hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 18

Por Igor Appolinário

Sonhos & Destinos — Parte III
Sonhos Desfeitos

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Hospital de Estudos Avançados em Neurologia — Washington, DC — EUA

A Liga da Justiça entre pelo portal da grande Torre Negra que antes foi o Hospital de Washington, agora transformada por uma força desconhecida. (*) No salão onde eles adentram, dezenas de portas cobrem as paredes, e surge um dilema para a equipe.

— Podemos nos separar e cobrir uma área maior, chegando logo ao causador disto — diz Batman em seu raciocínio lógico.

— Sim — diz Átomo — Mas podemos ser pegos nas mesmas armadilhas que nossos companheiros...

— Vamos nos separar — diz Super-Homem, concordando com Batman — Mas fiquem atentos aos seus comunicadores. Não vamos deixar o que quer que esteja atuando aqui nos enganar facilmente.

Concordando relutantemente com Super-Homem, os justiceiros se separam e entram por diferentes portas, caindo em um grande labirinto de pedra escura.

Lanterna Verde acende seu anel como uma tocha e ilumina seu caminho enquanto flutua pelos corredores. O Anel analisa o local procurando uma saída. De repente Jordan vira em uma curva e vê uma figura envolta nas sombras. Ele se aproxima e a luz esverdeada revela o homem.

— P-Pai...? — gagueja Jordan, incrédulo — Não pode ser...

— Allan, meu filho — diz o senhor negro, trajado de forma simples, porém distinta — Você é minha vergonha!

— Mas, Pai...

— Não me venha com desculpas, meu jovem — grita o Sr. Jordan, avançando contra seu filho que recua, a luz do Anel enfraquecendo gradualmente — Você foi um fracasso desde o começo. Um militar fajuto, um engenheiro sem futuro, um 'herói' sem brilho!

Jordan fica calado, ouvindo incrédulo às acusações de seu pai. Ele se enfurece, combatendo o medo instilado pelas palavras torpes e emana uma forte explosão esmeralda. A figura do Sr. Jordan recua assustada e pisca, como um holograma falhado, revelando a ilusão de Dr. Destino.

— Eu fui um militar correto! Sou um engenheiro brilhante! E sou um dos mais poderosos protetores do universo: eu sou um Lanterna Verde! — grita Jordan, emitindo um segundo clarão e dissipando a ilusão.

Átomo corre por um grande corredor. Ao virar em entrada lateral ele dá de cara com uma parede onde consegue ver um furo microscópico. Ele observa o ponto e começa a se miniaturizar, entrando pela brecha. Ele caminha pelo 'corredor' microscópico, mas percebe que as paredes começam a aumentar consideravelmente. Rasputin checa seu cinto, onde guarda a tecnologia de estrela anã daxamita, (**) e vê que ela está em funcionamento desenfreado. Seu tamanho começa a diminuir exponencialmente até o tamanho atômico e Átomo vê algo inimaginável: os átomos se pareando e agrupando de forma desordenada. Ele se desespera, vendo as leis básicas da física se distorcendo diante de seus olhos. Átomo percorre as planícies atômicas fervilhando de atividade anormal. Ele encontra aparentemente o centro de toda a confusão, uma reação básica onde os átomos não se encaixam perfeitamente. Rasputin dá um impulso e aumentando sua massa atinge um átomo desviado, fazendo-o se chocar com a reação anômala. O processo inicia uma reação em cadeia, que vai corrigindo o ambiente e expulsa Átomo em uma explosão luminosa, jogando-o para o outro lado da parede.

Batman corre para o lado oposto de uma parede, no momento exato que uma carga explode o obstáculo. Ele observa o buraco e fica estagnado: do outro lado do muro ele vê o quarto de seus pais na Mansão Wayne.

— Isso é impossível — analisa Batman após o choque inicial — Quem quer que seja, ele está brincando com fogo...

— Bruce...

Batman se vira e se depara com seus pais, em formas etéreas e fantasmagóricas. Eles se aproximam de Bruce e o olham com severidade.

— O que você fez meu filho? — diz a voz angustiada de Martha Wayne, com uma mancha de sangue sobre o vestido de gala e pérolas soltas nas mãos — Não basta ter causado nossas mortes...?

— Sua fraqueza... seus medos... — diz Thomas Wayne, com o smoking manchado em sangue — Vocês nos tirou do cinema, Bruce. E agora corre pelas ruas fantasiado... arriscando a vida daquele que é o último de nossa linhagem!

— Mãe... Pai... — diz Bruce, fracamente, a voz entrecortada — Eu não... me desculpem...

Batman corre pelos corredores da Mansão e vê Alfred de costas no fim de um deles. Ele toca o ombro do mordomo, que se vira, dando um susto em Bruce.

— Patrão Bruce... — diz Alfred, que ao se virar revela-se como um cadáver em decomposição, uma grande marca de tiro em sua testa — No fim, todos somos vítimas de suas ações!

— Alfred... — diz Batman, mas então ele realiza todo o cenário — Não! Você, mais do que todos, sempre soube dos riscos em me seguir. Eu o deixei livre para partir, assim como os outros são livres. Esta batalha é minha! — O Alfre-zumbi se desintegra e Batman corre para a porta de saída, onde é barrado por seus 'pais' — Você não me engana mais... Eu não fui responsável pela morte deles. Aquele bandidinho imundo foi e minha cruzada é fundamentada em pegá-lo e fazer com que ninguém mais em Gotham sofra o que eu sofri!

Os fantasmas desaparecem em um sopro de fumaça, e Batman finalmente abre a porta de saída, dando de cara com o interior da Torre Negra.

Super-Homem voa até o alto do labirinto, mas as paredes sobem até o teto, não restando nenhuma saída. Ele percorre os corredores, quando de repente um grito familiar o atinge:

— Clark! Socorro!!! — grita a voz de Lana Lang em algum lugar.

Kal-El acelera seu vôo e tenta usar sua visão de raio-X e telescópica para encontrá-la, mas elas começam a enfraquecer gradualmente até falhar. Intrigado ele se concentra na superaudição, mas os sons agonizantes de Lana começam a diminuir até desaparecerem. Clark tenta voar mais rápido, mas vai gradualmente descendo, até cair no chão, completamente sem poder. Ele corre desesperado e encontra Lana ao virar em um corredor.

— Lana... — diz ele desesperado ao encontrar a jovem caída no chão, ofegante. Ao seu lado os corpos inertes e maculados de Jonathan e Martha Kent — O que aconteceu? Quem atacou vocês...

— Cuidado, Clark... Ele está atrás de você... — diz Lana em um fôlego frágil e então morre nos braços de Super-Homem.

Enfurecido ele olha ao redor e vê uma figura envolta em sombras, sorrindo sinistramente de sua perda. Ele parte para cima do inimigo e começa a golpeá-lo. Porém o inimigo é mais poderoso e demonstra ter todos os poderes de Kal-El, que é facilmente subjugado. Super-Homem fica a mercê do inimigo, que está prestes a executá-lo com sua visão de calor, quando de repente Flash, Mulher-Maravilha, Caçador Marciano e Aquaman surgem.

— Calma aí, Super, a cavalaria chegou! — grita Flash, dando um soco supersônico no inimigo.

O ataque combinado dos quatro justiceiros vai aos poucos destruindo o inimigo ilusório, que desvanece em uma explosão de luz. Kal-El sente seus poderes retornarem e soca uma parede, que rui e revela uma escadaria.

— Vamos por aqui...

Rasputin Palmovitch sai de um corredor e dá de cara com uma sala gigantesca, onde outros corredores também desembocam. Ele observa o local sinistro, coberto em sombras e com poucas áreas visíveis, quando escuta uma aproximação e se esconde em uma fenda da parede. Lanterna Verde entra flutuando no salão, sua luz esmeralda brilhando intensamente, mas não conseguindo vencer a escuridão.

Tovarisch! — grita Átomo, saindo de seu esconderijo — Que felicidade encontrá-lo! Onde estão os outros?

— Eu não sei, mas imagi...

— Eles devem estar a caminho também — interrompe a voz soturna de Batman — Creio que eles passaram pelas mesmas provações psicológicas que nós no labirinto — diz ele, caminhando até os colegas de equipe como uma sombra viva, apenas as lentes de seus óculos de visão noturna e o morcego acinzentado no peito visíveis na escuridão.

Neste instante Flash, Mulher-Maravilha, Caçador Marciano e Aquaman surgem de um corredor, acompanhados por Super-Homem, que voa distraído atrás deles. Assim que a Liga se reúne, um grande abalo chacoalha o salão, e uma imensa criatura começa a surgir do solo, quebrando o chão de pedras.

Super-Homem vê um grande monstro kryptoniano emergir do fosso, seus tentáculos metálicos batendo estrondosamente nas paredes do salão. A Liga parte para cima da criatura e cada integrante tenta um ataque individual. Aquaman atira contra os tentáculos do Kraken gigante com seu poderoso tridente. Mulher-Maravilha agarra uma das cabeças da Hidra e a bate fortemente contra o chão. Flash desvia dos ataques dos tentáculos elétricos e atira pedaços soltos do pavimento contra o inimigo energético. Lanterna Verde cria um escudo contra os disparos de um pequeno Devorador de Sóis, forçando o monstro a retrair-se usando um aríete esmeralda. Caçador Marciano observa atônito os tentáculos de fogo da besta marciana supostamente extinta, e pensa na melhor forma de abordá-la. Batman lança seus bat-rangues contra as cabeças-metralhadoras da impossível máquina de guerra parada à sua frente. E Átomo observa a quimera genética que rosna furiosamente em seu rosto. Ele se miniatura ao tamanho de célula e adentro o corpo do animal pseudomítico, observando reações que o formam.

— Há algo terrivelmente errado com tudo isso...

Em sua lúgubre sala de tortura Dr. Destino observa satisfeito os oito monitores que brilham as imagens do salão logo abaixo, cada um mostrando um herói da Liga contra seu inimigo monstruoso.

— Ah, pequenas e frágeis mentes...

O Homem-Cinza grita silenciosamente dentro de sua esfera de contenção. Ele bate fortemente contra a superfície prateada, mas nada acontece. Alissa se aproxima e toca a esfera, que lentamente se dissolve.

— Eu sei que você não quer o meu mal... Mas John está... doente. Ele não consegue superar sua dor.

— Sim, eu compreendo — responde a criatura cinzenta — Mas eu devo cumprir minha obrigação.

— Eu sei... e não tenho receios quanto ao meu destino. Mas preciso de sua ajuda...

Dr. Destino caminha lentamente entre os integrantes da Liga, que estão desacordados no chão, gemendo e se contorcendo como se estivessem tendo um pesadelo. Ele pega um cabo de vassoura quebrado do chão e se aproxima da Mulher-Maravilha, preparando-se para impalá-la. Quando sua mão desce no golpe decisivo, um punho o impede. Flash olha furiosamente para John D., encarando sua máscara cadavérica.

— Não tente brincar nos sonhos de alguém que tem 300 ciclos de sono por noite.

— Você acha que está acordado? — diz Dr. Destino sinistramente, disparando um pulso mental que repele Flash. O restante da Liga também desperta, mas a sala já está totalmente modificada, lembrando um antigo castelo medieval. — Vocês não deveriam ter vindo até aqui! Minha vingança será levada a cabo, mesmo que eu tenha que destruir a Liga da Justiça junto!

Um grande bloco de pedra se solta do chão e tenta prensar Super-Homem e Mulher-Maravilha contra a parede. Batman e Flash tentam se aproximar de John D., mas pilares e blocos se colocam em seu caminho, desviando-os. Lanterna Verde e Aquaman disparam contra diversos projéteis feitos de ladrilhos que se lançam sobre a dupla, enquanto Átomo e Caçador Marciano usam suas habilidades contra monstruosas projeções da construção que tentam esmagá-los. Batman observa o campo de batalha e realiza que os impactos e ataques são muito reais.

— Cuidado! Estes ataques são reais! Aparentemente a proximidade com o inimigo intensifica o poder do ataque.

— Inimigo? Eles são meus inimigos! — grita Dr. Destino, fazendo um gesto que abarca todos os médicos capturados no hospital — E agora vocês são meus inimigos! Inimigos do Doutor Destino!

Super-Homem e Mulher-Maravilha resistem à pressão do bloco que os prensa, mas Destino aumenta a força e os esmaga contra a pedra. Flash é preso em um circulo de pilares, enquanto Lanterna Verde e Aquaman são atingidos pelas rajadas de ladrilhos. Caçador Marciano e Batman lutam lado a lado contra as projeções de alvenaria, mas são encurralados e começam a receber diversos golpes. Átomo consegue se esquivar dos ataques e disparos e se aproxima de John D. pronto para derrubá-lo, mas assim que aumenta sua massa para o golpe final, Rasputin é preso em uma bolha cristalina de onde não consegue sair. Aos poucos a prisão energética vai diminuindo, pronta a esmagar o herói.

— Acharam que seria muito fácil, não acharam? — diz Dr. Destino, observando os heróis caídos.

— John! — grita Alissa, entrando na sala e se aproximando do marido — Você não pode fazer isso, meu amor. Você não é assim!

— Eu quero vingança, Alissa. Vingança pelo que fizeram a você... eu quase te perdi...

— Não jogue a culpa do destino sobre os outros, John. Você sabe que a vida é cheia de surpresas, boas ou más...

— Eu sei, mas... Argh! — grita John D., seu corpo caindo inerte no chão. Logo atrás dele o Homem-Cinza o observa, abaixando sua mão — Ele agora não poderá causar mais danos...

— "Não se preocupem, ele está sob controle" — diz J'onn, observando John Doe deitado em uma maca — "Estou inibindo sua atividade cerebral, deixando o mínimo funcional".

— Meu trabalho aqui está terminado então... — diz o Homem-Cinza — O acordo está cumprido... meu dever me aguarda. Há muitos e muitos anos fui encarregado pelas forças divinas a encaminhar a energia onírica dos mortos de volta ao mundo dos sonhos. John Doe quebrou a ordem natural ao tentar manter Alissa aqui. Minha missão é levá-la ao seu descanso final. Vamos?

— Sim... — diz Alissa, olhando para John — Meu tempo aqui terminou. Adeus, John, meu amor. Que sua vida tenha mais paz agora...

Alissa dá a mão para o Homem-Cinza, que a leva para um portal iluminado, por onde os dois desaparecem. Do lado de fora a bolha cristalina se dissipa e revela o Hospital. Os militares entram e vêem a equipe médica que vai acordando aos poucos. Eles chegam ao saguão principal e vêem a Liga cercando John Doe.

— Ele é todo seu, General — diz Super-Homem, fazendo um aceno de cabeça para o homem na maca — Mas ficaremos de olhos, caso seus poderes saiam de controle novamente.

— Ou caso o uso destes poderes forem além da mera pesquisa — diz Átomo, com certo ressentimento na voz.

Alguns militares vasculham o local e uma equipe remove John D. do prédio. Alguns batem continência para o Lanterna Verde quando este passa, procurando por alguém.

— Karl? — diz Jordan ao se aproximar de jovem ex-assistente de John D. — Você está bem?

— Kyle? Uau, você é um herói cara! Nossa, minha cabeça ainda está rodando e parece que eu levei uma surra, mas acho que estou bem sim.

— Que bom, não gosto de ver meus amigos sofrendo...

Epílogo 1: Floresta Negra — Alemanha — Europa

— Eu, com certeza, não quero que as coisas que eu vi em Washington se tornem realidade... — diz Super-Homem, sobrevoando a floresta em chamas. Ele utiliza seu supersopro para apagar uma grande área incandescente.

— Meu 'sonho' era... imperfeito... — diz Mulher-Maravilha, que carrega um grande tonel de água, despejando-o em outra parte da floresta. — Minha missão estava finalmente cumprida, mas eu me tornei algo que não queria, e algo que eu acho nunca mais quero ser...

— Você é uma mulher misteriosa, Diana. Tão bela, mas com segredos tão profundos... — diz Super-Homem, olhando para a parceira de equipe. Os olhares deles se cruzam rapidamente e ambos desviam o olhar, continuando a combater o incêndio.

Epílogo 2: Galpão de Engenharia — Sephiroth — Omolu

— As técnicas atlantes de tratamento de vidro contra grandes pressões foi essencial para esse projeto, Orin — diz Lanterna Verde observando a grande janela frontal de uma nave.

— Uma tecnologia milenar — afirma o Monarca Atlante.

Um raio vermelho percorre toda a estrutura, enquanto Aquaman, Lanterna Verde e Caçador Marciano observam atentos. Flash finalmente pára ao lado deles e dá seu diagnóstico.

— A estrutura parece bem sólida, nenhuma brecha na estrutura principal e todos os parafusos bem apertados — brinca ele, sorrindo ao dizer o último item.

Os quatro heróis observam a grande nave prateada, em forma de flecha e com um grande cockpit com janelas frontais gigante. Com asas curtas e aerodinâmicas, a nave é impulsionada por dois grandes propulsores em cada asa e um na cauda, confeccionados com a tecnologia Oana adaptada da nave dos Caçadores. (***)

— Um belo trabalho, tovarisch. Digno de nota, com certeza — diz Palmovitch, tocando a superfície prateada. — A nave de nossa equipe: Javelin.

Epílogo 3: Salão de Monitoração

— É fascinante, conforme os gráficos da atividade cerebral, John Doe tem ondas theta elevadíssimas... — diz Rasputin Palmovitch, o Átomo, observando alguns monitores.

Em um grande salão, repleto de monitores nas altas paredes, formando uma grande complexo cilíndrico de monitoração, vemos duas poltronas colocadas de lados opostos, de costas uma para a outra.

— Devido à descarga da máquina construída por Doe para reversão de comas, segundo seus próprios esquemas de construção, seu hipocampo foi alterado... ampliado. As emissões elétricas de seu cérebro podem alterar os impulsos mentais alheios — diz Bruce Wayne, o Batman, sentado na outra poltrona.

— Sim. E com certeza ele possuía algum fator metahumano latente, que foi despertado pela máquina. É a única explicação plausível para a manifestação física das alucinações induzidas...

— A única explicação que podemos dar, por hora... — diz o cruzado de capa, atirando uma foto de John D. sobre o console do computador.


:: Notas do Autor

(*) Nas edições anteriores. voltar ao texto

(**) Como visto em Ultimate LJA # 01. voltar ao texto

(***) Veja o confronto da Liga com os robôs Caçadores em Ultimate LJA # 12. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.