hyperfan  
 

Flash # 03

Por Rodrigo 'Camatz' Nunes

Prelúdio

BEEP

"Oi. Você ligou para Wally West. Após o sinal, deixe seu nome e telefone que eu ligo assim que voltar. Devo estar salvando o dia de alguém. Afinal, sou o Flash, o homem mais rápido do mundo."

BEEP

"Oi, Wally. Aqui é a Linda. Já faz alguns dias que eu (Snif...) sumi. Desculpe, mas eu não saberia como acabar nosso namoro pessoalmente. Olha, nunca temos tempo um para o outro. Sempre estamos ocupados. Acho que temos objetivos muito diferentes e é melhor cada um viver sua vida. Adeus. E feliz (Snif...) aniversário atrasado."

BEEP

O Vigia

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Flash
::
Outros Títulos

No dia seguinte:

BEEP

"Wally, sou eu, Dick*. Soube do sumiço da Linda. Sinto muito. Se quiser conversar, dê um toque. Estou reunindo a velha turma** para acampar no Grand Canyon, OK? Me ligue."

BEEP

Torre da Liga da Justiça, Lua.

Um ser sombrio, com roupas negras e rosto sisudo chega teleportado direto de Gotham City. Com passos decididos, caminha até a sala de monitores. Não há ninguém. Flash deveria estar de plantão.

Acessando os computadores, Batman resgata os últimos pedidos de socorro pelo mundo. Logo, o mapa-múndi acima do painel faz brilhar oito diferentes cidades. Ele cruza os dados com noticiários e analisa cada um deles, chegando a uma inesperada e preocupante conclusão.

Nova York, no prédio do Clarim Diário.

Parker! Onde está o infeliz? — grita o editor do Clarim Diário, J. J. Jameson. — Rino acaba de assaltar dois carros-fortes e o centro da cidade está um caos! E nessas horas nunca se acha um fotógrafo! Parker!

Sem opção, Jameson se vira para o gordo e antigo funcionário do jornal e grita:

— Sales! Largue essas revistas e vá tirar umas fotos!

— Ihhh, Jonah. — Peter Parker surge atrás de seu patrão — Nem manda ele. Ia demorar anos para chegar lá. O Flash já apareceu e prendeu o Rino com os carros-fortes. Foi incrível. Até tirei umas fotos...

Salvador, Bahia, Brasil.

Do alto do Elevador Lacerda, cartão postal da cidade, o Besouro alça vôo. Nos seus braços, um senador grita, desesperado. A polícia, desacostumada com superseres, não sabe como agir. Para piorar, o vilão ainda faz suas exigências em inglês.

Abaixo, a população assiste a tudo num misto de apreensão e fascinação. Até que alguém grita:

— Vixe Maria! Olha! É o "The Flash"! ***

Como um furacão, o herói começa a correr em círculos, cada vez mais rápido. A força gerada é tanta que puxa o criminoso e seu refém para o chão. A queda é amaciada por um colchão de ar. Antes mesmo que alguém possa agradecer, Flash já está do outro lado do mundo...

Miami.

Idosos ricos se esbaldam sob o sol. Ao lado de turistas com suas famílias. Litros e litros de água mineral são consumidos. Local perfeito para um assalto.

As autoridades locais não têm condições deter alguém capaz de se mesclar-se à praia como o Homem-Areia. Dobrando de tamanho na praia, ele assusta e gera pânico.

Em poucos segundos, um vento vermelho passa e devolve todo o roubo para seus respectivos donos. E antes que o Homem-Areia possa entender o que está ocorrendo, Flash já o está levando no vácuo que provoca enquanto corre.

BEEP

"E aí, Wally? Aqui é o Tocha, cara. Aparece aqui em NY para irmos numa boate. Soube que está solteiro! Vamos nos divertir".

BEEP

Tóquio, quatro segundos depois.

O fogo se alastra pelas ruas da capital japonesa. As chamas alcançam vários metros de altura. No centro, um jovem levanta os braços. Acompanhando seus movimentos, o fogaréu também aumenta. Seus olhos faíscam.

O Japão tem vários heróis, mas todos são muito ocupados. Dra. Luz é uma cientista de nível internacional muito requisitada. Solaris está em outra parte do país. Sol Nascente voltou a fazer parte dos Guardiões Globais.

Flash não sabe japonês. Não tem a mínima idéia do que o policial Kenji está falando. Nem tem tempo para tentar entender. Para ele, desde que Linda sumiu, não há tempo para discutir o sexo dos anjos. Só precisa correr o bastante para evitar que crimes, acidentes, injustiças e catástrofes ocorram.

O jovem no centro está vestido com roupa de hospital. No seu pijama, uma etiqueta com um nome: Franklyn. E um "M" ao lado. Provavelmente ele é mutante.

Flash pára. O Homem-Areia, que vinha em seu vácuo, esparrama-se por todo fogo, apagando-o. O herói nem parece pensar a gravidade do seu ato para o vilão. Ele segue e golpeia o jovem mutante pirocinético até fazê-lo cair. E segue por sua cruzada...

Torre da Liga, mais uma vez.

— Caçador.

— É mesmo impossível tentar se esconder de você. — Uma figura verde, com cerca de dois metros de altura e tão forte quanto o Super-Homem surge diante de Batman. É Ajax, o Caçador de Marte. — Algum problema?

— O Flash. Ele e Linda acabaram o namoro. Desde então ele tem agido de modo impulsivo. Agora, não pára de tentar impedir tragédias.

— Cada um tem sua própria forma de reagir às próprias perdas, não?

O comentário irônico do marciano não abala a sisudez de seu colega.

— Não dessa forma, J'onn. Enquanto conversamos, ele prendeu mais três vilões: Arrasa-Quarteirão, em Dallas; Cara-de-Barro em Los Angeles e Shocker, em Chicago. Se continuar assim, vai acabar cometendo algum erro. E eu não permitirei que isso aconteça.

J'onn sabe que não adianta argumentar. E pior, ele sabe que, como sempre, Batman está certo.

BEEP

"Wally, sou eu, Donna****. Estou preocupada com você. Me ligue, tá? Um beijo! Se cuida!"

BEEP

Posteriormente, em Fawcett City.

A diretora da Rádio Whiz pega o telefone e diz:

— Oi, Billy, já acertamos a entrevista de amanhã para seu programa. Eu mesma liguei para a mansão dos Vingadores. Thor confirmou a presença.

:: Notas do Autor

* Dick Grayson, o Asa Noturna.
** Os Titãs originais.
*** Traduzido do Português, já que os personagens do Hyperfan falam inglês. ;)
**** Donna Troy, a Tróia



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.