hyperfan  
 

Wolverine # 11

Por Rafael Borges

Dinheiro Sujo
Parte III

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Wolverine
:: Outros Títulos

Meia-noite em ponto. O topo do edifício Empire State, Nova York:

Impassível contra o vento que insiste em bagunçar sua vasta cabeleira negra, a ninja assassina não move um único músculo enquanto observa as luzes da metrópole abaixo. Apesar de ter recebido seu treinamento no interior do Japão, Elektra Natchios parece não ter perdido o interesse pela capital do mundo.

Impaciente, ela solta um suspiro profundo, ajeita mais uma vez a esvoaçante bandana vermelha que prende seus cabelos e olha à sua volta. O sutil odor de ozônio é o anúncio que aguardava. Ao seu lado, utilizando um sofisticado aparelho de teletransporte fixado em seu pulso, Zoe Culloden se materializa subitamente.

— Desculpe por deixá-la esperando, Elektra. — diz a última representante da Landau, Luckman & Lake, logo que os átomos de seu corpo voltam a tomar forma — Você sabe como é. Há muitas providências a se tomar em uma transferência como esta.

Elektra não volta seu rosto à interlocutora, mas questiona:

— Suponho, então, que os valores já tenham sido depositados na conta numerada, como instruí.

— Sim, sim! — responde Culloden, provocativa como sempre — Vinte milhões de dólares. Uma quantia pequena para a tarefa que você realizou! A morte do presidente, ainda mais televisionada para todo o país. Só posso te dar meus parabéns.

— Não será necessário! — retruca Elektra.

— Ah, mas eu insisto! — Zoe aumenta seu tom de voz, e agarra a mão direita da ninja abruptamente — Faço questão de apertar a mão da mulher que garantiu a futura dominação dos Estados Unidos da América pela primeira corporação multidimensional a chegar à Terra!

Por um segundo, as feições de Elektra se alteram, revelando sua surpresa. As duas guerreiras se olham profundamente em um momento de tensão que se dissipa tão rapidamente quando se prenunciou.

— Parabéns, mais uma vez! — repete Zoe, soltando finalmente a mão da parceira.

Lentamente, Elektra se afasta da borda do edifício, caminhando para a saída que dá acesso às escadas. Com o pagamento efetuado, não há mais nada a discutir. Seus passos decididos são interrompidos, entretanto:

— Espere! Tem mais uma coisa que eu queria te perguntar! — Culloden exclama e, dessa vez, a ninja volta-se em sua direção para escutar — Quem é você e o que fez com a verdadeira Elektra?

O que se segue a essas palavras é um disparo preciso de energia vindo do aparelho no pulso de Zoe. Quando atinge sua adversária, ele provoca espasmos elétricos em todo o corpo. Os gritos revelam o quão dolorida é a experiência.

— Maldita transmorfa! — esbraveja — Assim que coloquei minhas mãos em você, seu DNA foi analisado! Achava mesmo que poderia me enganar?

Uma bizarra transformação revela a verdadeira identidade da mulher caída no chão, contorcendo-se em agonia. Entre espasmos de pura dor, ela reverte à sua forma original: trata-se da mulher de pele azul conhecida como Mística.

— Logan... — sussurra a mutante, antes de perder a consciência.

Em resposta ao chamado discreto, Wolverine se revela.

Quase cem metros acima, do topo da gigantesca antena que adorna o arranha-céu, o velho canadense salta, soltando um grito animalesco. Em pleno ar, ele ejeta suas garras de adamantium, emanando o característico sibilar de metal:

SNIKT!

Sem preocupação alguma em conter sua ira, ele tem como alvo a representante da LL&L. Àquela velocidade, o x-man seria capaz de partir a garota ao meio. Alguns segundos antes de atingir seu objetivo, entretanto, ela aciona novamente o dispositivo de teletransporte em seu pulso.

O repentino vazio à sua frente faz com que Logan aterrisse de cara no concreto.

— Essa deve ter doído! — Zoe comenta, sarcástica. Segundos após ter desaparecido, ela se materializa novamente, a poucos metros do local de origem — Espero que sirva de lição! Não é assim que se trata velhos amigos!

Não há resposta. Antes que possa dizer qualquer palavra, Wolverine precisa recolocar sua mandíbula no lugar.

— Como você pode se comportar dessa maneira? Depois de todos os serviços que fez para a LL&L? Você foi praticamente o responsável por termos estabelecido nossos negócios nesse planetinha imundo! — prossegue a mulher.

Apenas um grunhido acompanha o golpe que Wolverine desfere contra sua adversária. Como da primeira vez, ela se teletransporta alguns metros para trás e consegue escapar das lâminas afiadas. Em seguida, retoma o raciocínio:

— Eu pensei sobre o assunto e percebi que só há uma explicação para essa sua mudança de atitude. — argumenta — Você não se lembra, não é? Algo aconteceu que te fez esquecer todos os assassinatos, todo o sangue em suas mãos.

Mais uma vez, Logan ataca ferozmente.

— Cala a boca! — grita, descontrolado. Seu fator de cura finalmente recupera parte de seu rosto.

Infelizmente, suas garras insistem em cortar apenas o ar noturno.

— Eu estou aqui para te lembrar do animal selvagem que você é! — provoca a garota, revelando um sorriso maldoso.

O mutante desfere mais um golpe inútil.

— Eu mandei calar essa boca! — ele repete.

Ofegante, Wolverine se detém por um instante. Tamanha é a fúria, que sua visão parece tingida de vermelho. Ele tem olhos apenas para sua sede de sangue.

É hora, então, de confiar em seus outros sentidos.

— Mulheres, crianças. Nunca houve limites para a sua fúria! Pra que se enganar pensando que esses dias ficaram para trás? — as palavras de Zoe o atingem como navalhas. Cada uma delas, aumentando ainda mais seu ódio.

Com olhos fechados, Wolverine se concentra. Usando seus sentidos aguçados, ele é capaz de distinguir o leve aroma de ozônio causado pelo teletransporte.

Com um berro ensurdecedor, ele golpeia novamente. Dessa vez, entretanto, o mutante antecipa as ações de sua inimiga. Guiando-se pelo olfato, ele atinge o dispositivo no pulso de Zoe Culloden no exato momento em que ela se materializa, inutilizando-o.

Segue-se um violento gancho de esquerda, que parte em dois o capacete que escondia as feições da garota. Por entre o sangue que escorre pelas feridas abertas, é possível ver os olhos brilhantes que delatam sua origem extraterrestre.

— Isso é inútil! — ela esbraveja, caída — Lucius Fox está morto! A LL&L dominará a América. Depois, todo o planeta!

— Nada disso, cretina! — responde Wolverine — Da mesma forma que eu substituí sua mercenária pela Mística, Nick Fury conseguiu substituir o presidente por um MVA. (*) Fox está vivo e bem, preparando um belo discurso pra explicar ao país tudo o que aconteceu.

— Não é possível... — resmunga a mulher, no chão.

— Eu entendi que só tem uma forma de manter a LL&L afastada para sempre! — enquanto fala, o mutante se aproxima de sua inimiga — Mandando uma mensagem bem clara do que acontece quando eles mexem com a galera da Terra.

Os olhos escarlates de Zoe se arregalam, conforme as garras de Wolverine se aproximam de seu rosto.

— E você vai ser a minha garota de recados!

Com seus cento e dois andares, quase quatrocentos metros separam o topo de edifício Empire State da Quinta Avenida, abaixo. Essa distância, porém, não impede que os gritos de Zoe Culloden sejam ouvidos pelos transeuntes que se aventuram no centro de Manhattan a essa hora da noite.

Quando Mística finalmente desperta, sua visão ainda está um pouco comprometida. Cambaleante, ela caminha lentamente até se deparar com a mulher que a atingiu pouco antes. Ou o que sobrou dela.

Na beirada do terraço, ela reconhece o vulto de Wolverine, observando a cidade uma vez mais.

— Acabou! — afirma. Ainda debilitada, a mutante coloca sua mão sobre o ombro de Logan, ensaiando um abraço — Ela era a última representante da LL&L. Eles não vão ter coragem de voltar aqui, depois do que você fez!

— Desencosta! — ordena Wolverine.

A mulher se assusta com o tom de voz e se afasta.

— Quando eu voltar a me sentir como um ser humano, eu te procuro. — explica o x-man, categórico — Até lá, prefiro ficar sozinho. Totalmente sozinho.


:: Notas do Autor

(*) MVA são os Modelos de Vida Artificial. Construtos humanóides muito utilizados pela SHIELD em situações de risco e que podem ser controlados à distância. Um mestre da espionagem como Nick Fury sem dúvida saberia que esse artifício poderia ser muito útil para garantir a segurança do presidente Fox. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.