hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 26

Por Igor Appolinário

Zumbido — Parte IV
Revolução

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Kinshasa — República Democrática do Congo

Flash, Caçador Marciano e Aquaman estão cercados por uma multidão em polvorosa. Flash cria uma barreira constante em torno do palácio do Governo da República Democrática do Congo, enquanto Aquaman mantém as pessoas sob controle com o poder do Tridente de Poseidon. J’onn se recosta nos degraus da escadaria se recuperando dos ferimentos sofridos.

De repente, jatos de material químico irritante são lançados contra as pessoas, que correm para se abrigar. Os três heróis olham atônitos para o alto e vêem o Javelin sobrevoando o palácio.

— Vamos! — grita Borracha pela porta de carga aberta — Temos que encontrar Batman e terminar com isso!

Aquaman, Caçador Marciano e Flash sobem a bordo e deixam o local, enquanto a polícia local cuida da multidão que se dispersa.

Sede do Culto de Korll — Troy, NY

Esgueirando-se pela grande mansão após se libertar, Batman entra em um duto de ventilação e, usando um pequeno aparelho, vasculha a ressonância magnética do prédio. Ele chega à saída de ar de uma sala. Sorrateiramente ele desce pela grade e pega o único guarda no local de surpresa, desmaiando-o no ato.

Batman observa a sala, que aparenta ser um laboratório high-tech, mas o que chama a sua atenção é uma grande máquina colunar, que vibra intensamente.

Átomo retorna ao seu tamanho normal após atravessar uma grossa parede de vidro cavalgando fótons de luz. A sala hermeticamente fechada, ele encontra um estranho aparelho, que libera gases e litros de uma substância líquida de odor muito estranho.

— Eu reconheço esse cheiro, mas de onde? — se pergunta o cientista. De repente, um grupo de cultistas, usando trajes de guarda com a mesma tecnologia alienígena, entra na sala e cercam Palmovitch, apontando armas em sua direção.

Chyort voz'mi!

Super-Homem e Lanterna Verde, carregando a Mulher-maravilha em uma bolha esmeralda, chegam à Nova York ao mesmo tempo em que Javelin pousa no gramado em frente à Mansão.

— A situação em Washington está controlada — diz Lanterna Verde, se aproximando de Flash, assim que eles descem da nave.

— Kinshasa estava virando um inferno, mas o rapaz deu uma dispersada na população — diz Flash, apontando para Borracha logo atrás — Mas por que estamos aqui, vocês acham realmente que isso é um tipo de centro de comando de alguma sociedade do mal?

— Uma invasão alienígena — diz Borracha, se aproximando de Super-Homem, agora todos os justiceiros se reunindo em torno dele — Eu estava linkado ao comunicador do Batman e ouvi tudo. (*) A líder deles é um tipo de abelha alienígena e eles querem dominar a Terra. Mas eu sei como impedi-los, nós temos que...

BOOM!

Uma explosão próxima a eles dispersa os heróis. Eles são atacados por uma leva de cultistas que saem da mansão armados com disparadores laser. Alguns usam os uniformes alienígenas e parecem ter melhor pontaria, atingindo principalmente Super-Homem e o escudo do Lanterna Verde.

Kal-El tenta sobrevoar os inimigos, mas assim que levanta vôo, ele perde o controle e se choca contra a parede da mansão, abrindo um grande buraco. Borracha consegue entrar e vê o kryptoniano no chão, atordoado.

— Super-Homem, tudo bem?

— Eu estou meio tonto... Essas armas usam radiação vermelha, meus poderes estão definhando.

J’onn é lançado contra a mansão também e atravessa outra região da parede, caindo próximo a Kal-El.

"Eu ainda estou fraco..." — o Caçador Marciano se levanta e assume uma forma mais voraz e ameaçadora — "Aproveite o tempo que estamos lhe dando e encontre Batman" — diz ele, voltando ao combate ao lado do Super-Homem, enquanto Borracha corre para o interior da mansão.

Palmovitch é escoltado pelos corredores por dois guardas armados. Ele olha pelas portas por onde passa, como se procurasse algo, dando pouca atenção aos dois homens às suas costas. De repente, ele se joga para dentro de uma sala, e começa a apertar os botões em seu cinturão. Os guardas entram logo atrás e começam a atirar contra ele, porém os tiros ricocheteiam em sua pele muito densa. Átomo se miniaturiza e desaparece do local, deixando os guardas perplexos

Batman mexe nos controles da máquina vibratória, tentando acessar os bancos de dados. De repente uma presença se esgueira por trás do vigilante, que se vira de pronto, atirando um afiado batarangue contra o desconhecido.

— Aaaahhhh!!!!

Borracha é preso pelo ombro na parede oposta ao terminal de computadores, com um olhar assustado. Batman olha intrigado para o novo colega de equipe, ainda mais quando o jovem força o ferimento no ombro a se abrir em volta do batarangue para se libertar, e fechando-o novamente, como se nunca tivesse sido aberto.

— Como você fez isso?

— Eu só... pensei nisso — responde Borracha, também intrigado — Mas não temos tempo. Eu sei como acabar com esse culto...

— Você quer cortar o método de controle mental que eles estão usando, provavelmente alguma coisa químico-tecnológica — diz o cavaleiro das trevas, voltando-se novamente para os controles da máquina.

— C-como você sabe?

— Eles são insetos humanóides, provavelmente biologicamente semelhantes a abelhas, portanto... Só me diga o que temos que fazer.

— Eu acho que essa Torre é apenas algum dispositivo de direcionamento. Insetos podem sentir microvibrações, como um sensor. Isso deve ser um tipo comunicador para comandar milhares de pessoas por todo o mundo, depois do controle químico...

BOOM!

A máquina explode em pedaços, que voam pela sala. Borracha se protege trás de um terminal de computador e, quando a fumaça baixa ele olha estupefato para Batman, que retira sua máscara de gás e se dirige para a porta.

— Como... Como você fez isso pelo computador?

— Não foi o computador, só estava me certificando que não ia ferir civis se explodisse essa máquina com as bombas que eu plantei. Agora temos que explodir só mais uma coisa...


Conclui na próxima edição!


:: Notas do Autor

(*) Veja a edição anterior. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.