hyperfan  
 

Flash # 07

Por Rodrigo 'Camatz' Nunes

O Tempo Passa

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Flash
::
Outros Títulos

"Meu nome é Jay Garrick. Eu já fui o homem mais rápido do mundo."

"Fiz parte do primeiro grupo de super-heróis do planeta, a Sociedade da Justiça da América. Lutei na II Guerra Mundial ao lado dos Aliados. De lá para cá, vivi muitas aventuras. Vi amigos e inimigos morrerem. E presenciei a continuidade de meu trabalho..."

"Fui o primeiro Flash. Um supervelocista, capaz de atingir qualquer lugar do mundo em pouquíssimo tempo."

"Fui... Não sou mais. Recentemente descobri que, devido à idade avançada, terei que parar de correr e me voltar ao que realmente importa: minha amada esposa e meu jardim."

"Mas nada me orgulha mais do que o legado que deixei. Keystone e Central City, as cidades gêmeas, nunca deixarão de ter um velocista para defendê-las. Primeiro foi Barry Allen — que Deus o tenha —, falecido durante a grande Crise (*). O atual é Wally West, talvez o maior entre nós. E falando nele..."

"O vulto vermelho, vibrando em alta freqüência, com o símbolo do relâmpago no peito, pára na minha frente e eu vejo seus lábios se mexerem."

— OiJayháumassaltonagênciabancáriadocentrotrêsmarginaiseoitorefénseuentropelosfundosedetenhoosdois
comaspistolasvocêcuidadoterceirocomametralhadoravamoslá!

"E ele parte. Sem poder usar meus poderes, demoro um tempo até entender o que ele disse em hipervelocidade: 'Oi, Jay! Há um assalto na agência bancária do centro. Três marginais e oito reféns. Eu entro pelos fundos e cuido dos dois com as pistolas, enquanto você cuida do terceiro com a metralhadora. Vamos lá!'"

— Meu Deus! Wally não sabe da minha atual condição! — eu grito.

"Sem forças, caio de joelhos nas margaridas e começo a rezar pelas vidas em perigo."

No Centro

Um assalto a banco com reféns. Um crime como outro qualquer, comum a toda cidade grande. Nem chega a ser um problema para quem pode deter uma bala no ar ou tomar a arma do atirador antes mesmo dela ser disparada.

Wally confia cegamente em Jay. E não haveria de ser o contrário. A relação entre os dois é como a de um bom filho para com um pai amoroso. Além disso, eles conhecem um ao outro e sabem de suas capacidades.

O Flash faz exatamente como planejou. Com sua experiência tanto na Liga da Justiça quanto nos Titãs (**), ele sabe que qualquer dúvida ou erro milimétrico pode atrapalhar todo um plano, por mais minucioso que seja.

A passagem pela barreira policial é como se fosse a de uma lufada de vento. Todos sentem o frescor nos rostos, mas nem imaginam o que é. Enquanto canta What a Wonderful World, Wally transpõe as portas giratórias do banco, vibrando através delas.

Antes que elas explodam, resultado da vibração de suas moléculas, ele passa por dois dos assaltantes e lhes toma as pistolas. Trabalho fácil.

Ele pára.

Se vira.

E sorri para Jay Garrick que está, obviamente, pensa ele, desarmando o terceiro comparsa com a metralhadora.

Mas Jay não está lá.

O sorriso se desfaz. Os projéteis se propagam pelo ar, cuspidos pelo cano serrado. Vítimas em potencial, os reféns nem sabem o que se passa. São rápidos momentos, mas de hesitação. Wally nunca esperaria estar nessa situação. Jay não erra. Não falha. Ele é um ídolo de um super-herói. E mitos sempre estão onde nós os esperamos.

Mas não dessa vez.

Wally pisca, suas pálpebras descem.

E sobem apenas para ver as balas paradas no ar. Inertes. Todos estão como estátuas. Todos, menos um. Uma figura dourada, que reflete uma luz grandiosa. Usa um saiote antigo, ombreiras metálicas e carrega um cetro. Os cabelos longos e encaracolados são os mais perfeitos que seus olhos já viram. Seu carisma é incomensurável. O sorriso com dentes alvos. As sandálias com pequenas e detalhadas asas batendo no ar — seus pés não tocam o chão! O capacete prateado com aba circular lembra o de Jay.

— Eu sou Hermes, filho de Zeus, senhor de todo o Olimpo. E minha presença deve agraciar seu coração, mortal.

Wally sabe que os deuses grecoss retornaram (***), buscando glória, poder, devotos. Mas a última coisa que ele esperava após a ausência de Jay era ser ajudado por um deles.

— Sou o senhor dos mensageiros, dos gatunos, da velocidade. Posso impedir o desenrolar do tempo, como podes ver. Ou posso avançá-lo até as lanças flamejantes atingirem os corpos mortais indefesos.

O Flash nada fala. Ainda está em choque.

— Mas esse não é meu propósito aqui, aliado de Diana (****). Estou aqui para lhes fazer a maior barganha de tua humilde vida...

Washington

Uma salva de palmas acompanha um homem durante seu breve percurso da cadeira do auditório até a mesa do palco. Ele é forte, negro, com longos cabelos rastafari. Está impecável num terno e gravata azul-marinhos, fazendo um jogo de tons com a camisa mais clara.

Na platéia, Sam Makoa e Meggy Saywer comentam:

— Metrópolis, Honolulu, Los Angeles... Finalmente mais uma cidade ganhou uma Unidade de Crimes Especiais. Central City estava mesmo precisando.

— É mesmo! E Simpson Smith é o agente perfeito para liderá-la.

:: Notas do Autor

* Crise nas Infinitas Terras, onde os maiores heróis do planeta tiveram que enfrentar o Antimonitor.
** Leia também Liga da Justiça e Titãs, aqui no Hyperfan.
*** Acompanhe toda a saga em Mulher-Maravilha, aqui no Hyperfan.
**** Princesa Diana, a Mulher-Maravilha.



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.