hyperfan  
 

Flash # 04

Por Rodrigo 'Camatz' Nunes

Duas semanas atrás

Em menos de cinco segundos, todos os ladrões do banco estão sem suas armas e amarrados. Quando as vítimas percebem a situação, o herói está sorrindo, com as espingardas e revólveres numa sacola. Ele acena e parte.

Jay Garrick foi o primeiro Flash. Fez parte da Sociedade da Justiça da América e lutou na II Guerra Mundial. Mesmo assim corre tranqüilo, sem sentir o peso da idade, só o vento em seu rosto. Até que...

A dor no peito é forte. Ele se ajoelha, a mão como quem faz um juramento. E cai, desmaiado...

Com Uma Pequena Ajuda dos Amigos

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Flash
::
Outros Títulos

Torre de Vigilância da Liga da Justiça

A cena não pára de se repetir. O barulho do teleportador, uma mancha vermelha até a sala de monitores, o som de alguém saindo da base lunar da LJA. Uma, duas, milhares de vezes. Desde que se separou da namorada, Wally West, o Flash, o homem mais rápido do mundo, se descontrolou. Passou a se dedicar integralmente ao trabalho, cuidando de todo e qualquer incidente que surge no monitor da Liga da Justiça.

— Oráculo, acionar plano. — diz uma voz soturna num pequeno comunicador.

As luzes no painel de emergências se apagam. Resta apenas uma, marcando Gotham City. E então, o barulho do teleportador, uma mancha vermelha até a sala de monitores e novamente o som de alguém deixando a sede da LJA.

Gotham City, segundos depois

A noite em Gotham está como sempre: um manto negro e úmido. A chuva é pouca, mas contínua. Perigosa e vil para os que vivem nas ruas ou da violência. Romântica para os sonhadores ou os solitários.

O corredor escarlate sabe que esta é uma missão simples. Na pressa, nem parou para pensar por que restava só um ponto vermelho no painel. Ameaça de bomba no alto de um prédio. Era tudo que tinha lido no computador e vinha à sua mente .

Uma pequena caixa de metal. Alguns fios coloridos, como nos filmes. Nada que não possa ser desarmado...

FLAAAAAAAAAAAASSSSSSSSSSHHHHHHHHHHH

Argh! Meus olhos!

A caixa explode num clarão ofuscante. Flash coloca as mãos nos olhos cheio de lágrimas sem enxergar nada.

— Tenha calma-calma-calma... Os efeitos vão passar-ar-ar-ar...

O eco não permite saber de onde a voz amarga vem, mas é evidente a quem ela pertence.

— Batman! O que aconteceu? Onde você está?

— Uma bomba de luz-luz-luz... Era o único jeito de detê-lo sem machucá-lo-alo-alo... O efeito do eco é para você não saber onde estou até que eu diga tudo o que tenho a dizer-zer-zer... Você está sendo imprudente-ente-ente... Pare com essa loucura-ura-ura...

— Você não sabe como estou sofrendo. Se puder evitar que tragédias aconteçam e que pessoas não se sintam como eu, evitarei. Eu tenho o poder, posso lhes dar a segurança de um dia após o outro.

— Não vou permitir outro Hal Jordan-ordan-ordan... *

— Meus olhos...

A visão do Flash começa a retornar, permitindo-lhe divisar algumas sombras.

— Você não pode me deter. É apenas um homem.

— Eu tenho tempo e dinheiro-eiro-eiro... Acredite, eu poderia-ria-ria... Mas prefiro lhe apresentar uma pessoa que você já conhece-ece-ece... Ele é mais-ais-ais... humano-ano-ano...

Wally vê um vulto vermelho e azul, com um capacete metálico.

— Jay?

— Oi, filho. O que houve com você?

Jay Garrick, Joel Ciclone para os não íntimos, abraça seu sucessor. Wally começa a chorar. Nem seus grandes inimigos poderiam lhe causar tanta dor quanto um amor perdido. O Homem-Morcego, mais distante, cobre-se com a capa. Ele conhece a dor de perder alguém.

— Chore, filho. Desabafe. Eu vi as notícias hoje. Você anda descontrolado. Antes de ser um herói, você é um homem. Médicos também ficam doentes. Algumas pessoas tem o mundo a seu pés mas perdem a alma. Eles não sabem que não estão enxergando. Não seja um deles.

— Eu tenho vontade de explodir, de sair e tomar todas, extravasar tudo o que está aqui dentro.

— Mas não será assim que as coisas se resolverão. Amores não terminam no escuro, sozinhos, Wally. Os bons momentos ficam. O tempo fará com que você veja isso.

— Você sabe como eu senti quando meu amor foi embora? Como me sinto no fim do dia? Passamos tantos momentos juntos... Você acreditaria que foi amor à primeira vista?

— Claro, Wally. Acontece a cada momento.

Batman levanta a cabeça e abre a boca, como se fosse dizer algo... Então, vira-se para sua rua, sua cidade, arremessa o batarangue com uma corda e salta do alto do prédio. Ele é o solitário que não vê a noite romântica.

Keystone City, pouco tempo depois

Jay Garrick chega em casa. Sua mulher o espera na cozinha, fazendo pães quentinhos. Para a vizinhança eles são apenas um adorável casal de velhinhos. Ela sorri ao vê-lo. Um avental verde pastel com a frase a melhor cozinheira do mundo o recepciona.

— Como está o pequeno Wally, Jay?

— Abalado. Me lembrou quando tivemos que nos separar durante a guerra... Foi horrível. Mas ele vai ficar bem.

— Que bom. Adoro aquele garoto. Você deixou bons herdeiros. Contou a notícia a ele?

— Ainda não, querida. Ainda não...

Jay senta ao seu lado, com a mão sobre o lado esquerdo do peito. E eles se abraçaram como um adorável casal de velhinhos. Mas não é isso o que eles realmente são?

:: Notas do Autor

* Hal Jordan é o antigo Lanterna Verde da Terra, que enlouqueceu ao ver sua cidade ser destruída e matou vários membros da Tropa dos Lanternas Verdes e quase todos os Guardiões do Universo. Mais detalhes sobre seu paradeiro atual no título Lanterna Verde.

** As referências musicais são propositais. Nada melhor que a música para compreender e preencher certos momentos de nossas vidas.

*** Essa história é dedicada à adorável Rita de Cássia, uma pessoa muito especial na minha vida e atualmente uma grande amiga.

"When I get older losing my hair
many years from now
will you still be sending me a valentine
birthday greeting, bottle of wine
If I'd been out till quarter to three
would you lock the door
Will you still need me
Will you still feed me

When I'm sixty-four
You'll be older too
And if you say the word
I could stay with you"


Trechos da música "When I´m Sixty-Four", de Lennon e McCartney



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.