hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 27

Por Igor Appolinário

Zumbido — Parte V
Confronto

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Sede do Culto de Korll — Troy, NY

Super-Homem, Caçador Marciano, Lanterna Verde, Aquaman e Flash lutam já dentro da mansão contra os soldados de Korll. (*) Kyle cria armas laser e dispara consecutivamente contra os soldados. Usando suas habilidades de soldado, ele consegue desarmar os homens sem ferí-los, usando raios concussivos para derrubá-los. De repente, os soldados e cultistas param de atacar, como se saídos de algum transe.

Jordan olha para Diana na grande bolha esmeralda que a envolve: ela continua a bater ferozmente contra a parede esverdeada, alheia ao que acontece.

— O que houve com eles? E por que a Mulher-Maravilha continua possuída?

Eu cortei o centro de comando deles. (**) — diz Batman, voltando à freqüência normal do comunicador — Mas eles ainda são perigosos, até conseguirmos combater o agente químico que os torna leais à "Abelha-Rainha".

Flash tenta correr para dentro da mansão, mas uma horda de cultistas se interpõe no seu caminho, gritando ensandecidos, fora de si.

— Proteger a Rainha! Temos que proteger a Rainha!!!

Borracha e Batman chegam à porta selada da sala da estranha fonte líquida. O’Brien tenta se espremer por baixo da porta, enquanto Bruce mexe nos controles.

— Droga, não consigo passar! — diz Patrick, voltando a sua forma normal.

— Vamos explodir essa porta.

Calma, tovarisch, eu posso abrir para você por dentro... — diz uma voz pelo comunicador, ao mesmo tempo em que a porta hermética se abre sozinha.

Palmovitch surge na frente dos heróis e eles entram na misteriosa sala. Batman e Borracha observam a estranha fonte líquida e o jovem estica sua mão para tocar no líquido.

— Eu não faria isso, meu jovem. — diz Átomo, segurando seu punho — Na forma líquida é quase inofensivo, mas se vaporizado ou espirrado pode se tornar um forte agente psicotrópico.

— Psicotrópico? — diz Borracha, olhando para o cientista — Então essa é a fonte dos ferormônios da Abelha-Rainha!

— Se destruirmos essa fonte, libertaremos os humanos sobre o controle dela? — pergunta Batman, olhando para o corredor.

— Infelizmente não, tovarisch. Eles já foram submetidos à toxicidade da substância, seus corpos já foram afetados. Mas eu estava trabalhando em um antídoto e acho que consegui. Só precisamos vaporizá-lo sobre os afetados e esperar que ele contra-ataque os efeitos dos feromônios.

Super-Homem soca o chão do salão principal da mansão, criando uma fenda no concreto. Lanterna Verde arrasta os cultistas ensandecidos para dentro do buraco, tirando-os do caminho. Flash e Caçador Marciano avançam pelos corredores e encontram a passagem secreta para o nível inferior, seguindo para dentro do complexo tecnológico do korllianos.

"J’onn, eu cuido dos cultistas." — diz Aquaman telepaticamente, usando o Tridente de Poseidon para manter uma barreira energética em volta da pequena cratera. A bolha com a Mulher-Maravilha, flutua levemente ao seu lado.

"Cuidado, Orin, não sabemos se ainda existem mais soldados escondidos." — responde o Caçador Marciano, percorrendo os corredores ao lado dos outros justiceiros. Eles chegam a um grande salão escuro, com um único grande trono iluminado ao fundo.

— Impressionante... simples simióides passaram por meus valorosos guardas e adoradores e chegaram aqui, aos meus pés. — diz uma voz envolvente, porém maligna, vinda do trono, da figura envolta em vestimentas púrpuras.

— Isso acaba aqui! — grita Super-Homem para a estranha figura — Você vai parar agora com essa loucura mundial e abandonar o planeta. Ele não pertence a vocês!

— E nem a vocês, meu caro... — diz Zazzalla, se erguendo do trono. As vestimentas deslizam para o chão e revelam seu corpo esbelto, recoberto de listras amarelas e negras, pequenos pêlos cerdosos e com dois pares de grandes asas elípticas membranosas às costas — A Terra é a fundação do Multiverso e pertence a seres muito mais evoluídos do que eu ou vocês. E será a mais brilhante e perfeita colônia de Korll.

A Abelha-Rainha ergue os braços e grandes portas se abrem nas laterais do salão, liberando dezenas de soldados contra os heróis. Ao mesmo tempo, labaredas se acendem no entorno, criando um calor infernal e deixando a sala com uma iluminação fantasmagórica.

"Não!!!" — grita J’onn J’onzz telepaticamente, evitando o fogo, que o enfraquece. Super-Homem parte para cima da Abelha-Rainha, que se protege com um campo de força, ao mesmo tempo em que soldados se lançam contra o Lanterna Verde, que é subjugado e acaba perdendo a concentração, libertando a Mulher-Maravilha.

Diana ignora Orin ao seu lado e com um golpe perfura o chão da mansão, abrindo caminho pelos punhos para os andares inferiores, chegando ao salão abaixo. Ela se lança sobre o Super-Homem, afundando-o no chão.

Kyle luta para sair do meio da pilha de soldados e se concentra o máximo possível, lançando seus atacantes para longe. Flash desvia dos tiros e cria círculos de ar para afastar o fogo de J’onn, que começa a perder sua integridade física.

Borracha se estica para dentro do salão pelo buraco aberto por Diana, permitindo que Batman e Átomo entrem no conflito.

— Humanos idiotas! — vangloria-se Zazzalla — Este mundo já é nosso!

— Não esteja tão certa disso, majestade — diz Batman.

De repente, uma fumaça azulada preenche o salão, envolvendo a todos. Diana é pega de surpresa e é atingida em cheio pelo antídoto. Os soldados parecem desnorteados e, andares acima, os cultistas são despertados do seu transe psicótico.

— Não!!! Lutem, lutem por sua rainha! — grita Zazzalla para os soldados, que voltam ao combate de pronto.

— Frio! — grita Borracha para Batman, que enfrenta sozinho uma leva de soldados — Insetos não se dão bem com frio. Por isso as chamas!

— Flash! — grita Batman para o velocista, logo à frente.

— Já saquei!

Flash cria um tufão que apaga as chamas entorno do salão. J’onn se recupera e junto ao Super-Homem usa seus poderosos pulmões para criar uma corrente de ar gelado, abaixando a temperatura geral. Os soldados começam a ceder e ficam mais lentos, alguns caindo no chão e tremendo de frio. Diana acorda do seu transe e olha com raiva para a alienígena, ainda escondida e tremendo de frio, por detrás de seu campo de força.

— < Você me manipulou! Ninguém me manipula!!! > (***) — grita a jovem guerreira, pulando para cima do campo. Ela atinge o aparato com seus punhos e braceletes, e a barreira energética vai aos poucos se rompendo.

Mulher-Maravilha quebra a barreira e avança sobre Zazzalla, encurralando-a em um canto. Ela soca a Abelha-Rainha, que oferece pouca resistência, e pára triunfante sobre o seu corpo, o salto de sua sandália helênica pressionando o pescoço da tirana vencida.

— < Agora o fim que você merece. >

— Não. — diz o Super-Homem, apoiando a mão sobre o ombro de Diana e levemente a afastando de Zazzalla — Ela voltará humilhada, derrotada. Mais uma vez uma súdita sob o comando de outra Rainha.

Epílogo 1 — fora do sistema estelar Sol

Lanterna Verde e Super-Homem observam a naveta Korlliana, que é disparada em direção à Galáxia do Girassol pelo poder esmeralda, e logo depois retornam à Terra.

Será vamos continuar a ser invadidos? — diz o Lanterna Verde pelo comunicador, enquanto singram pelo vazio espacial — Parece que os alienígenas tomaram um gosto pelo nosso planeta. Hum... sem ofensas.

Sem problemas. Mas eu concordo. E o mais interessante não foi o que ela disse, assim como Valor também já havia dito, mas o que ficou implícito...

Epílogo 2 — Kinshasa

Batman e Átomo pilotam o Javelin sobre a população contida pela polícia, liberando o gás antídoto sobre as pessoas.

— Esses são os últimos. — diz o cavaleiro das trevas, dando meia-volta com a nave.

— Finalmente! — diz Palmovitch, recostando-se na poltrona — Felizmente tínhamos o conhecimento de um certo especialista do nosso lado dessa vez.

— Não necessariamente. Eu poderia ter descoberto sozinho...

— Talvez, mas não com a rapidez necessária. Isso só prova que a abertura de nossas fileiras a novos heróis pode ser muito benéfico à Liga, inclusive com a mídia externa.

— Como você disse... talvez.

Epílogo 3 — Omolu

— Mas como você sabia que seu plano daria certo? — pergunta Orin, observando o mar na costa da ilha.

— Eu sou formado em ciências biológicas. — diz O’Brien, coletando algumas conchas vazias na praia — Antes de eu entrar para o IRA, pensava em viajar o mundo e conhecer animais fantásticos. Se eu não tivesse deixando a raiva que eu sentia me dominar, eu poderia ter seguido esse sonho...

— Seus conhecimentos foram realmente importantes nessa batalha. Você é um guerreiro valoroso. — termina o rei atlante, pousando uma mão sobre o ombro do rapaz.

— Obrigado. Ainda bem que eu sempre gostei de insetos... — diz ele, com um sorriso.

Prólogo

— Billy!

Um jovem sai correndo de uma mansão em meio a uma tempestade. Ele chega ao portão da propriedade e olha para trás, para afigura da jovem parada na soleira da porta iluminada.

— < Não, Marie, eu vou encontrá-los! Eles não podem ter morrido assim... > (****)

— < Não me abandone! Não me deixe aqui com ele!!! >

— < Entre, menina desgraçada! >

Uma mão envelhecida pega a jovem pelo ombro e a arrasta para dentro da mansão. O jovem parece aflito, indeciso se continua ou retorna. Uma figura sombria surge na soleira...

KRAKOOM!!!

Um raio corta os céus, dispersando sua luz fulgurante por alguns segundos. Quando o clarão se apaga, o menino não mais espera no portão e a porta da mansão está fechada...


Na próxima edição: Conheça o jovem Billy Batson e a magia de SHAZAM!!!


:: Notas do Autor

(*) Veja a edição anterior. voltar ao texto

(**) Também na edição anterior. voltar ao texto

(***) Traduzido do grego arcaico. voltar ao texto

(****) Traduzido do francês. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.