hyperfan  
 

Lanterna Verde # 21

Por Igor Appolinário

A Nova Tropa do Imperador — Parte XI
A Batalha de Mogo

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Lanterna Verde
:: Outros Títulos

Nova Oa vs. Mogo

Fissuras cada vez maiores surgem na superfície da capital do novo Império. Nova Oa vai cedendo à gravidade de Mogo, que paira a poucos milhares de metros de distância. John Stewart observa a ação gravitacional enquanto tenta contactar Kyle, que ainda está a mercê do Imperador Parallax. (*)

John coloca a mão sobre a caixa esmeralda ao seu lado e olha uma última vez para o colega gigantesco.

Obrigado, Mogo. Obrigado por acreditar em nossa causa.

Kilowog ergue o corpo ofegante de Gullah sobre a cabeça, as chamas do gigante quase extintas, e o lança ao lado dos outros generais da Armada Esmeralda. Os Lanternas Rebeldes e os Darkstars juntam os sobreviventes inimigos enquanto os heróis terrestres cuidam do transporte para Mogo, em meio aos tremores que abalam o planeta.

Kyle estanca o toco sangrando em seu braço direito e continua a usar os poderes dos Guardiões para se proteger dos ataques de Jordan, incapaz de revidar. O Imperador continua seu ataque com disparos de energia esmeralda e rubra, tentando romper a barreira que o separa de seu inimigo.

Uma explosão de energia amarela atinge os dois combatentes, que se separam por diversos metros de terra. Kyle aproveita a folga e usa seus poderes para alcançar Mogo, sendo seguido por Jordan. Na superfície do Lanterna Verde colossal, Jordan e Kyle continuam a mesma dança de guerra, enquanto o jovem Lanterna Verde pensa em uma alternativa ao seu estado defensivo.

Outra explosão atinge os combatentes e dessa vez Sinestro se revela. Seus olhos negros em contraste a sua pele magenta brilham de excitação ao ver seu arqui-inimigo, prontos para tirarem suas diferenças a limpo.

— Sinestro... — diz Jordan, sua voz um vácuo de ódio.

— Olá, Jordan. Vejo que meu aprendiz se tornou tudo aquilo que eu pretendia ser.

— Não sei como você ainda está vivo, mas com certeza será um prazer matá-lo novamente!

— Vamos ver quem vai matar quem!

Explosões de energia esmeralda, rubra e âmbar iluminam a superfície de Mogo. A batalha percorre a faixa de árvores do planeta, queimando e derrubando tudo pela frente.

— Sinestro? — diz John Stewart, aproximando-se de Kyle, enquanto os outros dois digladiam.

— Sim, ele está vivo mesmo. O safado deve ter se escondido durante toda a luta só esperando a hora de pegar o Hal pelas costas.

— Bem, vamos em frente. Espero que isso dê certo. — diz John, entregando a grande caixa esmeralda a Kyle.

— Vai funcionar... tem que funcionar! — Kyle abre o caixão e revela o corpo inerte de Ganthet. Ele retira a cobertura de sua mão amputada e deixa seu sangue escorrer pelo peito do Guardião. Concentrando-se, Kyle une a energia esmeralda que corre em suas veias e toca as energias de Jordan e Sinestro, que são drenadas e lançadas em uma grande forja energética que envolve o corpo do velho Guardião.

As energias pululam dentro da forja, que desintegra o cadáver e o sangue do jovem Lanterna Verde, e começam a produzir diversas formas, que vão suavemente saindo de seu interior iluminado.

John e Kyle observam ao espetáculo de luzes boquiabertos, aguardando o resultado da empreitada. Como uma supernova a forja pulsa intensamente e se consome, deixando os produtos de seu trabalho finalmente se revelarem.

— Assim como profetizado... — diz a criatura de pele azulada que vai entrando no foco de visão dos Lanternas Verdes — morremos e novamente ressurgimos... renascidos.

Diferente dos antigos Guardiões, as criaturas que surgem em frente aos Lanternas são esguias e altas, braços e pernas extremamente longos, cabeças ligeiramente alongadas, pele azul sedosa e brilhante, sem nenhum pêlo. Ao caminhar, de forma etérea e hipnotizante, seus corpos são banhados pelas luzes das estrelas, e relevam marcas brancas, desenhos como tatuagens, por todo o corpo.

— Obrigado, Kyle Rayner. — diz a mais alta e imponente das criaturas — Mesmo sem saber, guiado pelas energias pan-dimensionais que regem o universo, você recriou a forja vital que libertou nossas consciências do limbo etéreo. Eu sempre confiei em sua habilidade, meu jovem.

— Ganthet?

— Eu fui, em outra vida. E a essência de quem ele foi está em mim. Estamos em sintonia com a energia esmeralda novamente.

A criatura estende o braço longo de dedos finos e compridos para Kyle, tocando sua ferida. Espantosamente, ossos, músculos, vasos sanguíneos e nervos se reconstituem espontaneamente, restaurando a mão perdida do jovem Lanterna Verde.

Sinestro cria diversas lâminas amarelas que caem no caminho de Hal Jordan, tentando acertá-lo. Hal desvia das lâminas e atinge Sinestro com golpes sucessivos de luvas de boxe energéticas. Voam pelo meio das árvores, sobrevoando lagos imensos, até atingirem um grande cânion rochoso.

Hal é lançado contra um paredão de pedra, que desmorona sobre ele. Sorrindo, Sinestro se aproxima dos escombros, pronto para desencavar o cadáver de seu arqui-inimigo. Pedras saem voando e atingem Sinestro, enquanto Jordan levanta, levemente rasgado e empoeirado.

Eles se engalfinham novamente, com socos energizados e escudos corporais. Sinestro cria uma espécie de soco inglês pontiagudo, pronto para atingir o estômago de Hal. Um movimento brusco para baixo e... nada. A arma energética desaparece imediatamente antes do golpe.

>> Estoque de energia atingiu nível 0%. Suporte vital atingiu nível 15%. Desligamento emergencial. <<

Hal aproveita a distração e empurra Sinestro, que vai ao chão. Ele cria um grande martelo esmeralda e o desce em direção ao inimigo, mas a arma também desaparece no ar.

<< Estoque de energia atingiu nível 0%. Suporte vital atingiu nível 10%. Desligamento emergencial. >>

Sinestro dá um chute no estômago de Jordan, que cai de joelhos. Ele então dá uma cotovelada nas costas do inimigo, que cai no chão. Hal geme no chão, e quando Sinestro se aproxima, passa uma rasteira que também o leva ao solo.

— Chegou a hora! — dizem os novos Guardiões em uníssono, erguendo as mãos para o céu estrelado.

Mogo e todos aqueles em sua superfície são iluminados por um intenso campo de energia esmeralda, que pulsa e se desintegra, fazendo tudo desaparecer. Milissegundos depois, em um novo pulso, uma explosão silenciosa no espaço, faz Mogo ressurgir no horizonte de Oa reconstruída.


Na próxima edição: É o fim! A Guerra dos Lanternas Verdes chega à sua estrondosa conclusão! Mas quem será o vencedor da maior batalha do universo?


:: Notas do Autor

(*) Veja a edição anterior. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.