mais sobre esse meteoro.

— Muito bem, Kent. Vá logo, a matéria é sua!

— Mas, Perry!

— Sem mas, Lois. Você vá procurar o Super-Homem!

Londres — Inglaterra

— Senhor! Os computadores terminaram o rastreio. Já sabemos onde o tal meteoro caiu. Aqui estão as coordenadas.

Um jovem marinheiro entrega um pedaço de papel ao seu superior que o lê atentamente.

— Onde está o agente 009? Ele devia estar aqui agora! Encontrem-no!!

Em um pequeno restaurante à beira do Rio Tâmisa, um jovem casal almoça calmamente, conversando e rindo felizes.

— Ora, Barry. Você é mesmo uma comédia! Nem parece que há alguns meses você sofreu um acidente.

— Graças a Deus, eu já estou bem e curado, Íris, meu amor. Mas a melhor parte dessa minha nova vida é ter você ao meu lado.

— Pelo menos nos momentos em que conseguimos ficar juntos, não é? Você é sempre tão ocupado e às vezes some por dias! Esse se novo trabalho como professor e pesquisador do governo é muito exigente.

— Ora, querida. E sou um homem ocupado, mas sempre arranjo um tempo para ver minha maravilhosa noiva. Além do que...

Bip-Bip! Bip-Bip! Bip-Bip!

— Está vendo só? Já tem alguém querendo falar com você. — Íris fica zangada e se coloca de costas para Barry. Depois de alguns segundos ela se vira novamente — Por que... você não está mais aqui...?

Oceano Atlântico

KRAKOOM

O robô dispara diversos mísseis contra o esconderijo de Palmovitch e rei Orin, que tentam resistir aos ataques.

— Temos que fazer alguma coisa! Esse monstro não pode chegar à capital!

Da, tovarisch, mas como vamos fazer isso?

BOOM
BOOM


Dois estrondos diferentes chamam a atenção dos encurralados que observam a cena e se surpreendem: o robô tombado e um estranho submarino, de formas angulosas, se aproximando vindo do oeste.

— Saiam do caminho! Ele está se levantando!! — grita uma voz de dentro do submarino semelhante a um morcego.


Continua!


:: Notas do Autor

(*) Na edição anterior. voltar ao texto

(**) Traduzido do russo. voltar ao texto

(***) Traduzido do idioma atlante. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.