hyperfan  
 

Justiça Jovem # 13

Por Josa Jr.

O Reino do Agora
Parte I: Verdade, Mentira e Justiça (Jovem)

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Justiça Jovem
::
Outros Títulos

Fawcett City

Atualmente, qualquer pessoa bem-informada sabe que a viagem no tempo é uma realidade. Apesar de não ser algo difundido pelo planeta, os registros de visitantes do futuro chegando à nossa era são diversos, e poucos se mostraram uma farsa. Para os membros da Justiça Jovem, não seria uma grande surpresa a chegada de viajantes do tempo em uma de suas aventuras. O que surpreendeu os jovens justiceiros foi a descoberta de que os visitantes são versões futuras deles mesmos, os membros da Liga da Justiça Jovem.

— Canário Negro? Há! Eu sempre achei que você iria terminar usando meia-calça, Robin! — brinca Superboy.

— Ah, cala a boca! — responde o menino-prodígio — Só porque ele usa esse uniforme do Asa Noturna, não quer dizer que seja minha versão futura. E ele não tem nenhuma meia-calça!

— Na verdade, Robin, — fala Canário Negro — eu sou mesmo sua versão futura. Escolhi esse codinome em homenagem a Oliver Queen e sua amada, já que minha esposa é a Arqueira Verde.

— O quê? — Flechete coloca-se na frente dos outros heróis adolescentes. — Eu casei com o Robin? Isso é ridículo!

— Ei! — responde Robin — Eu sou um bom partido! Acho... Mas, o que vieram fazer aqui?

Princesa-Maravilha caminha e se coloca ao lado de Canário Negro. Ela sussurra algumas palavras no ouvido do líder da LJJ. Com a cabeça, o vigilante concorda e volta a falar.

— Acho que tudo ficará mais fácil se cada membro da equipe conversar com sua contraparte. Nos encontramos na Caverna daqui a uma hora. O que acham?

— Onde está a Mary Marvel do futuro? — Pergunta Garota-Maravilha.

— Hã... Vocês saberão sobre ela... — Canário Negro hesita. — ...assim que conversarmos.

Gateway City — Garota-Maravilha e Princesa-Maravilha

Voando sobre os prédios alterados pelo retorno dos deuses, Cassandra Sandsmark e sua versão futura mantêm-se caladas por muito tempo. Finalmente, a Princesa avista um templo de Zeus e senta-se nas escadarias de mármore, acompanhada da adolescente.

— Eu me lembro de quando isso aconteceu, há dez anos atrás. — Comenta a Princesa-Maravilha, sorrindo. — O primeiro dos retornos divinos.

— O primeiro? Como assim?

— Depois desse retorno que você assistiu recentemente, Zeus e seus filhos tentaram retornar à Terra mais umas cinco vezes. Sempre com resultados violentos. — A face da mulher se altera. — Foi em uma dessas batalhas que Hipólita morreu... e Diana assumiu o trono.

— E você tornou-se princesa.

— É verdade, mas não é sobre isso que devemos conversar. — A Princesa segura as duas mãos de Cassie, para ganhar a confiança da garota. — Precisamos falar sobre os Marvels. Eu sei que Mary é sua amiga, e Júnior parece um bom rapaz, mas...

— O que você quer dizer com "Júnior parece um bom rapaz"? Está insinuando alguma coisa?

— Você se esqueceu que eu sou você? — A mulher sorri, sem obter qualquer reação da Garota-Maravilha. — De qualquer forma, nós viemos até aqui prevenir vocês de um terrível perigo. Um vilão irá tomar o controle das mentes de Mary e Júnior. Provavelmente, ele já fez isso.

— O quê? Você não pode estar falando a verdade! — Cassie se desespera, temendo pela vida de seus aliados. — Que vilão?

— Senhor Cérebro, um dos mais antigos inimigos dos Marvels. Quando tudo aconteceu, eu... — Lágrimas começam a descer dos olhos da Princesa. — Eu temia machucar Júnior e... acabei me colocando contra o grupo. Meu erro custou a vida do Capitão Marvel. Nós viemos ao passado para impedir isso... Você... você poderia corrigir meu erro, Cassie?

Gotham City — Robin e Canário Negro

— Quer dizer que Mary Marvel e Capitão Marvel Júnior são traidores controlados pelo Sr. Cérebro? — Robin ainda não acredita no que sua versão futura lhe contou.

— É verdade, Robin. — responde o Canário Negro — Se não salvarmos a vida do Capitão Marvel, Cérebro conquistará o mundo. Por isso, Batman montou esse plano.

— Eu preciso de provas... Não posso simplesmente enfrentar meus colegas de equipe. — Tim Drake cala-se por alguns momentos, pensando numa informação que só ele próprio poderia saber. — Canário, qual é o meu nome?

— Eu não posso dizer. Me desculpe, amigo, mas existem formas do Sr. Cérebro captar essas conversas em meu tempo. — Canário Negro oferece sua mão para Robin. — Você pode confiar em mim sem passarmos por isso?

— Hmmm...

Havaí — Superboy e Super

Sobrevoando o mar, os dois heróis conversam como velhos amigos. Os assuntos não variam muito e todos eles têm um ponto em comum: mulheres. Por meio de Super, Superboy descobre que, no futuro, o Super-Homem continua na ativa, portanto o garoto de aço não pôde assumir o manto do kryptoniano ainda. Depois de alguns minutos, a versão futura de Kon-El finalmente consegue chegar ao assunto que lhe trouxe ao nosso tempo.

— Eu sei que é complicado. — O homem careca, coberto de piercings, tatuagens e brincos, apóia a mão no ombro do jovem Kon. — A Mary tem as melhores coxas da Terra, mas ela e seu colega devem ser detidos. Graças ao caos provocado pelo Sr. Cérebro, o azulão nunca pôde descansar.

— Que droga, hein? Por isso, ele nunca se aposentou.

— Pois é... e eu nunca fui o Super-Homem.

Caverna da Justiça — Flechete e Arqueira Verde

— ROBIN? — Cissie caminha de um lado para o outro, furiosa consigo mesmo. Por algo que ela ainda não fez, mas teme que um dia faça. — Você não tinha nada melhor, não?

— Você preferia o quê? O Superboy? Impulso? Uma minhoca venusiana que controla o corpo do Júnior?

— Não existem só heróis no mundo!

— Olha, Cissie. Você sabe que o Robin não é tão ruim assim. Você disse que ele é mais leal ao Batman que ao grupo, só que esse tipo de coisa não tem nada a ver com assuntos do coração. — A mulher, vestindo o uniforme original de Oliver Queen, se levanta. — E você sabe disso. Mas eu não vim aqui para discutir meu casamento e sim, para deter os Marvels. O que você pensa sobre esse assunto?

Washington, NY, Filadélfia, Metrópolis, Chicago, Gotham... — Impulso e Flash IV

— QuerdizerqueoRobincasoucomaCissie?

— Como?

— O Robin casou com a Cissie?

— Isso mesmo. Por quê?

— EucaseicomaCassie?

— A Cassie? Não... não casamos... Mas talvez o caminho fique mais livre para você se ela acreditar que Júnior realmente é um traidor, não acha?

Caverna da Justiça — Mais tarde.

Após uma hora de conversa, os membros da JJ e da LJJ se encontram na Caverna da Justiça. As despedidas são breves e os heróis do futuro somem num tubo de explosão. Sem suas contrapartes e Mary Marvel presentes, chega a hora dos jovens justiceiros decidirem que abordagem darão aos problemas envolvendo a Família Marvel. Desconfiado como seu mentor, Robin dá sua opinião sobre o assunto.

— Eles pareceram boas pessoas, mas eu não acho que devamos atacar os Marvels, ou mesmo expulsá-los da equipe. — Tim Drake desconfiou da LJJ desde o começo, mas a confirmação foi o receio de "Canário Negro" em contar sua identidade secreta. — Podemos, talvez, tomar um pouco mais de cuidado.

— Eu concordo com o Robin. — A idéia de se casar com Robin é tão absurda que Flechete sequer refletiu sobre a possibilidade dos Marvels serem traidores. — Talvez eles sejam parte de um futuro alternativo, ou um mundo bizarro, sei lá.

— Você concorda com o Robin porque quer casar com ele, Flechete! — Todos riem da piada de Superboy, exceto os dois "protagonistas". — Mas eu acredito neles, acho que devemos chamar o Caçador de Marte pra uma sondagem mental em Mary e Júnior.

— É uma boa idéia, Super. — Cassie concorda com Kon-El. — Eu também acredito neles.

— Você? — Flechete se surpreende.

— Qual o problema?

— Bom, é que um dos traidores é o Jú...

— Eu acho que devemos prendê-los na Lápide ou na Gruta agora! — Impulso interrompe Flechete. Bart se preocupa mais com a possibilidade de finalmente ter uma chance com Garota-Maravilha que a veracidade dos visitantes do futuro. — Nunca confiei nos dois.

Preocupado com os rumos que a discussão pode tomar, Robin resolve encerrar a reunião e convocar os membros presentes no dia seguinte.

— Pessoal! Acho que nós estamos sendo muito superficiais e infantis quanto a esse assunto! Vocês não acham melhor pensarem mais sobre o que lhes foi dito antes de chegarem a uma conclusão precipitada?

Todos concordam e voltam para as suas casas. Impulso, Superboy e Garota-Maravilha ainda acreditam que Sr. Cérebro controla seus amigos, mas tentariam dar uma chance às idéias de Robin e Flechete. Eles tentariam, se com os três o inesperado não acontecesse.

Superboy toma um banho nas belas praias do Havaí, antes de dormir. De repente, uma flecha ricocheteia em seu braço direito. Ele olha para a direção de onde a seta veio e lá está Cissie. Furiosa, ela grita:

— Superboy, você estava certo! Mas agora é muito tarde! Sr. Cérebro controlará a Justiça Jovem! E toda a Terra!

Impulso dorme na mesa da Caverna, quando um soco no queixo o acorda. Caído no chão, o menino-prodígio se aproxima dele e lhe desfere outro golpe. Ainda confuso com a situação, Bart percebe o que está acontecendo quando Robin sussurra em seu ouvido:

— Aqueles idiotas do futuro não foram capazes de nos deter antes, e não serão agora. Meu mestre, o Sr. Cérebro, controla a mente de quem quiser! Quem não se unir a ele, morrerá.

Garota-Maravilha observa os prédios de sua cidade, perguntando a si mesma se ainda vale a pena seguir a carreira de arquiteta que almejava. Ela queria dar uma "cara" para Gateway City, como Metrópolis e Gotham têm uma. Mas agora, tudo tem um visual helênico, graças ao retorno dos deuses. Antes que possa chegar a alguma conclusão, um poderoso golpe atinge seu corpo, fazendo ela desabar nas ruas de Gateway. Nos céus, uma figura familiar a observa, sorrindo.

— Mary?

— Isso mesmo, Cassie. Una-se a mim, Júnior e Sr. Cérebro ou morra! — Mary Marvel se aproxima de Garota-Maravilha. — E então? O que será?

A seguir: Nossos heróis se enfrentam? Sr. Cérebro no controle mundial? Os membros da LJJ são farsas ou não? Algumas respostas na próxima edição!



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.