hyperfan  
 

Wolverine # 10

Por Rafael Borges

Dinheiro Sujo
Parte II

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Wolverine
:: Outros Títulos

Washington, Distrito de Columbia:

— Senhor Presidente, eu insisto que não leve isso adiante! — exorta Nick Fury, contendo o legendário temperamento que carrega em seu nome.

Há poucas pessoas para os quais o comandante da SHIELD demonstraria tamanho respeito. Mas, além de ser o presidente dos EUA, Lucius Fox é um homem que faz por merecer. Mesmo tendo a informação de que sua cabeça está a prêmio e depois dos atentados que sofreu durante o primeiro ano de governo, o antigo diretor das empresas Wayne não se deixa intimidar.

— Você sabe que eu não tenho escolha, Fury! — retruca o presidente, do banco de trás da limusine blindada que é especialmente destinada ao chefe de estado americano. — O discurso do Estado da União acontece todos os anos. É uma tradição e, se o protocolo não for cumprido à risca, o mundo todo saberá que o país está intimidado.

Do banco da frente, Fury solta um suspiro de insatisfação.

Algumas horas atrás, Wolverine o informou que a misteriosa organização conhecida como Landau, Luckman & Lake ofereceu uma quantia generosa para que ele assassinasse o presidente Fox. O mutante recusou o serviço, mas tem certeza de que outros mercenários não demonstrarão o mesmo espírito cívico. (*)

— Deve haver outra maneira de fazer esse maldito discurso! Uma aparição pública no Congresso a essa altura dos acontecimentos...

— OK, coronel! — Fox o interrompe. — Você tem mais cinco minutos para me convencer, pois já estamos quase chegando ao Capitólio.

Minutos depois:

— Senhora Presidenta da Câmara, o Presidente dos Estados Unidos da América! — Em uníssono, exclamam os dois assistentes. Devido ao tradicionalismo da ocasião, nenhum deles usa microfones, dependendo de suas vozes graves para se fazer escutar por todo o salão.

As portas de madeira centenária se abrem solenemente e o presidente começa a percorrer os poucos passos que o separam do púlpito. Todos os olhares são reservados para Fox, enquanto ele se posiciona sob a imponente bandeira americana que adorna o ambiente.

Além dos senadores e deputados, representantes desta casa legislativa, os cinegrafistas dos telejornais se preparam para captar cada palavra proferida por Fox nesta tradicional prestação de contas anual e transmiti-las para os milhões de expectadores através do país.

Um dos observadores, entretanto, não se impressiona com a grandiosidade do evento. Tendo se infiltrado discretamente entre os operadores de câmeras, ele retira os fones de ouvido. Entre o som das palmas que recepcionam o recém-chegado chefe de estado, é possível escutar os acordes poderosos da guitarra de Jimmy Hendrix que emanam do mp3 player.

Ele é Marshall Evan Stone III, mas prefere ser chamado pelo nome que adotou: Random.

— OK, todo mundo quieto! — grita, usando seu poder mutante para transformar o braço direito em uma gigantesca arma de fogo de cano duplo. Seu cartão de visitas é um disparo de aviso para o teto. — Vamos terminar logo com isso!

Três metros acima, no mezanino que constitui o andar superior do salão, um dos representantes eleitos que integra a casa fica ainda mais apreensivo que seus companheiros. Ele volta seu olhar para o homem que o acompanha, enquanto tenta se proteger dos disparos.

— Eu ainda não acredito que concordei com isso depois de tudo o que passei com os X-Men! — reclama o Senador Kelly, assustado. — Você disse que, se o deixasse entrar como meu guarda-costas, não haveria problemas!

— Nada disso, xará! — responde o baixinho ao seu lado, retirando o paletó preto que usou para se passar por funcionário da segurança. — Eu disse que, se você me ajudasse, eu resolveria qualquer problema que pudesse aparecer! E é isso que eu vou fazer!

Enquanto Wolverine se prepara para o combate, Random, abaixo, continua tentando abrir caminho até o presidente com disparos. Os agentes da SHIELD que tentam impedi-lo são atingidos sem piedade por disparos fulminantes.

— Vocês estão de brincadeira comigo, né? — o mutante continua seu avanço, soltando mais e mais provocações. Todo seu corpo é composto de material maleável e absorve os disparos dos seguranças — Sou capaz de me adaptar a qualquer ataque que mandem sobre mim!

Como que em resposta ao mercenário, Logan se lança ao ar. Enquanto salta do andar superior do salão sobre Random, ele ejeta suas reluzentes garras de adamantium. Com um movimento rápido, o mutante canadense decepa os dois braços de seu oponente, antes que qualquer reação possa ser esboçada.

— Quero ver você se adaptar a isso, xará! — esbraveja o x-man, recuperando-se do salto espetacular.

Marshall cai aos berros! A dor o faz perder o controle sobre a protomatéria que compõe seu corpo e lhe concede seus extraordinários poderes. Lentamente, ele vai perdendo a consistência física e revertendo a pouco mais do que uma gosma no carpete azul.

— Protejam o Presidente! — ordena finalmente um dos agentes que não foi atingido por Random. — Levem-no daqui já!

— Nada disso, amiguinho! — a voz irritante é do inconfundível mercenário conhecido como Deadpool.

Aproveitando-se da confusão criada por Random, ele usou o dispositivo de teleporte que carrega em seu cinturão para se aproximar de Lucius Fox. Antes que os seguranças possam se dar conta do que está acontecendo, o mercenário insano desembainha suas duas espadas. Como um bailarino sanguinário, ele aproveita o mesmo movimento e atravessa o tórax de dois dos agentes.

— Eu sabia que não ia ser tão fácil... — esbraveja Wolverine.

O mutante solta um grito gutural e corre de peito aberto para enfrentar seu novo adversário. Essa tática se mostra pouco inteligente quando Deadpool saca uma pistola e dispara quatro tiros certeiros.

— Você se deu bem na preliminar, x-man! — desafia o mercenário, em seu tradicional uniforme vermelho sangue. — Agora, quero ver como vai se sair contra um profissional de verdade! Ou será que o lendário Wolverine vai amarelar?

Conforme se aproxima, as balas começam a retardar o avanço de Logan. Quando já está quase em frente a Deadpool, ele finalmente cai de joelhos.

— Ajoelhe-se perante Wade! — berra o mercenário, usando seu verdadeiro nome como referência ao General Zod. Percebendo a chance de vitória, ele deixa de lado, por um momento, o presidente. — E pensar que me disseram que seu fator de cura é quase tão poderoso quanto o meu! Propaganda enganosa...

A característica falação é interrompida subitamente quando Wolverine desfere um gancho de direita e usa suas garras para abrir um rasgo no abdômen de seu oponente.

Antes que Deadpool possa se recuperar, Logan recolhe as lâminas de adamantium e enfia a mão por entre suas as tripas expostas. Uma vez dentro da cavidade torácica do mercenário, Wolverine ejeta suas garras mais uma vez, perfurando o coração.

— Vamos ver quanto tempo você demora pra se recuperar dessa!

O mutante canadense parte, cambaleante, para os corredores do Capitólio atrás de Lucius Fox, deixando mais um inimigo à mercê dos agentes da SHIELD. Mesmo ferido, ele capta um aroma conhecido, mas que não é capaz de identificar.

— O Presidente! — grita uma secretária histérica, no meio da confusão.

Quando Wolverine atravessa a porta de acesso, ele percebe que é tarde demais.

No fundo do corredor, ele assiste a Elektra retirar cuidadosamente a adaga que atravessa o tórax do Presidente. Caprichosa, ela limpa o sangue que escorre pela lâmina em uma das diversas tiras de pano que adornam seu uniforme vermelho.

A ninja assassina não diz palavra alguma. Ela apenas observa o atônito x-man por um momento, como que se gabando de sua realização. Quando esse momento chega ao fim, a mulher lança uma cápsula de fumaça ao chão e desaparece sobrenaturalmente por entre a névoa.

Ainda debilitado pelos disparos que recebeu, Logan cai de joelhos novamente. Desta vez no mármore frio do corredor.

Com o presidente morto, resta a ele apenas a chance de se vingar da LL&L e, principalmente, de Zoe Culloden.


Na próxima edição: Wolverine finalmente perde a calma.


:: Notas do Autor

(*) Como visto na última edição. voltar ao texto

Marshall Evan Stone III, o Random, foi uma criação de Peter David e Joe Quesada como um coadjuvante para as histórias do X-Factor. Sua primeira aparição aconteceu no número 88 da revista americana X-Factor. No Brasil, essa edição foi publicada em junho de 1996, em X-Men # 92 da Editora Abril.

Wade Wilson, o Deadpool, foi criado por Rob Liefeld e Fabian Nicieza quando a dupla ainda era responsável pelo título americano dos Novos Mutantes. Mais precisamente, sua primeira aparição no Brasil se deu na edição 72 da revista dos X-Men publicada pela Abril em outubro de 1994. No início de sua carreira, Deadpool não era um cara tão bem-humorado como viria a se tornar em sua série escrita por Joe Kelly. Wade era apenas um mercenário frio.

Elektra, a célebre personagem de Frank Miller, foi criada em 1981 como um antigo interesse romântico do Demolidor que se transformou em uma fria assassina. Sua primeira aparição foi republicada recentemente no primeiro volume da coleção Os Maiores Clássicos do Demolidor, da Panini Books.




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.