hyperfan  
 

Lanterna Verde # 04

Por Josa Jr.

Ilusões e Desilusões

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Lanterna Verde
::
Outros Títulos

— Mestre dos Espelhos!

"Não acredito que, com truques tão simples de espelhos, ele tenha conseguido refletir a luz do meu anel e voltar minhas criações contra mim. Ele quase me fez acreditar que se tratava de algum Lanterna Verde Bizarro ou algo parecido! Demorou um pouco, mas me toquei que o anel dele está na mão esquerda. Na escuridão do Warrior's, não notei que o uniforme também estava invertido.

Bom, então está explicado por que alguns heróis estavam sendo acusados de roubar museus e exposições. Mas agora preciso dar um jeito de derrotar esse cara sem que ele reflita minhas criações... Deixa eu ver, não é complicado. Se ele voltou meu poder contra mim, acho que também posso voltar o feitiço dele contra o feiticeiro.

Vou encher o saco do Flash por causa disso mais tarde. Ele devia manter a Galeria de Vilões dele fora de Nova Iorque. Aliás, não sei como ele não apareceu por aqui, me disseram que o cara não pára mais em casa. Acho que vou conversar com ele sobre isso também. Ele é chato, mas é meu amigo.

Bem, voltando à minha missão: o Mestre dos Espelhos acredita que me nocauteou depois de uma rajada que ele refletiu contra mim. Estou sobrevoando o Warrior's e, com uma minicâmera verde que criei antes de sumir, posso assistir o Mestre dos Espelhos, ainda disfarçado de LV, saindo do prédio com a estatueta do Hulk. Pô, esses seguranças do Guy são uns relapsos! Mas eu já tenho uma ótima idéia do que usar para vencer esse bandido..."

— Hehehe! Esse Lanterna foi fácil. Tomara que algum dia alguém me pague pra matá-lo.

— Parado, Latrina Verde!

— Quem? Ah, claro... você deve ser a Mulher-Hulk! Mas como pode ser você, se eu sou a Mulher-Hulk?

"Logo, duas Mulheres-Hulk estão cara a cara, e o falso Lanterna Verde sumiu. A primeira verdona se assusta com a transformação do Mestre dos Espelhos, enquanto a segunda apenas sorri e se prepara para fugir pelas ruas de Nova Iorque. Agora é minha vez de agir. Desço ao chão e, sorrateiramente, me aproximo da Mulher-Hulk falsa."

— Ei, moça...

"Cutuco o ombro do Mestre dos Espelhos e, antes que ele possa virar totalmente a cabeça, eu o esmurro com toda força. O barulho de vidro quebrando ecoa por todo o bairro, e logo o chão está cheio de pedaços de espelho, juntos a um vilão desmaiado."

— Acho que vou ter sete anos de azar, Jen.

— Boa sorte, Kyle...

"Até que a Mulher-Hulk ficou perfeita. Acho que pouca gente notaria que se tratava de uma imitação criada por meu anel, por isso o Mestre caiu no meu truque. Assim que desfaço a imagem da senhorita Walters, os dois seguranças finalmente aparecem e me avisam que a polícia já está à caminho.

Algumas horas depois, após ajudar no depoimento e limpar todos os cacos de vidro, fico sabendo por meio dos policiais que o Mestre dos Espelhos criou um esquema de venda de obras de arte pela Internet e estava faturando muito com colecionadores do mundo inteiro. Espero que, para reduzir sua pena, o bandido denuncie seus clientes para os federais.

Bem, agora é só dormir que amanhã vai ser outro dia..."

"Chego ao Radu um pouco mais tarde que o normal, e Hal está por lá. Parece que ele gostou do capuccino servido aqui, ou talvez da Allison. Sento ao lado dos dois e ouço histórias da época em que Jordan era apenas piloto de testes da Ferris Aeronáutica. Depois de um bom tempo, minha vizinha se levanta da mesa, meio que contrariada por não poder ouvir mais."

— O papo tá legal, mas eu tenho que trabalhar hoje. Tchau, Kyle. Tchau, Hal.

— É uma pena. Prazer em conhecê-la, Allison.

— Tchau, Allison.

"Ficamos os dois no balcão saboreando nossas bebidas em silêncio. Um pouco sem jeito, Hal pára de beber e comenta."

— Hã... eu preciso de um favor.

— O quê?

— Não sei se você está muito ocupado, mas quando puder, poderia me levar a Los Angeles?

— Acho que não tem problema, vamos hoje. É bom que visito a minha mãe.

— Agora?

— Por que não?

"Eu já enfrentei boa parte dos maiores vilões do universo: Sinestro, Doutor Luz, Starro, Amazo, Despero, Darkseid, Thanos, Mongul e o Devorador de Sóis. Também já enfrentei gente como o Super-Homem, a Tropa dos Lanternas e a Liga da Justiça. E sei que preferia encarar qualquer um deles de novo a enfrentar mais uma vez Carol Ferris.

Mas este é um desafio que não posso evitar. É minha chance de ter uma vida normal, ao lado da mulher que mais amei. Carol será minha âncora, para que eu possa me livrar da vida de fantasiado para sempre. Será complicado, não sei como ela vai reagir por eu ter me escondido depois do meu funeral. Talvez eu tenha tomado a decisão errada, mas agora é tarde... já estou saindo do elevador, pronto para encontrar minha última chance de felicidade."

— Gostaria de falar com Carol Ferris.

— Ela não está no momento, meu senhor, quem gostaria de falar com ela?

— Hal Jordan. Liguei há pouco, para pegar o endereço.

— Ah, sim... Eu posso deixar um recado. A senhorita Ferris tem andado muito ocupada esses últimos dias.

— Acho que vou esperar um pouco...

"Ótimo. Assim posso colocar os pensamentos em ordem. Dizer o quanto ela foi, e ainda é, importante para mim. Falar que um dos principais motivos para eu salvar esse planeta e seus heróis foi o fato dela viver na Terra. Quantas coisas nós passamos... Quando erámos jovens, achei que íamos morrer juntos, mas o anel mudou tudo. Sempre o Lanterna Verde! Quando parecia que tudo ia dar certo, o Lanterna atrapalhava tudo entre a gente... Por isso que larguei essa vida."

— O senhor já está aqui há duas horas. Tem certeza de que não quer um café, ou chá?

— Hã? Não, obrigado. Você disse que Carol está ocupada. Com o que exatamente?

— Não leu as colunas sociais? Com o casamento.

"A única coisa que passa na minha cabeça é: 'Porque não morri junto com todos em Coast City?'"

— O quê? Carol vai casar?

— Sim, do dono da Triangle Music, Paul Jeremy Kane. A cerimônia será daqui a três semanas.

— Hã... Obrigado. É melhor eu ir embora.

"Completamente transtornado, pego meu casaco e tento sair o mais rápido possível do escritório de Carol, talvez para que a secretária não perceba minha angústia. Mas é impossível evitar, em meio à minha súbita ansiedade de sumir desse lugar, esbarro em alguém na porta."

— Ei, cuidado! Olha só o que você fez! Derrubou toda essa papelada! Será que não olha por onde anda... Hal?

— Olá... Carol.

— Eu simplesmente não acredito! Como você faz algo assim comigo? E com sua família? Eu duvido que eles saibam que você está vivo. Como pode ser tão insensível, Hal? E logo você! O que aconteceu com você, Hal?

— Você sabe o que aconteceu com Coast City.

— Também era minha cidade, Hal. E eu não resolvi bombardear os EUA com os aviões que me restaram. Não resolvi fazer um pacto com o demônio para ressuscitar meus irmãos mortos. Não me escondi das pessoas que... que... oh, Deus...

— Carol?

— ...as pessoas que eu amava. E você era a pessoa que eu mais amava.

— Você também é.

— Entenda uma coisa: eu disse "era". Sinto muito, Hal, mas Paul me faz feliz. Pela primeira vez na vida, eu não tenho que ficar olhando para as estrelas, sem saber se você vai voltar, se você morreu, ou se ressuscitou. Sinto muito, Hal... Nosso tempo já passou. Um momento. Fale, Edna.

— Tem um jovem aqui, Kyle Rayner, querendo falar com o Sr. Jordan.

— Peça a que ele entre, Edna.

— Por favor, Carol, ainda há tempo...

— Olá? Podemos ir, hã... tio Hal?

— Não precisa disfarçar, Lanterna Verde. Eu o reconheço do funeral. Digo, daquela encenação que Hal montou para todos nós. Adeus, Hal. Até mais, Kyle.

— Hã, até mais...

— Adeus, Carol.

"De volta às ruas, Hal caminha abatido. Eu nunca vi o cara assim antes, nem sei o que dizer. Parece que ele e a Carol eram muito ligados. Eu soube que ela estava noiva pela minha mãe, e imaginei que o encontro não seria muito divertido para Hal. Espero que ele reaja bem a isso, pelo bem do Universo."

— Vou voltar para Coast City.

— Hein?

— Por favor, é assim que prefiro viver, longe das pessoas, longe do mundo.

— Mas logo agora, quando você estava se adaptando a sua nova vida...

— Por favor.

"Aqui estou eu de novo. Kyle não deve ter entendido bem quando eu disse que preferia viver longe das pessoas e do mundo. Assim que chegamos, eu me concentro em algo que, a trinta minutos atrás, acharia estupidez. O poder flui em minhas mãos mais uma vez, banhando minhas roupas e recriando meu uniforme de Lanterna Verde, porém coberto por um manto e um capuz, para que não me reconheçam ainda. Rayner só se dá conta do que está acontecendo quando a minha estátua desaparece do local."

— Hal? O que está fazendo, cara? Você não tinha desistido?

— Desisti de viver neste planeta. Adeus, Kyle.

— Ele... Ele sumiu! Anel, localize o Hal!

((Anel Localizando Indivíduo Hal Jordan Setor 2814))

((Indíviduo Hal Jordan Localizado: Setor 2813 — Planeta Xudar))

"Voltei para casa para recarregar meu anel antes de viajar para Xudar. Preciso achar Hal Jordan antes que ele cometa outra bobagem. Você me ensinou muitas coisas, Hal, e a primeira delas foi seu juramento antes de usar a bateria."

— No dia mais claro, na noite mais densa, o mal sucumbirá ante a minha presença. O seguidor do mal tudo perde ante ao poder do Lanterna Verde!

"Infelizmente, se for necessário, farei uso desse juramento."

A seguir: Parallax está de volta? E mais: Ganthet e... Galactus!



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.