hyperfan  
 

Super-Homem # 09

Por Josa Jr.

A Kryptonita Azul
Parte I

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
::
Próxima Edição
::
Voltar a Super-Homem
::
Outros Títulos

O telefone toca por cinco minutos sem parar. O barulho é extremamente irritante, especialmente quando você pode ouvir freqüências maiores do que todos os seres humanos conseguem. Ainda assim, Clark Kent continua ignorando as insistentes chamadas de seu aparelho. Sua esposa, Lois Lane, não é tão paciente, e acaba cedendo à tentação de atendê-lo.

— Alô? Jimmy, são quase uma da ma... O quê? Estamos indo agora mesmo!

— O que foi, Lois? — Kent vê a companheira trocando de roupa e pergunta, num tom que denuncia decepção e impaciência.

— Lucy vai ter o bebê! Eu vou ser tia!

— Tia? Ora, então eu vou com você!!

O homem de aço veste seu uniforme, tomando cuidado para levar roupas de Clark em uma mochila. Em menos de dez minutos, o casal chega à maternidade.

— Bem, Lois... Pelo menos dessa vez você não pode dizer que foi a super-audição que atrapalhou.

— Lois! Clark! — Jimmy Olsen sai de um dos quartos da maternidade, sorrindo. — Venham conhecer o pequeno Samuel! Ele acabou de nascer!

Na Torre Lexcorp, uma criatura chora de dor todas as noites. Ele é chamado de Bizarro nº 1, uma cópia imperfeita do Super-Homem, criado nos laboratórios do magnata Lex Luthor.

— Meu amigo, tenho uma missão para você. — Enquanto se aproxima da câmara de contenção do clone, o empresário pressiona um mecanismo disfarçado em suas abotoaduras, que controla parte do cérebro de Bizarro. — Vê? A dor parou, não?

— S-sim... muito melhor para Bizarro... Lex Luthor é o maior amigo de Bizarro nº 1.

— Isso mesmo, meu colega. E os amigos do Super-Homem, são o quê?

— Mim... mim não saber.

— Os amigos do Super-Homem são seus inimigos. Bizarro é o contrário do Super-Homem, entende? — Lex explica sua maligna e manipuladora teoria como se falasse a uma criança. — Tudo que Bizarro faz é o contrário do Super-Homem. Se Bizarro ajudar o homem de aço, a dor volta.

— Mim entender! Mim é o contrário de Superômi! Mim inimigo de Lois e Jimmy!

— Perfeito... — Luthor sorri assim que Bizarro sai de sua prisão, tomando o rumo do Planeta Diário. — Todos eles irão me pagar com a vida.

No quarto de Lucy Lane, Jimmy, Lois e Clark esperam que a enfermeira traga o recém-nascido de seu primeiro banho.

— Onde está Ron, Lucy? — Pergunta Lois.

— Ele está em Washington, lembra? — Responde Lucy — Não consegui avisá-lo ainda. Tive que chamar o Jimmy.

— E eu tive que pegar um carro emprestado para trazer a Lucy aqui. Por que vocês não atenderam o telefone?

— Hã...

Clark e sua esposa se entreolham constrangidos, tentando achar alguma desculpa convincente. Sem pensar muito, a jornalista se explica.

— Estávamos numa festa no vizinho!

— Em plena segunda? — Jimmy se assusta. — Me admira vocês serem os melhores repórteres do Planeta, Clark.

As palavras do amigo são ignoradas pelo homem de aço. Há alguns segundos, Kent havia escutado estranhos sons a alguns metros do hospital. Com sua visão telescópica, associada à visão de raios-x, o herói vê Bizarro disparando seu sopro de calor contra o globo que ornamenta o prédio do Planeta Diário.

— Vou checar o plano de saúde. — O último filho de Krypton sai do quarto rapidamente, colocando o uniforme enquanto sobe pela escada de emergência. — Para o alto, e avante!

— Mim destruir prédios de amigos do Superômi! — O herói escuta as palavras do inimigo e se prepara para uma batalha de igual para igual, pois a criatura tem praticamente os mesmos poderes e força do homem de aço. — Mim destruir amigos do Superôôômiiii...

Antes que possa terminar de falar sozinho, um poderoso e surpreendente soco atinge o clone imperfeito. Pego de surpresa, ele é lançado em órbita.

"Espero que isso contenha Bizarro." — Pensa o Super-Homem — "Fiquei preocupado ao ouví-lo falar de meus amigos. Se ele tem parte das minhas memórias, provavelmente sabe quem são as pessoas próximas a mim. E se isso for verdade, preciso tomar providências maiores que uma simples briga. Ele deve perder um bom tempo tentando achar Metrópolis e, enquanto isso, eu posso fazer uma visita rápida ao S.T.A.R. e outra a Gotham City."

Nos Laboratórios S.T.A.R., a doutora Kitty Faulkner analisa atentamente as formações cristalinas de uma pedra opala. Para o bem da ciência, Kitty não se importa de madrugar mais uma vez, mesmo que tenha de utilizar os mais criativos meios para se manter desperta.

— ...then tears of joy stream down my face, with arms wide open, under the sunlight. Welcome to this place, I show you ev...

— Imaginei que haveria alguém aqui de plantão, mas não imaginei que seria logo você, Kitty. — Fala o homem de aço, entrando por uma janela.

— Olá, Super-Homem. O que o traz aqui?

— Preciso de um traje protetor contra radiação. De preferência, revestido por chumbo. Já existe algum pronto?

— Um traje...? Oh, sim! — A cientista deixa a pesquisa geológica de lado e aponta na direção de outra sala. — Por aqui, Super-Homem.

Maternidade de Metrópolis

— Ele é tão pequeno... — Lois Lane segura o recém-nascido Samuel, contendo lágrimas que lutam para sair. — Eu sou a tia Lois, meu neném, meu precioso.

— Não imaginei que você se emocionaria tanto com uma criança, filha.

— Mãe? — A jornalista e sua irmã sorriem com a chegada da senhora Lane. — Que bom que já deixou o hospital. Onde está papai?

— Lucy, você sabe o que seu pai pensa... — O rosto de Ellie Lane transforma-se numa máscara de tristeza. — Hã... Sobre Ron e essa união.

— Não me importa! — Lucy se enfurece ao ouvir sua mãe. — Eu o amo, casados ou não! Ron é o homem da minha vida!

— Espero que sim, filha. — Ellie tenta sorrir novamente e volta-se para Lois. — E também espero que você e Clark criem coragem para me dar ao menos um neto, hein? Dada a sua reação com um sobrinho, não duvido que você se torne uma ótima mãe. Agora, me deixe dar um beijo neste pequenino.

A sala permance em silêncio, mas quase se pode ouvir os pensamentos e as dúvidas de Lois Lane quanto a ter filhos. Calado, Jimmy Olsen deixa o quarto. As últimas palavras da ex-namorada — "Ron é o homem da minha vida!" — ainda o incomodam.

Gotham City

Do teleportador da Liga, o homem de aço surge na Batcaverna, surpreendendo Batman, algo muito raro em se tratando do maior detetive da Terra.

— Hmmm... — O homem-morcego sussurra um resmungo, sabendo que o kryptoniano pode ouví-lo.

— Desculpe aparecer assim, Bruce, mas é uma emergência.

— Ao menos você não surgiu do solo, como da última vez. — O vigilante levanta-se de seu computador, visivelmente impaciente pela interrupção de seus trabalhos de investigação. — Que trajes são esses? E o que o traz aqui, Super-Homem?

— Essa roupa foi criada pelo S.T.A.R. e me protege contra a radiação da kryptonita. Acho que agora você já deduziu que o motivo da minha vinda é...

— O anel.

Batman dá as costas para o colega, e caminha até o cofre que guarda uma amostra de um dos mais raros elementos da Terra, a kryptonita. Por anos, este anel de kryptonita foi usado por Lex Luthor, com a intenção de derrotar o homem de aço. Felizmente, o herói conseguiu reaver a jóia e a entregou para o morcego.

— Você sabe que não posso entregá-lo tão facilmente.

Super-Homem usa seus supersentidos para localizar Bizarro no espaço, mas é incapaz de encontrá-lo. Desesperado e temendo o pior, volta a falar com o amigo.

— É uma emergência, Bruce. Lhe dei este anel para o caso de algum dia eu perder o controle. Agora, imagine uma criatura com meus poderes... e minha memória, tentando destruir meus amigos. Ela pode ser detida com kryptonita. Você me atrapalhará?

— Bizarro.

— Isso mesmo.

— Tome cuidado com esse anel. — Batman finalmente entrega a jóia para o colega. — Se sua roupa for danificada ou destruída...

— Eu sei. — Super-Homem sorri pela consideração do amigo. — Obrigado, Bruce.

De volta a Metrópolis, Kal-El ainda se pergunta se tomou a melhor decisão para derrotar Bizarro. O filho de Krypton sabe que a pedra pode até matar seu inimigo, mas os riscos de uma criatura tão poderosa quanto o próprio Super-Homem solta pelo mundo são grandes demais — especialmente quando este ser quer matar seus parentes e amigos. Para o homem de aço, sua única vantagem contra Número 1 é a própria inteligência.

De repente, sobre o traje anti-radiação, Clark vê um incêndio no Beco do Suicídio. Com sua visão telescópica, o herói pode enxergar claramente que o fogo se originou no Ás de Paus, o bar de Bibbo, o auto-intitulado "amigo do Super-Homem".

— Droga, tenho que ir até lá... argh! — Antes que possa chegar perto do incêndio, Super-Homem é atingido pelas costas e derrubado. — Ungh...

Caído no chão, o homem de aço vê seu agressor. Bizarro o sobrevoa, próximo ao solo. "Bem, parece que é hora de usar o anel" — ele pensa. Em seguida, abre sua mão esquerda e coloca a jóia em seu dedo médio.

— Bizarro! — Super-Homem se levanta e aponta o punho na direção do inimigo. — Chega de destruição!

— Kryptonita? Então por isso Superômi veste roupa estranha! Deixa mim ver melhor, Super! — Com sua supervelocidade, a criatura surpreende o herói, voando em sua direção. As mãos poderosas de Bizarro nº 1 rasgam o traje, expondo Clark à radiação. — Bizarro não sente nada de kryptonita!

Enfraquecido pela presença da pedra radiativa, o maior herói da Terra prostra-se no chão novamente. Sorrindo, Bizarro caminha na direção do homem de aço, e retira-lhe o anel do dedo.

— Bizarro é o contrário de Superômi! O que enfraquece hômi de aço fortalece mim! Bizarro ser contrário seu. Depois de dar pedra para melhor amigo, mim vai matar Superômi... — O monstro chuta o rosto do herói, fazendo-o desmaiar. — ...e todos os seus amigos!

A seguir: O homem de aço só tem uma forma de vencer Bizarro nº 1. Confira na próxima edição.

::
Notas do Autor

Bem-vindos a mais uma aventura do Super-Homem, leitores. Desculpem o atraso e saibam que prometo que todo mês haverá uma aventura do maior herói da Terra no Hyperfan (não garanto os outros títulos, mas... :P). Como devem ter percebido, existem alguma alterações em relação à continuidade da DC, como por exemplo, Batman ainda possuir o verdadeiro anel de kryptonita.

Isso se explica porque, no Hyperfan, a horrenda fase "Super-Homem Elétrico" foi ignorada por nós, escritores. Logo, muito do que aconteceu lá é desconsiderado em nossa cronologia, como Lena Luthor, a venda do Planeta Diário, etc. De qualquer forma, agora o anel pode voltar a ser do maior inimigo do Super-Homem. Ou não... :)

Por fim, o roteiro dessa história é um pouco inspirado no episódio "Mundo Bizarro" dos desenhos do Super, mas as motivações de Bizarro, o desfecho e a própria criatura são outros. Espero que gostem! E mandem e-mails! Argh!



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.