hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 15

Por Igor Appolinário

Caçada Estelar — Parte VI
Graduação

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Planície Gradooka — Oa — setor 0

— Marciano, afaste-se! — grita Super-Homem, lançando um disparo poderoso de sua termovisão contra a couraça de um dos robôs Caçadores próximo ao colega de equipe. O metal se retorce e incandesce, finalmente pegando fogo. J'onn J'onzz, o Caçador Marciano, protege os olhos do brilho flamejante e se afasta, partindo para cima de um pequeno grupo de Caçadores remanescentes.

O rei Orin usa seu tridente como um poderoso canhão e dispara consecutivamente contra os robôs. Átomo permanece dentro da nave-guarda, (*) usando os sistemas de defesa para proteger Aquaman e os outros colegas.

Kal-El e J'onn circundam a área em grande velocidade, criando um grande tufão e pegando os robôs-Caçadores de surpresa. A força do vento condensa as máquinas em um grande aglomerado metálico. Aquaman se aproxima, assim como Átomo, que deixa a proteção da nave.

— Uau! Belo movimento! — diz o cientista, entusiasmado — Fico imaginando a força e o calor causados pela pressão do ambiente interno e...

— Onde estão os outros? — corta Aquaman, se dirigindo ao homem de aço — Lanterna Verde reiniciou os escudos da nave e desapareceu.

— Eles foram em direção àquela construção no fim da planície. — diz Super-Homem, enquanto usa sua visão telescópica — Mas o salão onde eles entraram parece estar selado.

"Eu captei impressões mentais deles." — diz J'onn telepaticamente aos outros — "Eles estão enfrentando algum tipo de perigo mortal..."

Hall de entrada — Palácio Esmeralda

— < Caia! > (**) — grita a Mulher-Maravilha em sua língua nativa, enquanto nocauteia um Lanterna Verde polvóide com uma clava que ele mesmo acabara de criar — Essas criaturas são boas guerreiras, mas ficam muito dependentes do anel energético que carregam.

— Sim, é verdade. — diz o Flash, nocauteando um Lanterna próximo com um soco na velocidade do som — Mas o anel é uma grande vantagem estratégica e eles estão em número muito superior.

— Temos que arranjar uma distração e ir atrás do Lanterna Verde. — diz Batman, usando batarangues para desviar projéteis esmeralda — Já faz tempo que ele conseguiu entrar e eles não param de nos atacar!

Os Lanternas Verdes se reagrupam e atacam o trio em conjunto, que acaba encurralado em um canto do salão. Mas, de repente, uma forte explosão se abate contra o domo principal e o restante da Liga invade o local, com o Super-Homem à frente. Batman aproveita a distração e sai do salão sorrateiramente.

Câmara Esmeralda — Palácio Esmeralda

Bruce adentra a grande Câmara Esmeralda e caminha lentamente até o centro do grande coliseu. Ele observa o ambiente e reconhece as pequenas estratégias psicológicas para fazer com que as pessoas nos bancos logo acima pareçam mais imponentes do que o normal. As colunas altas e decoradas, a bancada superior meio escondida nas sombras formadas pela iluminação esverdeada indireta, a cúpula alta e visualmente infinita.

Batman usa um pequeno gancho magnético e se iça para a parte superior do coliseu. Ele caminha lentamente pelo espaço reduzido, observando as estranhas criaturas humanóides de pele azulada sentadas, completamente catatônicas e indiferentes à sua aproximação. Ele retira uma pequena lanterna do cinto e se aproxima cautelosamente de um dos seres, examinando suas pupilas e outros sinais vitais.

— Se a fisiologia destas criaturas não for tão diferente da humana, eles estão obviamente sedados por alguma substância externa. — pensa Batman em voz alta, sem reparar na figura sombria que se aproxima pelas suas costas.

Sinestro observa o humano, enquanto ele examina os Guardiões. Em um segundo, sua mente arquiteta dezenas de formas de matá-lo sem que ele nem ao menos veja o rosto de seu executor, mas seu instinto natural de predador faz com que ele deseje ver o brilho dos olhos do inimigo morrer ao poucos. Ele empunha uma grande espada esmeralda e se aproxima de Batman sorrateiramente. O herói se vira no último segundo, não sendo capaz de esboçar qualquer reação ao ataque surpresa.

BOOM!!!

Um raio de energia esmeralda desarma Sinestro. O korugariano (***) olha furiosamente para o canto da sala, onde Kyle Allan Jordan, recém-desperto do ataque sofrido pelo inimigo, está jogado no chão, o braço do anel apontado ameaçadoramente para ele.

— Novato! — grita Sinestro, partindo para cima de Jordan. O Lanterna caído cria um escudo, defendendo-se do ataque mortal do inimigo — Você surgiu no pior momento possível! Quando finalmente todos os obstáculos foram tirados do caminho, um reles terráqueo vem em busca de respostas... trazendo o anel de Abin Sur!

Sinestro dispara uma rajada seqüencial de tiros energéticos contra o escudo de Jordan, que se desfaz lentamente. Kyle se esquiva no último segundo e cria um aríete que prensa o inimigo contra a parede. Sinestro se liberta com uma grande serra circular e parte para cima do oponente, usando garras energéticas. Os dois Lanternas Verdes se digladiam ferozmente, gastando toda a sua energia. Sinestro parte para mais um golpe, mas seu anel falha, o mesmo ocorrendo com Jordan, que aproveita a distração para atacar o inimigo.

— Por quê?! — grita Jordan, dando um direto de esquerda em Sinestro, que cambaleia para trás — Você é um deles: defensores do Universo! Por quê?!

— Seu tolo... — diz Sinestro, a boca sangrando um líquido viscoso e escuro — Qual o maior desejo de qualquer ser vivo nesse Universo? Por que impérios se erguem e guerreiam até a extinção? Por que irmão mata irmão? Por que mais, novato? Poder! — Sinestro acerta um cruzado de direita em Jordan, que se desequilibra — Eu quero o poder que esses idiotas que se autodenominam "Guardiões do Universo" controlam! Eles têm toda a energia do Universo nas mãos e ficam brincando de 'policiais do espaço'! Abin Sur descobriu meu pequeno plano e teve que pagar com a vida.

— Mas como você conseguiu neutralizar os seres mais poderosos do Universo? — questiona Jordan, se esquivando de um soco e desferindo outro contra o estômago do inimigo.

— "Mais poderosos"...? Hahaha! Eles são uma piada! — ironiza Sinestro, recuperando o fôlego e passando uma rasteira em Jordan — Todos têm um ponto fraco, meu caro, e eu descobri o maior de todos!

Jordan faz menção se levantar, mas uma corrente feita de energia amarelada prende seu corpo ao chão. Ele olha para Sinestro, que devolve o olhar com um sorriso maligno. Em seu punho esquerdo brilha intensamente um anel amarelo.

Super-Homem e Mulher-Maravilha aceleram até atingirem mach-3, as explosões sônicas tirando a concentração dos Lanternas Verdes mais próximos, impedindo-os de criarem armas. Átomo se miniaturiza e adentra a estrutura de um construto esmeralda, procurando falhas a serem exploradas. Flash usa sua velocidade extrema pra desviar dos ataques e acertar os oponentes desprevenidos, mas os Lanternas percebem sua tática e começam a criar grandes armaduras energéticas para se proteger. No meio do salão, Aquaman usa o tridente de Poseidon para dispersar os ataques com encantos simples e produz fortes rajadas de energia, disparando-as contra os oponentes.

Caçador Marciano invade o salão e, usando suas habilidades telepáticas, procura por Batman e Lanterna Verde, que não estão no recinto. Ele os localiza na Câmara Esmeralda e segue o rastro; encontra Jordan encurralado por Sinestro e Batman parado do outro lado do salão, com um batarangue em punho.

Sinestro se concentra e o anel amarelo dispara um raio contra Jordan. Batman, prevendo o movimento, lança o batarangue, que se desintegra sob o poder do raio. Jordan corre para segurança enquanto Sinestro continua disparando em sua direção. J'onn se esgueira para dentro da câmara e tenta se comunicar com Batman:

"Batman, temos que fazer algo." — diz o marciano, com sua telepatia.

"Sim, devemos agir." — responde o homem-morcego, olhando para os lados ao reconhecer a impressão mental do colega — "Mas não podemos ir diretamente contra o inimigo. Aquele anel parece ser forte, até mais forte que o do Lanterna Verde. Siga-me!"

Batman corre para um pilar e usando as garras das luvas hi-tech de seu uniforme altamente adaptado para invasão de instalações inóspitas, escala até a arquibancada superior, sendo seguido de perto pelo Caçador Marciano.

— Vamos convidar os donos da casa para a festa. — diz Batman, aproximando-se soturnamente de um dos Guardiões.

— Flash, cuidado! — grita Super-Homem, vendo um grande raio de energia esmeralda indo de encontro ao velocista.

O raio atinge Barry, que é jogado para um lado do salão. Super-Homem voa até ele e o examina, verificando que tudo está bem, mas o companheiro está nocauteado. Mulher-Maravilha se digladia com uma Lanterna humanóide, mas descomunalmente grande, e é fortemente atingida pelos golpes da inimiga. Átomo mergulha nas estruturas esmeraldas e tenta desestabilizar as moléculas que as compõem, mas a poderosa energia que as mantém unidas não é nada que o professor tenha visto antes.

Aquaman olha para o campo de batalha e vê a desolação de sua equipe. A vantagem numérica de Lanternas supera grandemente as habilidades conjuntas dos heróis da Liga, e a batalha pende terrivelmente para a derrota dos terráqueos. O monarca atlante fica perplexo e não consegue encontrar saída para a equipe. Mas, de repente, uma segunda explosão no teto do salão chama a atenção de todos, assim como a entrada de uma legião de Lanternas Verdes.

— Estamos ferrados... — murmura Flash, acordando neste momento e vendo a onda verde vindo em sua direção.

— Tropa do Circulo Externo, ao combate! — grita a tenente Boodika Lavina, Lanterna Verde do setor 1037 — Protejam os terráqueos!

Batman deixa a segurança da arquibancada e desce ao nível inferior, deixando J'onn com os Guardiões. Ele se esgueira por entre as colunas, enquanto Sinestro ataca Jordan com o anel amarelo.

— Você não tem chance, terráqueo! — grita Sinestro — O anel qwardiano é uma arma terrível e muito mais poderosa que o anel dos Lanternas Verdes.

— Você é louco! — grita Jordan, se esquivando se uma lâmina amarela lançada em sua direção — Esse é o artefato que permitiu que você controlasse os Guardiões? Que invenção maligna é essa?

— Sim, tolo, maligna! — ri Sinestro, misteriosamente — Este anel esteve confinado em Oa desde o princípio dos tempos, sendo o oposto mais do que perfeito à energia do poço central. Ninguém sabe de onde ele veio, mas agora ele é meu!

Sinestro se prepara para mais um disparo, mas sua mão é atingida por um batarangue. Ele se vira e sua visão é nublada por uma granada de fumaça. Em meio à confusão, sons de socos e chutes são ouvidos e, de repente, Sinestro é lançado para fora da nuvem. Quando a fumaça se dissipa, Batman tem em mãos o anel qwardiano.

— Todo seu, Lanterna.

Jordan parte para cima de Sinestro e os dois lutam com chutes e socos fortes. Sinestro é pego de surpresa e Jordan começa a levar vantagem, atingindo o inimigo com muitos dos golpes aprendidos na academia militar. Sinestro está prestes a perder os sentidos e se concentra fortemente. Batman olha para sua mão e vê, com espanto, o anel Q se ativando e emitindo um pulso energético, que o atira contra uma parede. O pulso atravessa o salão e atinge Sinestro e Jordan, separando-os. Com um flash, o anel Q retorna para a mão do korugariano, que sorri insanamente. Sinestro ergue o punho e, apontando o anel para os dois heróis caídos, se prepara para o ataque final.

— Eu disse que conseguiria o que quisesse e nenhum novato me impediria. O Universo será meu! — grita Sinestro. O anel Q brilha, mas, de repente, o inimigo é envolto por uma gigantesca bolha esmeralda, impenetrável.

— Venha comigo, terráqueo. — ordena Boodika para Flash, que corre em sua direção, já recuperado. Os dois derrubam uma fileira de Lanternas Verdes que formavam uma barricada em frente à porta da Câmara Esmeralda.

Super-Homem voa de encontro a um grande Lanterna cetacióide. Kal-El acelera, mas o Lanterna estanca, perdendo velocidade até parar. Os dois se chocam no ar e caem atordoados entre os combatentes perplexos. A tropa de Boodika e a Liga observam os Lanternas Verdes oponentes ficarem aturdidos e confusos, aparentemente saindo de um transe.

— Por que estavam atacando os terráqueos? Eu enviei um comunicado a todos vocês! — grita Boodika, agarrando um jovem Lanterna de pele escamosa.

— Nós... nós não sabíamos! Nós viemos falar com o capitão... depois não me lembro de mais nada...

— Nós temos que encontrar nossos companheiros. — diz Mulher-Maravilha, ajudando Super-Homem a se levantar.

— Eles estão na câmara logo atrás do portal! — diz Átomo, lembrando da saída evasiva de J'onn.

Super-Homem, Mulher-Maravilha, Flash, Átomo e Aquaman entram na Câmara Esmeralda e vêem um ser humanóide de pele magenta preso em uma grande bolha verde. Eles se aproximam e vêem que o mesmo tenta, inúmeras vezes e sem sucesso, romper a barreira usando um anel energético de cor amarela. Na arquibancada logo acima do salão, diversos seres de pele azulada brilham intensamente uma luz verde e apontam suas mãos para a bolha.

Lanterna Verde do setor 0, capitão da tropa, — dizem as dezenas de vozes alienígenas em uníssono — você usou de modos torpes para se apoderar de recursos que não lhe pertenciam.

— Vocês são imbecis! — grita Sinestro, em sua prisão esférica — Poderiam tomar o Universo, mas nada fazem!

Você é tolo, korugariano. Nosso poder é intencionado a algo maior. Você já foi julgado e condenado. Traidor!

A bolha de energia contendo Sinestro se eleva no ar e flutua lentamente até o centro do salão. Neste instante, o chão treme, fazendo a Liga se afastar para as paredes, e se abre, revelando um grande poço de onde emana uma forte luz verde. Palmovitch se inclina sobre a borda e vê as chamas esmeraldas que preenchem o poço.

Sua sentença será o eterno confinamento no Poço Central. Sua maldade será expurgada pela luz esmeralda.

— Podem me trancar, mesmo que dentro de um anti-sol, e eu retornarei. Retornarei quantas vezes forem necessárias até dominar todo o Universo! E você será minha primeira vítima, novato!

A bolha desce lentamente para dentro do Poço Central, a fonte energética de todos os anéis dos Lanternas Verdes e seus Guardiões, encravado fundo no mundo de Oa, captando toda a energia pandimensional cósmica. Sinestro grita furiosamente, batendo na barreira que o impede de fugir e usando toda a energia de seu anel qwardiano para tentar escapar, mas é finalmente selado dentro do Poço.

Os membros da Liga observam atônitos a conclusão da punição do traidor, imaginando o tamanho do poder das criaturas conhecidas como Guardiões. Os seres de pele azulada abaixam as mãos e em conjunto se viram para a Liga, fixando seu olhar no Lanterna Verde.

Kyle Allan Jordan, você tem algo que nos pertence...

Epílogo 1: Oa, uma semana depois

Kyle Allan Jordan, o Lanterna Verde da Liga da Justiça, está de pé em um pequeno palanque dentro da Câmara Esmeralda. Um dos Guardiões caminha até ele e, na língua natal do planeta, passa algumas instruções. Em uma bancada à parte no salão, os membros da Liga assistem a tudo, intrigados.

— O que será que vai acontecer? — pergunta Flash, sussurrando, para Átomo, que está ao seu lado.

— Não faço idéia, tovarisch, nem arrisco imaginar que tipo de cerimônia é essa...

— J'onn, como vocês conseguiram libertar os Guardiões? Foi realmente na hora certa... — pergunta Super-Homem, em tom baixo.

"Sinestro estava mantendo-os sedados, usando psicotrópicos criados pelo anel qwardiano." — responde J'onn, telepaticamente — "Aparentemente, aquela energia amarela é a única coisa que afeta estes seres. Usando meus poderes mentais, pude organizar as informações cerebrais deles e libertá-los do controle. E devo dizer eles têm mentes fantasticamente sombrias..."

Super-Homem encara J'onn, mas quando está prestes a perguntar o significado de tal afirmação, o Guardião se afasta de Jordan e uma música suave começa a tocar. Os Guardiões emanam sua energia esmeralda no salão e Jordan pigarreia, começando a falar:

— No dia mais claro, na noite mais densa... — começa a recitar Jordan, após as instruções — ...o mal sucumbirá ante a minha presença. Aquele que o mal segue, tudo perde pela luz do Lanterna Verde.

Congratulações, Kyle Allan Jordan, Lanterna Verde do setor 2814.

Epílogo 2: Omolu, águas internacionais do Atlântico, um mês depois

— Eu gostaria de agradecer a toda a imprensa mundial por estar aqui. — diz Kyle Allan Jordan, o Lanterna Verde do setor espacial 2814, sobre o pequeno palanque montado na praia ocidental de Omolu. Ele discursa para uma pequena, mas significativa, platéia de repórteres — Como porta-voz da Liga Justiça, devo comunicar a vocês que estamos aqui para ficar. Muitos líderes mundiais têm feito objeções à formação deste grupo internacional, nos acusando de "imperialistas" e "monstros". Mas a Liga não está aqui para conquistar países, mas para defendê-los. Não está aqui para destruir cidades, mas salvá-las dos verdadeiros monstros. E nem estamos aqui para afrontar governos soberanos que acham que dominam o mundo, estamos aqui principalmente para defender a humanidade de qualquer tirano, seja extraterrestre ou humano. Por isso aqui, nesta pequena ilha que abrigou os resíduos da nossa primeira batalha, nós erigimos nossa base de operações: Sephiroth.

Os repórteres aplaudem Lanterna Verde, que ergue as mãos, fazendo sinal para as perguntas. Os outros integrantes da Liga se unem a ele no palanque, exceto por Batman, que observa a tudo da torre da base.

— Lois Lane do Planeta Diário. — diz a jovem repórter de cabelos castanhos — Por que este nome? Ele é de origem hebraica, correto?

— Senhorita Lane, este nome, assim como a mitologia que o envolve, tenciona representar a diversidade e ao mesmo tempo integração de todos os componentes desta liga. Como a árvore da vida da cabala judaica, cada um de nós representa o melhor da humanidade, não sem seus defeitos, é claro, mas nos esforçando conjuntamente para impedir que o mal os atinja.

— Mais uma pergunta. O que você acha de estar participando de uma equipe agora, Super-Homem?

Epílogo 3: LexTower, Metrópolis

...de uma equipe agora, Super-Homem?

Grrrrrrrrrr!

Uma réplica do globo do edifício do jornal Planeta Diário é lançado violentamente contra a tela de uma grande televisão de plasma. A superfície se fende e a imagem da coletiva de imprensa da inauguração da base da Liga da Justiça some, deixando apenas o negro da tela.

Lex Luthor olha furiosamente para a tela, sua respiração arfante e entrecortada como um animal. Ele vai se acalmando lentamente e gira a poltrona onde está sentado, encarando agora a paisagem brilhante e espelhada de Metrópolis.

— Super-Homem tem sua pequena equipe... vamos ver quanto tempo essa brincadeira vai durar...


:: Notas do Autor

(*) Na edição anterior. voltar ao texto

(**) Traduzido do grego arcaico. voltar ao texto

(***) Nativo do planeta Korugar, no setor 1417. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.