hyperfan  
 

X-Men # 06

Por Eduardo Sales Filho

A nave flutua sobre a cidade de Nova Iorque. Com um sofisticado dispositivo de camuflagem, ela se torna invisível tanto para aparelhos eletrônicos quanto a olho nu. Em seu interior, duas vozes podem ser ouvidas.

— Mas Babá, eu já sei usar a armadura!

Apesar de ter trinta anos, o homem fala como uma criança e tem feições infantis. À primeira vista, pode-se imaginar que ele sofre de algum distúrbio neurológico.

— Eu já disse que não, Johnny! — a doce e suave voz feminina parte do interior da armadura ovalada, onde enormes olhos chamam atenção. — Você ainda não está pronto para ser o novo Fazedor de Órfãos!

— Mas...

— Não se atreva a discutir com a Babá...

— Desculpa, Babá. Não faço mais isso.

— É bom mesmo. Agora trate de se comportar direitinho. A Babá vai sair pra fazer umas comprinhas. Não quero nenhuma bagunça quando voltar, entendeu?

— Sim, Babá.

A Babá deixa a nave usando os jatos de sua armadura. Através dos monitores, Jonnhy observa sua partida. "Vou provar pra ela que posso ser o Fazedor de Órfãos", pensa. "Ela vai ver só!"

Bebês

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a X-Men
::
Outros Títulos

— Ainda não sei se essa é uma boa idéia, Sean.

— Já disse pra não se preocupar. As crianças estão precisando se divertir um pouco e este show do U2 veio bem a calhar.

As palavras de Banshee não acalmam Kurt Wagner. Mesmo sendo a favor de que as crianças se divirtam um pouco, Noturno não acha que um concerto de rock seja o melhor lugar para trazer a Geração X.

— ARGH! Angelo, você não tomou banho antes de vir pra cá?

— Não enche, Jubileu. Esse cheiro vêm do Câmara.

"Ei!"

— Parem com isso, vocês três! Estamos em Nova Iorque. O mau cheiro é cartão-postal da cidade.

— Blá, blá, blá... quem pediu sua opinião, Monet?

Chicas, não briguem por uma bobagem dessas. Já disse que o cheiro vêm do Jono.

"EI!"

— Muito bem, galera. Chegamos ao Madison Square Garden. Os ingressos estão aqui. Peguem e se mandem.

— Tá mesmo com vontade de se livrar da gente, né, Sean?

— De maneira alguma, Jubileu. Só quero que vocês andem logo para não perder o início do show.

— Me diz de novo porque a gente veio assistir à uma banda de irlandeses quarentões e não ao Oasis? Ou Offspring? Ou REM? Ou Red Hot...?

— Por que vocês podem aprender muito com a música desses 'irlandeses quarentões'. E também para vocês saírem da mansão e se divertirem um pouco.

— Tá então... vamos nessa, moçada. Não podemos demorar muito senão dá a hora dos vovôs da Irlanda irem dormir.

Jubileu sai do carro seguida por Monet, Derme e Câmara, deixando para trás Noturno e Banshee. Este último engole em seco para não dar uma resposta mal-criada à adolescente.

— Releve, Sean. São só garotos.

— Tá tudo bem, eu só me irrito pelo modo como essa nova geração faz questão de ignorar tudo aquilo que deveriam aprender com o pessoal 'da antiga'. Bem, vamos nessa. Nossos ingresso são para os camarotes.

Sobrevoando o Madison Square Garden, o novo Fazedor de Órfãos analisa seus instrumentos à cata de mutantes com os quais possa presentear a Babá. "O localizador aponta pra´quele grande ginásio ali embaixo", pensa. "Tem quatro mutantezinhos que vão alegrar a Babá!"

Dos camarotes, Banshee e Noturno — usando um projetor de imagens para esconder sua verdadeira aparência — assistem a tudo e se divertem lembrando de sua juventude e de outras bandas que eles viram tocar.

De frente para o palco, a Geração X espera o início do espetáculo. A banda é ovacionada quando surge, vinda dos bastidores. Fogos de artifício e canhões laser anunciam o início do show. Contrariada a princípio, Jubileu começa a ceder ao ritmo da música. Após cantarolar e dançar durante With or Without You e In The Name of Love, ela começa a pensar que talvez tenha sido uma boa idéia comparecer à este concerto. Quando se emociona com Sunday Bloody Sunday, ela tem certeza.

Em meio ao frenesi causado pelas músicas, o público nem estranha quando um homem, usando armadura, sobrevoa à todos, agarra Jubileu e foge. Na verdade todos pensam que isso faz parte do espetáculo. Todos menos a Geração X.

Hermano, acho que aquilo não foi um efeito especial...

"Concordo, Angelo. Monet, vamos atrás da Jubi!"

— Segurem-se, meninos, nós vamos voar! — segurando Derme em seu braço direito e Câmara no esquerdo, Monet St.Croix alça vôo, levando a multidão ao delírio. Ninguém desconfia do que está acontecendo.

Depois de arrancar Jubileu do solo, o Fazedor de Órfãos voa em direção aos bastidores tentando se desvencilhar de seus perseguidores. Assim que entram em um longo corredor, a Geração X se separa, no intuito de cercar o vilão.

— Ô da armadura? — indaga Jubileu — Posso saber o que você quer comigo?

— Você vai fazer a Babá feliz!

— Babá? Você não é meio velho pra precisar de babá?

— A Babá gosta de bebês mutantes! Vai gostar de você!

— Bebê? Quem é que você tá chamando de bebê? Fique sabendo que eu já fui uma X-Men! Fui parceira do Wolverine, sabia? Quem é o bebê aqui?

— Você é engraçada... Eu gosto de você. Vai ser bom se a Babá me deixar ficar contigo... eu não gosto de brincar sozinho.

— De novo essa babá? Droga... Escuta, é melhor você me soltar ou eu vou te machucar.

— Eu não vou soltar.

— Depois não diga que não avisei. Engole isto! — Jubileu dispara seus fogos de artifício, mas o Fazedor de Órfãos nem sente o impacto.

— Gostei. Fez cosquinha... faz de novo!

— Argh! Onde está a Geração X quando se precisa dela?

— Bem aqui, Jubileu! — Monet voa rápido e arranca sua colega dos braços do vilão. — É com você, Câmara!

Um disparo concentrado de energia atinge o Fazedor de Órfãos em cheio, atirando-o contra a parede. Já refeito, ele se prepara para contra-atacar mas é impedido por Derme, que usa seu excesso de pele para cobrir os olhos do adversário. Monet deixa Jubileu no chão e retorna ao combate em velocidade total. Angelo solta o adversário segundos antes dele ser socado por sua companheira de equipe, que o faz atravessar as paredes.

Percebendo a derrota é iminente, o Fazedor de Órfãos decide fugir. "A Babá tinha razão", pensa. "Ainda não sei usar essa armadura direito". Quando a poeira assenta, o vilão não está mais lá. Vendo que não existe mais nada a ser feito, os membros da Geração X voltam ao show e curtem os momentos finais.

Mais tarde, na saída do Madison Square Garden...

— E então crianças, gostaram do show?

— Foi até divertido para um bando de roqueiros quarentões.

— Não acredito que estou ouvindo isso! Jubileu assumiu que alguma coisa feita por alguém com mais de 20 anos é boa? É o fim dos tempos!

— Não enche, Sean! Sei reconhecer coisas boas quando as vejo!

— Ah é? Tipo o quê?

— Tipo... tem um monte de coisas, só não tou me lembrando agora!

— Essa é a Jubileu que eu conheço...

Do outro lado da rua, assistindo à tudo, está Donald Pierce. Através de câmeras espiãs, ele monitorou a batalha da Geração X contra o Fazedor de Órfãos. E acha que é hora de atacar.

A seguir: O Anjo tem de enfrentar os Carniceiros, e para isso conta com a ajuda de Kitty Pryde.

:: Notas do Autor

Termina aqui nosso primeiro arco de histórias. Aguardem para os próximos seis meses aventuras de tirar o fôlego, onde os X-Men vão confrontar seus principais adversários!

Estão curtindo este título? Gostaram desta edição? Então usem o formulário abaixo e mandem sua opinião!

Até o mês que vem!

Eduardo



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.