hyperfan  
 

Ultimate Liga da Justiça # 28

Por Igor Appolinário

Tribo de Kandahq — Egito — 5000 anos atrás

Um homem sobrevoa uma grande pirâmide, contemplando escravos que carregam grandes pedras. Ele veste apenas uma túnica enrolada na cintura, presa com um grande broche dourado em formato de trovão.

— Teth-Adam! — diz uma voz vinda por detrás do homem voador — < Pare com isso! > (*)

O homem se vira, olha para as nuvens logo acima e vê um velho de longas barbas e vestes brancas que o encara com severidade.

— < Saia daqui, velho! Este é o meu reino e eu lido com meu povo como eu bem entender! >

— < Você foi abençoado pelos deuses, Teth-Adam, e deve fazer o trabalho que eles lhe incumbiram! >

— < Você é um tolo, Mago, não pode fazer nada para me impedir! Não pode me forçar a dizer sua estúpida "palavra mágica"! >

O Mago olha para Teth-Adam com um misto de decepção e desgosto. Ele tira das longas vestes um grande colar com um pendente em forma de escaravelho.

— < Não se esqueça que eu controlo o trovão místico. > — diz o Mago, lançando o colar sobre Teth-Adam ao mesmo tempo em que um grande trovão se lança das nuvens acima e atinge o homem — Khem-Adam!

Pairando em meio às nuvens, o corpo chamuscado de Teth-Adam está imóvel, o amuleto do escaravelho pousado sobre seu peito inerte.

— < Você foi abençoado pelos deuses, Teth-Adam, "humano magnífico". Agora, pela sua transgressão, você será esquecido para todo o sempre, Khem-Adam, "humano sombrio". Fique em paz. >

Com um gesto do Mago, o corpo de Khem-Adam é envolto em um sarcófago, selado com o amuleto do escaravelho. O sarcófago despenca pelos céus e é cravado dentro da sala mais profunda da pirâmide abaixo, largado ao esquecimento...

Em Nome dos Deuses — Parte I
A Sabedoria de Salomão

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Ultimate Liga da Justiça
:: Outros Títulos

Auteuil-Neuilly-Passy — 16º arrondissement (**) — Paris, França

Querida Marie,
Eu não posso acreditar que nossos pais simplesmente desapareceram naquela escavação no Egito, sem qualquer explicação. (***) Não posso deixar um monstro acabar com nossas vidas, sem nem ao menos lutar pelo que é nosso. Volto para você assim que descobrir a verdade sobre nossos pais...
Seu sempre,
Billy B.


— Oh, Billy! — a jovem Marie Batson dobra a carta e a aperta gentilmente sobre o peito, sentada na cama de seu quarto sombrio.

De repente, a porta se abre e uma figura sinistra se coloca entre a luz que entra no quarto e a garota. Um homem baixo, careca e usando óculos de grau alto entra no quarto e pega a carta da mão da garota, empurrando-a para cima da cama.

— Moleque maldito! — diz o homem após ler a carta, amassando o papel com ódio. Ele deixa o quarto, o som de pesadas fechaduras se trancando logo atrás dele.

Omolu — Águas internacionais do Atlântico

— Eu acho que de todas as cidades afetadas, Kinshasa foi a mais destruída. (****) — diz Aquaman, apontando um pequeno monitor na grande mesa de vidro da sala de reuniões da Liga da Justiça.

— Já estamos auxiliando os militares locais a reconstruirem a cidade. — diz Flash, sentado em uma das poltronas — Todas as outras cidades já estão recuperadas e os feridos e afetados pela Abelha-Rainha foram encaminhados aos devidos hospitais.

— As jovens que estavam na sede do Culto de Korll foram tratadas contra a influência da Abelha-Rainha — diz a Mulher-Maravilha, em pé, olhando por uma larga janela — Algumas delas não tem família e eu providenciei um abrigo perto da minha residência no mundo monoteísta, para poder ficar de olho nelas.

— Creio estar tudo resolvido então. — diz Batman, se levantando de sua imponente poltrona — Posso retornar a Gotham City...

BOOM!!!

Uma explosão fazer tremer todo o Sephiroth, a base de operações da Liga em Omolu, e um clarão entra na sala pela janela onde a pouco a Mulher-Maravilha se encontrava. Diana se recompõe e olha pelo vidro ultra-resistente, por onde vê diversos aviões de caça se aproximando da ilha. Linhas de fumaça de formam das naves indo em direção ao complexo dos justiceiros, acelerando progressivamente...

BOOM! BOOM! BOOM!

Cairo — Egito

Um grande cargueiro aporta no grande porto do Egito. Aos poucos, seus trabalhadores começam a desembarcar, logo atrás um jovem de cabelos castanho escuros e usando roupas esfarrapadas também deixa a embarcação.

Billy Batson corre para as ruas do Egito, ele começa a falar com as pessoas com o pouco que sabe da língua local, aprendida com seus falecidos pais, os expedicionários e arqueólogos Cécil e Marianne Batson. Ele usa as informações dos locais para descobrir onde repousam seus pais, mortos misteriosamente, e onde era a escavação que os levou ao seu destino trágico... e o porquê.

— < Puxem! > (*****) — grita um capitão para seus soldados, que se agarram a cordas tensionadas que tentam tirar algo de dentro da areia, proximo à pirâmide de Khufu em Gisa — < Em nome de Alá! Suas maricas, puxem! >

Os soldados fazem força nas cordas enquanto outros escavam em torno do grande objeto. Com mais alguns puxões e gritos do capitão, os militares conseguem puxar o bloco para fora da areia. Eles ficam espantados olhando para a grande peça de vidro rústico, o capitão se aproxima e encosta o rosto na peça, tentando ver o que há dentro dela. Ele recua espantando ao ver a imagem do grito paralisado de Theo Adam, solidificado em vidro.


Continua...


:: Notas do Autor

(*) Traduzido do egípcio antigo. voltar ao texto

(**) Arrondissement é como são chamadas as unidade administrativas da capital francesas, os "bairros". O 16º arrondissement parisiense é considerado o mais rico e burguês da cidade, com as mais bonitas e maiores mansões. Auteuil-Neuilly-Passy é um conjunto de "vilas" no 16º, onde ficam as casas mais luxuosas. voltar ao texto

(***) Veja a morte do casal Batson em ULJA # 16. voltar ao texto

(****) Na edição anterior. voltar ao texto

(*****) Traduzido do árabe. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.