hyperfan  
 

Homem-Aranha # 32

Por Eduardo Regis, sobre um plot de Eduardo Regis e Conrad Pichler

Um Passeio em Wakanda

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Homem-Aranha
:: Outros Títulos

— Muito interessante, senhor Parker. Formação acadêmica sólida, experiência vasta com fotografia. Zoologia é uma área de seu interesse? — um senhor grisalho trajando um terno cinza passeia pela sala enquanto examina o currículo de Peter Parker.

— Claro, senhor Brentz. Embora minha formação seja em bioquímica, eu sou um entusiasta da zoologia. Principalmente dos artrópodes. (*) — Peter sorri.

— Excelente. A revista "Natureza Revelada" tem como principal objetivo levar a vida selvagem até o leitor. O senhor se acha capaz de transmitir esse tipo de intensidade? — Brentz vira o olhar para Peter.

— Claro!

Dois dias depois, em algum lugar no oceano atlântico:

— Quanto tempo falta? — Peter pergunta para a aeromoça.

— Senhor, cerca de cinco horas até o destino. — a moça segue seu caminho por entre as poltronas do avião.

— Ei, Dan! Dan? — Peter cutuca seu companheiro de trabalho, o repórter Daniel Lee. — Acorda, cara. Qual é mesmo o itinerário?

— Ah...— Dan Lee, um oriental, coça a cara e boceja — Ah, Peter, acho que pousamos em HuLanKaKhan, ou algo assim e encontramos com MuL–Hatan que nos leva por uma trilha até as florestas de fronteira de Wakanda, aonde ,com sorte, poderemos ver alguns gorilas brancos. É isso.

Peter encosta a cabeça na poltrona.

"No que eu fui me meter? Mato, gorilas e um japonês dorminhoco. E tudo isso por um mês! Eu devia estar em Nova York, caçando os desgraçados do Osborn e do Grant. Mas a grana precisa entrar na casa dos Parker. Infelizmente, lançar teias ainda não paga minhas contas."

Algumas boas horas depois...

— Caramba, Dan! Esse cara já tá andando com a gente faz tempo e eu já tenho tantas formigas e mosquitos no corpo que já dei uns cinco tapas numa marca de nascença que tenho no braço. Tá doendo!

— Calma, Peter. Eu falo bem um idioma Zulu que, por acaso, ele também fala. Ele diz que está nos levando até a fronteira. Eu também não gosto de carregar todo esse equipamento de acampamento nas costas, mas é o único jeito.

— Dan, eu ainda não entendi uma coisa: não seria mais fácil ir direto para Wakanda?

— Seria, mas o Rei deles não está deixando quase ninguém entrar. Vai entender.

Repentinamente, o guia pára. Ele se vira e olha com olhar de peixe morto para Peter e Dan.

— Ahau Hum Lau Wakanda Obala Folili canê. — o guia diz.

Dan olha para Peter e faz cara de quem está se esforçando para pensar.

— Ah! Obala Aê Pondu Iri Tuntara — Dan responde.

O guia levanta a mão em saudação e encosta numa árvore.

— E ai? — Peter pergunta.

— Ele diz que mais um passo é Wakanda, e que aí ele não entra. Vai nos esperar aqui. — Dan se apressa e começa a andar.

— Atum em lata, Miojo e Buquê! — Peter se expressa em sua própria versão da língua Zulu e faz sinal de tchau com a mão para o guia enquanto segue Dan.

Dan e Peter adentram na mata fechada por alguns minutos e param.

— Ok, Peter! Fique de sobreaviso. Tire uma foto de qualquer bicho. — Dan se senta encostado numa árvore, enquanto Peter tira sua máquina e fica atento.

Quinze minutos depois...

Peter não acredita no que vê. Seu dedo aperta repetidamente o gatilho da máquina, captando diversas imagens emocionantes de uma fabulosa lagartixa.

— Que fim de carreira! — Peter esbraveja — Dan! Peguei uma lagartixa — ele olha para Dan e pega o colega dormindo. — Não acredito! Se um mosquito gigante picar você, eu não vou nem ligar!

Peter ajeita a lente da câmera quando seu sentido de aranha dispara.

— Oh–oh! Eu falei de brincadeira. Sem mosquitos–gigantes, por favor!

Parker balança Dan, gritando para que ele acorde. O repórter se levanta ainda em tempo de ver um grande Gorila sendo jogado contra uma árvore. Vários urros bestiais se misturam ao barulho de tiros e de luta. Guerreiros de Wakanda parecem estar lutando ferozmente contra os gorilas.

— Corre, Dan, corre! — Peter grita. Daniel Lee corre o mais rápido que pode e Peter sobe uma árvore. Em poucos instantes, o Homem-Aranha desce em sua teia ao lado de um gorila que está atirando em vários homens. Curiosamente o Gorila parece usar uma roupa de proteção completa e sabe manejar muito bem uma espantosa pistola laser.

— Serviço de recuperação animal, bom dia. Foi daqui que reclamaram de um gorila psicótico franco-atirador gigante? — O Aranha acerta um soco no animal, jogando–o para longe. — Na dúvida, lute com a sua espécie!

O Aranha salta por entre a briga jogando teia na cara de vários gorilas e se desviando de tiros.

— Ei, alguém aqui fala inglês? O que está acontecendo? Qual o quadrado do cosseno da hipotenusa?

Uma voz familiar fala em meio a multidão:

— Criminosos da cidade dos Gorilas estão tentando invadir Wakanda, eles querem roubar nosso vibrânium. Não sei como você veio parar aqui, Homem-Aranha, mas sua ajuda ao meu reino não será esquecida! — O Pantera Negra atravessa o campo de batalha e acerta um poderoso golpe em um dos gorilas.

— Okidoki! Cada macaco no seu galho! — O Aranha pega um tronco caído e atira em cima de alguns macacos. — E o Aranha é o grande vencedor do campeonato inter-espécies de boliche! A macacada vibra! — o sentido de aranha o avisa de um ataque por trás, mas ele não consegue desviar a tempo e é acertado violentamente por um soco. O herói é arremessado contra uma árvore, quebrando alguns galhos — Ai, ui, ai. Doeu.

— Macacos me mordam! Ops! Não! Não me mordam não! — o Homem–Aranha salta da árvore para cima de seu oponente, encaixando uma seqüência de golpes, derrubando–o.

— Ei, Pantera, você vai erguer uma estátua em minha homenagem depois dessa? — o aracnídeo derruba mais um.

— Não abuse, Homem–Aranha. — o Rei de Wakanda derruba dois gorilas e sofre um violento golpe, cambaleando.

— Super-Aranha seu amigo, vai salvá–lo do perigo! — o herói aracnídeo acerta o gorila que atacou o Pantera, jogando-o longe. Assim que o oponente está fora de ação ele se vira e estende a mão para o Pantera. O herói africano segura a mão do aracnídeo, que o ajuda a levantar.

— Ninguém mexe com meu amigo felpudo! — O aranha grita enquanto faz pose ameaçadora para os gorilas.

— Esses malditos não vão desistir nunca. Bem, eu também não! Wakanda, auiriê allun Ogua! — o Pantera se joga contra os inimigos e todos os guerreiros gritam. Diversos homens levantam suas lanças de vibrânium e sacam moderníssimas pistolas.

— Nossa! — o Aranha se lança contra um gorila.

A luta continua por horas. Homens contra gorilas. Os guerreiros de Wakanda lutam valendo-se de sua tecnologia avançada aliada à sua fé e tradições contra a ganância dos gorilas mercenários. O Homem-Aranha não faz parte dessa briga, mas conhece e confia no Rei T´Challa e, por isso, dedica sua força e habilidade ao seu exército. Por fim, os gorilas são expulsos das fronteiras do reino.

O Homem–Aranha bate as mãos e limpa o uniforme.

— Essa foi surreal. Bater em gorilas armados até os dentes. Ainda bem que não tinha nenhum com uma penca de bananas de dinamite

— Estes mercenários já tentaram invadir Wakanda antes. Sempre voltam para a cidade dos Gorilas com as mãos abanando. Mas, diga–me, Homem–Aranha, o que faz em meu País?

— Caramba, Pantera. Hã... não dá pra deixar isso pra lá? Em consideração? Eu juro que já, já pego minhas coisinhas e me mando.

— Não se preocupe, tenho certeza de que suas intenções aqui não são uma ameaça. Além do mais, você foi um aliado valioso nesta batalha. Há algo que eu possa lhe oferecer? — o Pantera se aproxima do Aranha.

— Na verdade, há sim. Eu queria ver um gorila branco. Viu algum por aí?

— É proibido o registro destes seres místicos, Homem–Aranha. Por favor, nunca mais peça isso novamente. É algo que nem o Rei pode lhe oferecer.— o Pantera faz sinal de reprovação com as mãos. — Além do mais, você jamais os encontraria caso não fosse necessário a seu espírito.

— Foi mal! Não está mais aqui quem falou. Já que é assim, minha carona foi embora... e será que dava pra me deixar no aeroporto de HuKalahn — qualquer coisa assim?

O Pantera solta uma gargalhada.

— Mas é claro! Providenciarei transporte adequado para você, mas antes venha comer alguma coisa. Você é meu convidado para o jantar.

Alguns dias depois, no escritório da revista "Natureza Revelada":

— Como? O que é isso? Não é possível! — o Sr. Brentz quase enfarta ao examinar as foto de Peter. — Eu mando vocês para Wakanda e só me trazem três fotos de uma lagartixa e nada de matéria? Eu não acredito na incompetência de vocês!

Dan e Parker se entreolham.

— Culpa dele! — um aponta para o outro.

— Não quero nem saber, os dois estão demitidos! Fora da minha sala! Fora da revista! Agradeçam que eu não vou cobrar a passagem e o hotel de vocês, pois é o que eu deveria fazer!

Queens, Nova York:

— Já era, M.J. Vou ter que procurar outro emprego — Peter se senta no sofá desolado. — Pelo menos ajudei o Pantera a se livrar de uns gorilas malucos. Mózão, você sabia que tem uma cidade de gorilas? Só de gorilas...e dizem que é esquisito um cara subir pelas paredes!

— Realmente é esquisito. Quero dizer, os gorilas são esquisitos.

— Acho que eu vou ter que procurar o velho Jameson. Voltar a tirar fotos do Homem-Aranha. Não é muito dinheiro, mas é suficiente para manter a gente por um tempo. — Peter se mostra muito desanimado.

— Tudo bem. Eu tenho umas economias e assim que a Mayzinha ficar um pouco maior eu posso voltar a trabalhar. Acho que não precisamos recorrer ao J.J.J.

— Uma babá? Quer dizer, se você for trabalhar vamos precisar de uma.— Peter se espanta.

— Ué, gatão. Qual é o problema?

— Sei lá...fico com medo dela ser um clone maluco feito pelo chacal, ou coisa desse jeito.

— Pra isso serve o seu sentido de aranha! — M.J. Sorri e Peter dá a língua como resposta.

— Caramba, gatão! Eu já ia me esquecendo! Em relação ao seu emprego, tenho a solução para você! — ela joga o caderno de classificados em cima de Peter — Olha o que está em vermelho! Achei hoje mais cedo enquanto via algumas coisas para mim.

Peter pega o jornal e lê o anuncio destacado.

"Precisa-se de profissional com qualificação acadêmica para trabalho de divulgação de novos medicamentos em clínicas e hospitais. Horário flexível. 55564–3456"

— Parece perfeito! — ele sorri e agarra o telefone.


Na próxima edição: A velha sorte dos Parker.


:: Notas do Editor

(*) Os Artrópodes são animais invertebrados que possuem membros rígidos e articulados. São o maior grupo de animais existente, representados pelos gafanhotos (insetos), caranguejos (crustáceos), centopéias (quilópodes), embuás (diplópodes) e — claro — as aranhas (arachnida). Sim, eu também sei o endereço do Wikipedia. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.