hyperfan  
 

Lanterna Verde # 05

Por Josa Jr.

O Hal Sucumbirá Ante a Minha Presença

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Lanterna Verde
::
Outros Títulos

Ganthet

Por um bom tempo, ele esteve lá, meditando sobre tudo que passou, manipulando seus poderes em busca de uma paz perdida há muito tempo. Sua consciência está unida ao universo e, por isso, Ganthet tem uma sensação familiar e aterrorizante.

"Alguém está manipulando a energia esmeralda, e não é Kyle Rayner. Pelos Guardiões! Hal Jordan!"

Instantaneamente, Ganthet some do pequeno asteróide que lhe servira como retiro espiritual nas últimas semanas.

Hal Jordan

"Como é maravilhoso atravessar o universo. Tantos astros, tantos planetas... tanto silêncio. Muita solidão, mas isso durará pouco. Logo, estarei chegando ao planeta Xudar, para rever meus velhos amigos xudarianos. Também preciso descobrir se Tomar-Tu ainda está vivo. Meu amigo... o que eu fiz? Posso ter matado um dos maiores heróis do universo!"

"Lá está o sistema solar que procuro. Só preciso me aproximar e... Epa, tem alguma coisa estranha aqui. Onde está Xudar? Só vejo um monte de asteróides! É melhor checar se estou realmente no lugar certo e... Espere! Estou reconhecendo o responsável por isso. Resquícios de energia... não são asteróides, não são!"

— Galactus...

Kyle Rayner

(( Gerando mapa Setor 2813 ))

"Esse anel deve ter mais memória que qualquer HD da Terra. E tudo o que ele precisa é força de vontade. Talvez os anéis não passem de computadores, afinal. E acho que isso daria uma excelente idéia para uma história de ficção científica, mesmo não sendo assim que eles funcionem. Bom, depois eu penso nisso. Agora preciso encontrar o Hal. Um teleportador parecido com o da Liga deve me levar até o planeta que ele está em poucos segundos."

"Apareço entre um monte de meteoros e quase começo a acreditar que meu brinquedinho está com algum problema. Em minha cabeça, o anel diz que está atualizando os dados, pois o planeta Xudar não existe mais. Será que Hal...? Não, eu duvido. Ele não faria isso."

— Lanterna Verde?

"Posso estar no vácuo, mas ouço a voz de Ganthet. Deve ser uma forma de comunicação entre o anel e os Guardiões."

— Oi, Ganthet. Hã... acho que sei porque você está aqui.

— Parece que ele está em um dos satélites do planeta. Siga-me.

"Chegamos à lua xudariana. Hal está sentado em uma cratera, lamentando o destino de Xudar. Ele não ouve nossa chegada e permanece imóvel. Resolvo tentar descobrir o que houve por aqui."

— Hal?

— O que faz aqui, Rayner? Eu pedi para ficar em paz. E ainda traz Ganthet?

— Eu senti flutuações na energia esmeralda e resolvi investigar. O Lanterna Verde nada tem a ver com isso, Parallax!

— Parallax? Eu não sou Parallax. Por favor, Ganthet, essa fase já passou. Eu vim para cá rever alguns amigos e encontro tudo destruído. E tenho certeza de que você sabe o porquê.

— O Devorador de Mundos.

— Sim, e você também sabe por que, esta hora, todos os xudarianos estão mortos?

"Ganthet fica em silêncio por alguns minutos, encarando Hal. As lágrimas que nascem nos olhos do ex-Lanterna revelam mais uma dor que ele carrega consigo."

— Sim. Eu sei.

— Porque a Tropa não existe mais! E a culpa é toda minha! Galactus surgiu e destruiu Xudar. Tomar-Re e Tomar-Tu... perdoem-me...

"Eu era moleque quando o Quarteto Fantástico impediu que Galactus, o Devorador de Mundos, consumisse a Terra. Seu nome é temido por todo o Universo, apesar de eu nunca tê-lo encontrado. Ele é um tipo de entidade que destrói planetas para saciar a própria fome. Segundo um acordo entre os Guardiões e o próprio Galactus, a Tropa dos Lanternas Verdes não poderia interferir nos atos do Devorador."

"Por isso, existia uma manobra para preservar as raças que seriam extintas. Alguns habitantes do mundo que seria 'lanchado' eram resgatados e colocados em outro planeta com condições semelhantes de vida. Com o fim da Tropa, isso não acontece mais."

— Mas existe algo que posso mudar, Ganthet. Eu posso fazer tudo se acertar novamente. E preciso de sua ajuda.

— Você não está pensando em recriar o Universo, Hal Jordan?

— Não. Eu estou pensando em recriar a Tropa dos Lanternas Verdes.

"Não consigo disfarçar meu espanto. Muito menos Ganthet."

— Qual o problema de vocês dois? Não percebem o que houve aqui? Estão vendo aqueles cadáveres flutuando? A culpa é minha! Não posso permitir que isso aconteça novamente!

— Existe um Lanterna Verde para isso, Hal Jordan.

Não é o suficiente! Deixe-me recriar a Tropa, Ganthet. Eu serei um Guardião. Mas não tenho poder suficiente. Eu me redimi com a Terra, mas não me redimi com o Universo.

— Jordan, talvez você tenha boas intenções, mas seu passado...

— Esqueça o passado de Parallax. Lembre-se do passado do Lanterna Verde. Eu tenho uma idéia. Sempre trabalhei com vulnerabilidade em meus poderes. Pois bem, eu poderei recriar a Tropa, mas terei uma falha.

— E qual seria?

— O anel de Kyle.

— Quê?

"Só me faltava essa, mais um item na lista de responsabilidades do Lanterna Verde..."

— Isso mesmo. Se eu cometer algum erro, Kyle poderá me derrotar facilmente. Você sabe que é possível fazer isso. É apenas uma questão de força de vontade... e então?

"Ganthet volta a pensar na proposta de Hal, enquanto caminha pelo satélite. Depois de alguns minutos em silêncio, ele se volta para nós dois, suspira e fala."

— Muito bem... Eu sei que, se você não conseguir o poder aqui, irá obtê-lo de outra forma. Pelo período que passamos unidos, sei que você tem boas intenções, Hal Jordan. Ainda assim, terá de tornar seu poder vulnerável às criações do Lanterna Verde.

— Fechado.

"Algumas horas depois, continuamos na lua xudariana, agora chamada por Hal de Nova Oa. Com as energias absorvidas em Coast City, ele cria um grande palácio, parecido com aqueles que vi em Oa, há um bom tempo. A seguir, uma grande bateria é formada, do lado do prédio. Exausto, Jordan pára um pouco e me chama para perto da bateria."

— Ainda bem que Ganthet colaborou. Imaginei que seria mais complicado. Vamos fazer um teste. Me ataque com alguma coisa.

— Hã... tudo bem.

"Crio uma cópia de Jade, que esmurra Hal Jordan, atravessando o escudo que ele havia criado. Hal coloca a mão no queixo e sorri jocosamente."

— Hmmm... Bem, acho que a vulnerabilidade funciona.

— Me responda uma coisa: se Ganthet não aceitasse, o que você faria? Ele disse que você não ia desistir...

— Eu voltaria no tempo. Como nós faremos agora.

— O quê? A gente? Você ainda pode...

— Claro. A energia de Ganthet não sustenta nem 200 Lanternas. Precisamos de mais do que isso para proteger o Universo. Se eu quero ser o Guardião, vamos precisar de uma bateria mais poderosa. E, Kyle, uma vez aprendida, a habilidade de caminhar pelo continuum temporal jamais é perdida.

— Mas... alterar o passado...

— Ele não será alterado. Você quer me acompanhar ou prefere que eu vá sozinho?

"Eu vou me arrepender disso, mas me arrependeria mais ainda se não fosse com ele..."

— Tudo bem. Vamos lá!

A seguir: Um retorno ao glorioso passado dos Lanternas Verdes e Guardiões do Universo. Abin Sur!
Sinestro! Kilowog! G'newmann G'noggs! Participação especial: Jor-El (!)



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.
é a