hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 17

Por Igor Appolinário

Sonhos & Destinos — Parte II
Destinos Traçados

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Poseidônis — Oceano Atlântico

Aquaman olha para o penhasco a sua frente e a floresta fechada às suas costas, sem saber como se perdeu dos companheiros de equipe. (*) Ele observa as águas que batem na encosta e vê um estranho brilho dourado. Orin mergulha nas águas escuras e se espanta com o que vê em seguida: um grande exército atlante, marchando para fora da capital.

— Vulko, o que está havendo? — pergunta Rei Orin ao seu conselheiro, em um dos carros de guerra.

— Majestade, estamos concluindo nosso plano de dominação mundial. Já conquistamos todos os continentes a Leste daqui e este pedaço de rocha é a única coisa entre nós e o Mundo, Majestade!

Orin observa seu grande exercito marchar sobre a terra, conquistando a última resistência. Carregado sobre os ombros de seus soldados, Rei Orin retorna a Poseidônis onde é recebido por sua Rainha e seu jovem herdeiro.

— Orin, meu amado!

— Mera... Gwydion... — diz o monarca, abraçando a família. Como em um sonho, Aquaman se vê levado momentaneamente de um local para outro, como se atravessasse uma bruma espessa. Agora, ele observa seus exércitos marchando para fora da capital em direção as novas colônias terrestres. De repente, uma forte explosão abala as paredes do castelo, que desabam e soterram a Família Real. Orin consegue sair dos escombros e vê uma leva de soldados rebeldes batalhando com as forças atlantes em frente ao castelo, e, em meio aos escombros revolvidos, os corpos inertes de sua família.

Não!!! — grita Orin, partindo para cima da batalha com seu tridente em punho.

Do zênite subaquático surge um raio esmeralda, que cruza as profundezas e se interpõe entre Aquaman e o conflito.

— Aquaman, não! — grita a criatura esverdeada.

O monarca atlante fica ofuscado pela iluminação esverdeada, mas aos poucos consegue discernir a figura que está a sua frente, seu colega de equipe Lanterna Verde.

— Isso é uma ilusão, Aquaman — diz Kyle — Eu cruzei dezenas de mundos subaquáticos até te encontrar, isso não é real! Preste atenção...

— Mas Mera... Poseidônis... — diz Rei Orin, perdido. Ele olha em volta e percebe que o mundo começa a se tornar cinzento e o som está abafado. De repente, uma porta luminosa surge do nada e ambos se encaminham até ela — Obrigado, Lanterna. Eu não poderia viver em um mundo tão sinistro...

Roswell — Novo México — EUA

Caçador Marciano caminha desorientado pelo deserto. Ele não tem idéia de como veio parar aqui, mas uma forte impressão mental o atrai a continuar caminhando, seguindo sempre em frente em direção a um grande galpão.

"J'onn... estamos aqui, querido... venha nos salvar..."

J'onn J'onzz corre até o galpão e destrói a porta da entrada, encontrando dois seres amarrados na escuridão. Ele reativa a eletricidade e fica chocado ao ver sua esposa e filha.

— M'yri'ah! T'ylla!

J'onn liberta e abraça a família, lágrimas de emoção vertendo de seus olhos vermelhos. Mas, de repente, uma grande explosão abala o momento, e um rombo na estrutura do galpão revela um grande contingente do exército.

Não se movam ou tentem nada, alienígenas! — diz a voz metálica por dentro de um tanque — Nós estamos aqui para contenção e eliminação de risco... vocês não tem chance!

J'onn J'onzz usa seus poderes transmorfos para ocultar sua esposa e filha, que aproveitam a distração para fugir. Caçador Marciano se defende dos disparos dos militares, mas é distraído por um grito de dor gutural que vem do lado de fora do galpão. J'onn corre para fora e vê a mulher e filha caídas no solo arenoso, seu sangue escorrendo pelo substrato árido.

Não!!!

Caçador Marciano lança seu olhar vermelho como fogo para os soldados e parte para cima deles em uma fúria enlouquecida. Ela agarra um jovem militar e o lança contra um grupo armado, que é atingido e derrubado como um conjunto de pinos de boliche. J'onn encara outro soldado, caído e com um olhar aterrorizado, e transforma seus dedos em garras afiadas, se aproximando dele sinistramente.

De repente, um raio de calor atravessa os céus e cria uma barreira de fogo entre os dois. J'onn se afasta e olha para o alto, vendo Super-Homem se aproximando em alta velocidade. O kryptoniano pousa ao lado de J'onn e o segura firmemente.

— Marciano, preste atenção! Isso não é real, eu cruzei dezenas de milhas de deserto até ouvir seus gritos. Isso é tudo uma ilusão, preste atenção, você pode ler mentes, veja que eles são vazios...

J'onn luta contra seus instintos de luta e cria uma rede telepática com todos, mas consegue sentir apenas a mente de Kal-El, que o solta. Caçador Marciano olha para os corpos de sua família, que começam a desaparecer, assim como o ambiente em torno, que se transforma revelando novamente a floresta em volta do Hospital.

"Vamos" — diz telepaticamente Caçador Marciano secamente — "Vamos encontrar quem está fazendo isso...".

Hospital de Estudos Avançados em Neurologia — Washington, DC — EUA

— Espero que estejam gostando do tratamento especial — diz John D. sinistramente ao caminhar por uma sala escura. Ele usa um longo manto azul, e um capuz que deixa seu rosto encoberto por sombras — É o que vocês merecem por terem me traído, por quase terem feito com que eu perdesse Alissa para sempre...

Na grande sala escura vemos dezenas de médicos e trabalhadores do Hospital sendo torturados em máquinas incríveis e cruéis. O jovem assistente técnico Karl Liebermann agoniza em uma cama de espinhos, que lentamente estica seu corpo sobre a malha afiada.

— Eu lhe disse, Karl... nada daquilo podia ser verdade. Agora nem mesmo seus amigos podem lhe ajudar — diz John D. apontando para grande monitores que mostram a Liga da Justiça perdidos na floresta.

— Isso é um engano... Dr. D...

— Sim, Dr. D... Destino, pois agora o de vocês depende de mim! Hahahahahahahahaha!!!

— John...? — diz uma voz suave e insegura por trás do Dr. Destino.

— Alissa! — diz ele se virando e encontram a esposa, trajando um fantasmagórico vestido branco. — Eu sabia que você voltaria para mim, meu amor.

— John, você tem que para com isso — diz ela, gesticulando para a sala de tortura — Nada disso é culpa deles...

— Sim! É culpa de todos eles. Da inveja de todos eles. Das dúvidas, das traições! Eu vou fazer com que todos sofram... até mesmo a Liga da Justiça!

Londres — Inglaterra

Um raio vermelho corre em torno do Big Ben que bate o meio-dia. Segundos depois ele percorre o Tamisa de ponta a ponta, dando uma volta na Roda do Milênio. De volta ao quartel-general do MI-6, Flash ria alegremente, após dar um susto em alguns cientistas.

— Nossa, nunca me senti tão veloz antes!

— Também pudera, você nunca foi tão rápido assim — diz M, se aproximando com uma prancheta — Os instrumentos acabaram de confirma, Agente 009, você atingiu a velocidade da luz.

Barry Allen fica espantado e abraça a chefe euforicamente. M fica imóvel e, quando 009 a solta, ela apenas se vira e sai da sala, balançando a cabeça em desaprovação. Flash corre para fora do complexo do MI-6. Nas ruas de Londres ele vê uma garotinha andando no caminho de um caminhão desgovernado. Como um raio, Flash salva a garota, deixando-a na calçada. Ele pára momentaneamente para receber os aplausos do público, mas nada acontece.

— Vamos lá gente — diz Barry bem-humorado — Não que eu tenha salvado o mundo, mas a garota é uma gracinha haha!

Ninguém parece perceber a piada e todos continuam a caminhar calmamente pela rua. Barry fica confuso e tenta parar um jovem que caminha em sua direção, mas ao tentar tocá-la suas mãos passam direto pelo corpo da jovem, que estremece. Flash olha para as próprias mãos, que parecem borradas.

— Alta freqüência — conclui o cientista — Eu estou tão rápido que meu corpo vibra até ultrapassar a freqüência da tangibilidade...

Flash se concentra, mas não consegue parar a vibração, que vai aumentando gradualmente. Ele se desespera e tenta correr de volta ao quartel-general do MI-6, mas tudo em que ele toca explode instantaneamente, até o chão em que ele pisa.

Não!!! — grita Flash quando seu corpo começa a vibrar a uma taxa altíssima e a se desfazer em pura luz.

— Acalme-se, Flash — diz uma voz soturna ao lado de Barry — Pare de gritar e olhe para mim...

Flash se vira e vê Batman, nitidamente parado ao seu lado. As pessoas ao redor estão borradas e difusas pela velocidade, mas Batman permanece firmemente nítido ao lado de Barry.

— Percebe agora? Isso é um tipo de ilusão. Se você está alta velocidade, como está me vendo nitidamente?

— Sim... faz todo o sentido... — diz Barry, controlando a vibração e caminhando com Batman por um túnel, retornando a floresta.

Em um belo jardim florido, repleto de árvores frutíferas e aves canoras, John e Alissa Doe conversam, sentados em um banco de madeira branca, sob a sombra de uma Salix babylonica, um salgueiro-chorão.

— John, você tem que me deixar partir, meu querido.

— Jamais, Alissa. Eu quase perdi tudo quando perdi você. Passei anos dedicando minha pesquisa a procura de uma cura para sua condição... no final, estes poderes fizeram com que eu pudesse ter você de volta...

— Não — diz uma voz fantasmagórica que surge do vácuo.

— Quem é você!?! — grita John D., voltando aos trajes de Dr. Destino e encarando a figura sombreada que entra no jardim.

— Sou chamado de Homem-Cinza e minha missão é levar Alissa Doe — diz a figura se revelando, um homem todo cinza, trajes e pele, como um filme antigo.

Nunca! — grita Destino partindo para cima do Homem-Cinza.

Nova ONU — Suíça

— Irmãos e Irmãs da Terra, essa é a mensagem das Amazonas de Themyscira. Uma mensagem de amor e paz, para a prosperidade de todo o planeta. Que os deuses abençoem nossa missão!

Diana de Themyscira é a aclamada pelos líderes mundiais ao terminar seu discurso na Nova ONU. Todos aplaudem de pé e acordos são feitos para que a missão da Amazona seja cumprida a risca. Por todo o globo as pessoas começam a se organizar e, pouco a pouco, o mundo inicia uma transformação que o deixa cada vez mais semelhante ao lar da Mulher-Maravilha.

Diana observa Washington, decorada com as insígnias das amazonas, da janela de seu quarto de hotel e fica extremamente feliz.

— Você fez bem seu trabalho, minha filha — diz uma mulher, entrando no quarto — Cumpriu sua missão no Mundo Monoteísta.

— Obrigado, minha Rainha, fico feliz em ter feito tudo a seu gosto... Mamãe...

— Sim, Diana. Por isso seu dever para com seu povo está cumprido, agora você deve abandonar o posto e os poderes da assim chamada "Mulher-Maravilha".

— Meus poderes...? Mas ainda há tanto que posso realizar com eles! Tanto bem que pode ser feito!

— Não, Diana. Essas são as ordens da sua Rainha. Não deve haver mais uma Mulher-Maravilha.

Não! — Diana voa para fora do quarto. Ela foge para longe do hotel, mas, de repente, uma grande rede eletrificada é jogada sobre ela, que cai no solo.

Dezenas de amazonas atacam a Mulher-Maravilha, que se defende de disparos de arcos e lanças.

— Traidora! — gritam as guerreiras em uníssono.

Diana se livra da rede e se defende dos ataques, mas uma contingente maior de amazonas surge e ela fica soterrada pelo ataque maciço. Diana usa sua força sobre-humana e lança algumas irmãs para longe, porém matando algumas delas pelo impacto.

— Não! Irmãs, eu não tinha intenção! Oh, não!

Diana foge enquanto é perseguida. Ela grita loucamente, chorando pela morte acidental de suas companheiras. De repente, uma porta de luz se abre em seu caminho e Átomo surge na cena.

— Princesa, isso não é real. Venha comigo, nada disso está realmente acontecendo — diz o cientista, estendendo a mão para a jovem.

— Urhnn... Onde estou? — pergunta a Mulher-Maravilha, acordando em meio à floresta, com Átomo segurando sua mão.

— Você está segura agora, princesa — diz Átomo com um sorriso reconfortante.

Spaceeba, tovarisch. — responde a jovem na língua do companheiro — Mas o que houve?

— Estamos enfrentando algum tipo de ilusionista — diz Batman, ao que Diana percebe que toda a Liga está reunida a sua volta

— Então devemos agir rápido, enquanto ainda estamos novamente juntos — diz Super-Homem.

— A melhor opção deve ser seguir para aquela Torre — diz Lanterna Verde, apontando para o alto de uma colina onde uma Torre de pedras negras se ergue majestosamente.

— Hum... é o mesmo lugar onde estava o hospital — diz Flash.

— Então é o mais lógico assumir que nosso inimigo está lá — conclui Aquaman — Vamos.

A Liga começa a subir a colina e Batman segue por último observando a construção ao longe.

— Essas alucinações realísticas, focadas em aspectos de nossas personalidades indicam que ele também possui alguma espécie de telepatia... Portanto tentem não pensar em seus piores pesadelos — diz o homem-morcego sinistramente

Alissa Doe observa uma grande bolha cristalina. Dentro dela, o Homem-Cinza flutua desacordado. Ao longe Destino a observa, prazeroso com seu gesto.

— John — diz ela se virando para Destino — Você tem que me deixar partir... eu cumpri meu papel... eu amei... fui amada... agora é hora de partir...

— Mas meu amor...

— Sem mas, John. Que "vida" é essa que você deseja levar comigo assim? Nós já tivemos nosso tempo, um ótimo tempo juntos... isso é a vida meu amor...

— Você tem razão... Eu fui egoísta... Você merece seu descanso... eterno descanso...

Destino começa a se libertar de suas vestes, mas quando está preste a retirar o capuz, ele senta uma estranha energia e olha instantaneamente para os monitores, vendo a Liga da Justiça se aproximando da Torre.

— Você terá seu descanso, minha querida — diz ele, reintegrando sua vestimenta — Quando todos os nosso inimigos nos deixarem em paz!


Conclui na próxima edição!


:: Notas do Autor

(*) Na edição anterior. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.