hyperfan  
 

Flash # 14

Por Igor Appolinário, sobre um plot de Délio Freire

Isso é... Impulso! (*)

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Flash
:: Outros Títulos

Deserto de Sonora — Região do Arizona — EUA

Em meio ao deserto o calor emana da areia escaldante, distorcendo a visão ao longe. Jay Garrick olha a paisagem nada convidativa como se buscasse algo em meio a solidão tórrida. De repente, um estrondo se manifesta ao longe e, em uma lufada de vento quente, alguém passa correndo velozmente ao lado de Jay. Ele não se perturba e apenas estica o braço, segurando um hambúrguer que some em um piscar de olhos da sua mão.

Logo atrás uma segunda lufada se prenuncia e Jay observa com mais atenção, quando uma jovem passa correndo por ele.

Jay! Pare com os hambúrgueres! — diz Spitfire, correndo esbaforida — Você só está dando mais energia para esse pestinha!

— Ah, qualé! — diz Impulso ao longe, já terminando o lanche — Esse foi só o meu quinto! Estou muuuuito longe do meu recorde.

— Desisto! — diz a jovem parando ao lado de Jay. Ambos se recostam em um velho Buick, o velho Flash entregando uma garrafa de água para a garota.

Impulso faz uma careta e continua correndo, se dirigindo para o Rio Colorado. Spitfire tira sua máscara e olha para Jay, que observam quieto o deserto. Ela tira as luvas e apóia a mão sobre o braço de Garrick.

— Ele está evoluindo muito, você não acha? — diz Jay, pensativo.

— Bem, em todos os nossos anos de experiência nós vimos muitos velocistas e Bart com certeza é um jovem com muito potencial — diz a jovem Spitfire sorrindo ao ver o semblante intrigado de Jay — Não faça essa cara, eu posso parecer uma ninfetinha, mas sou tão experiente quanto você.

Ela se inclina para Jay, insinuante. O velho Flash se esquiva um pouco e sorri desconfortável. Ela brinca com os dedos no braço desnudo de Garrick, que se arrepia. No rádio uma suave canção começa a tocar.

"Though summer turns to winter
And the present disappears
The laughter we were glad to share
Will echo through the years"
(**)

— Jacqueline...

— Se me chamar de Lady Falsworth-Crichton vai levar um tapa...

— Você tem que parar com isso... Eu sou um senhor de 70 anos e você...

— Eu sou uma experiente mulher de 70 anos com o corpo de uma adolescente. Você deveria tirar proveito disso — diz Jacqueline, se inclinando mais para cima dele.

De repente o rádio pára de tocar e uma chamada policial entra na programação:

"Acabamos de receber informações de uma invasão no edifício da KSWTV, a maior emissora de Keystone City. Informantes dentro da polícia dizem que o responsável é o vilão conhecido como Mercenário. Não se sabem as intenções do bandido, mas ele mantém todos os funcionários da emissora como reféns. A UCE de Central City, sua cidade-irmã, está tomando conta da situação e uma equipe liderada pelo agente Simpson Smith cerca o local..."

— Hã... eu estou interrompendo? — diz Impulso se aproximando do Buick, o uniforme completamente encharcado — Não sei por que, mas às vezes não pego o jeito com essa coisa de andar na água... Por que vocês estão com essas caras?

— Bart, você precisa voltar para Keystone. Agora...

KSWTV — Keystone City

Nós sabemos que você é perigoso, mas isso não vai nos impedir de invadir o local. Renda-se e terá um julgamento rápido e justo. Você sabe que não pode fugir deste prédio cercado!" — grita a poderosa voz de Simpson Smith através de um megafone.

Mercenário surge na janela, segurando fortemente nos braços um dos funcionários. Em uma das mãos, clipes esticados apontam ameaçadoramente para a garganta do pobre homem. De repente, uma lufada de vento corta o ambiente e Impulso surge na sala logo atrás do vilão. Em uma fração de segundo, Mercenário lança os clipes contra Bart, que rapidamente se defende com um grosso bloco de notas.

— Ei! Isso pode machucar alguém! — diz Impulso olhando para o bloco completamente espetado.

— Hunf! — Mercenário joga o refém sobre uma cadeira, que se parte em pedaços. Ele pula da sacada da janela e chuta alguns dos pedaços contra Bart.

O jovem velocista gira rapidamente, refletindo o ataque. As peças quase atingem Mercenário, que se esquiva por pouco.

— Toma essa, velhão! — diz o jovem rindo — Agora me diz, quem em sã consciência usa um alvo na cabeça? Desejo suicida?

Mercenário grunhe de insatisfação e agarra diversas canetas sobre uma mesa. Usando-as como dardos, ele as lança contra Bart, que vai desviando do ataque e tentando se aproximar ao mesmo tempo.

— Eu posso ficar desviando o dia inteiro. Você não é bom o suficiente pra pegar um Flash!

— O que vamos fazer, Smith? — pergunta um homem armado até os dentes para o Agente Simpson Smith, que olha pensativo para o prédio da KSWTV.

— Nós vamos invadir. Aquele raio e os barulhos de combate... O Flash deve estar lá. Vamos aproveitar a distração e pegar os reféns. Vamos!

Em um canto da sala os reféns observam o duelo entre o Mercenário e Impulso. Linda Park aproveita a distração do vilão e tenta fazer uma ligação do seu celular para Simpson, que ainda aguarda do lado de fora. De repente, uma farpa de pé de mesa atinge o aparelho e Linda olha assustada para Mercenário, que faz um sinal de silêncio para ela.

— Linda, cuidado! — grita Bart, colocando-se entre os reféns e Mercenário — Quero ver você me pegar, babaca!

Mercenário olha impaciente para o jovem velocista. Bart dispara em sua direção e o vilão pega alguns extratores de grampos de uma mesa e um grande elástico em outra, criando uma atiradeira. Ele começa a disparar contra Impulso que se aproxima cada vez mais, quase que atingindo por pouco os pés dele. Bart ri dos erros e continua, porém Mercenário arma três extratores de uma vez, pegando o jovem de surpresa e prendendo suas botas no chão.

— Droga! — grita Impulso, tentando soltar as botas firmemente presas no chão.

Mercenário olha para os lados e pega algumas tesouras. Ele se aproxima dos reféns, que se encolhem em um canto da sala, e atira as tesouras contra alguns extintores de incêndio, criando uma nuvem de poeira branca que cobre parcialmente a sala. Bart não consegue enxergar nada na sala, mas ouve gritos e um barulho de vidro se quebrando.

Vamos, vamos, vamos!

Os homens de Simpson Smith entram na sala da redação da KSWTV, porém se deparam com a nuvem branca dos extintores. De repente os sprinkles se ativam e a nuvem baixa sobre as pessoas da sala como uma gosma branca melequenta. Bart olha para todos na sala, um isqueiro em sua mão.

— Er... Todo mundo está bem?

— Estão todos bem? — pergunta Smith, checando os reféns — Estão todos nessa sala...?

Os reféns se entreolham, como que contando os presentes e identificando os rostos familiares. De repente um jovem de cabelos vermelhos solta um leve grito e olha espantada para um canto vazio da sala.

— A Linda... ela estava ali. Ele levou Linda Park!

Central City

Em sua cobertura magnífica, Grood observa a paisagem da cidade pelas grandes janelas. Jogada sobre a cama, uma mulher ruiva dorme pesadamente. De repente uma campainha toca, quebrando a contemplação meditativa do grande símio. Grood mal se vira e aperta um botão, que liga a viva-voz do telefone.

— Quem fala?

Sr. Grood... A missão está cumprida. Sucesso absoluto.

— Nenhuma intercorrência?

Um Flash apareceu na cena, mas não era Wally West, tudo correu como planejado.

— Ótimo. A presa?

Linda Park está no local combinado, senhor.

— Excelente...


Continua...


:: Notas do Autor

(*) Os eventos deste conto se passam durante a ausência de Wally West na edição anterior. voltar ao texto

(**) "Moments to Remember" — The Four Lads. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.