hyperfan  
 

Lanterna Verde # 07

Por Josa Jr.

De Volta à Normalidade
(Agradecimentos ao leitor Reginaldo de Martino)

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
::
Voltar a Lanterna Verde
::
Outros Títulos

“Meu nome é Kyle Rayner. Sou o Lanterna Verde, um cara quase normal.“

“Eu seria um cara normal se uma de minhas mãos não carregasse a arma mais poderosa do Universo pelo resto de minha vida. Eu seria um cara normal se não recebesse visitas rotineiras de entidades malignas e gênios do crime em minha casa. Eu seria um cara normal se não tivesse o costume de me reunir com um certo panteão de quase-deuses de vez em quando.”

“Pra falar a verdade, eu já chegaria perto de ser um cara normal se tivesse um emprego normal.”

“Vou tentar corrigir pelo menos esse problema. Aqui estou, no estúdio de quadrinhos que o John me indicou há alguns dias, tentando vender minha brilhante idéia, um gibi do ‘Exército dos Cavaleiros Cósmicos’. Aparentemente, meu futuro editor não vê problema nenhum na publicação. Ele só tem um porém.”

— Bem, senhor Rayner... Devo dizer que gostei muito das suas idéias e conceitos. Porém, você me disse que se inspirou na Tropa dos Lanternas Verdes para criar sua HQ. Me pergunto se não surgirão advogados do espaço cobrando algum tipo de pagamento.

— Eu duvido, sr. Elliot. A pessoa que me indicou esse emprego, John Stewart, é um ex-Lanterna e ele não teve problema nenhum com a idéia. Até me deu sugestões de aventuras.

— John Stewart, o arquiteto da minha casa, foi um Lanterna? Eu não sabia disso. Façamos o seguinte: você prepara uma idéia para uma mini-série em seis edições, desenha as seis primeiras páginas e me entrega daqui a alguns dias. Se eu gostar do seu trabalho, as aventuras do Exército de Cavaleiros logo serão publicadas pela Destiny Comics.

— OK!

“Meia hora depois, caminho pelas ruas de Manhattan, satisfeito com a entrevista. Não achei que seria tão fácil. Preciso avisar minha mãe, John e... Hal está no espaço, preparando a nova Tropa. Jade está em Opal com o Starman, acho. Guy sumiu. Eu seria um cara normal se tivesse amigos normais.”

“É quase meio-dia. Preciso comer em algum lugar, mas não tenho paciência para procurar restaurante aqui, com o estômago roncando. Caminho até um beco vazio e, com minha força de vontade, levanto vôo. Em menos de cinco minutos, estou em um pequeno restaurante do SoHo, pedindo um sanduíche. O ambiente é bem agradável e interessante, talvez por causa dos quadros pregados na parede. Converso com o dono do local e ofereço minhas pinturas também.”

— Quer dizer que você é artista? — A conversa chama a atenção da moça que está no balcão. Uma bela moça, diga-se de passagem.

— Sou, sim. Você também é?

— Não... Na verdade, eu tenho uma grande coleção de quadros. Estou sempre... adquirindo coisas novas.

“Será que é verdade? Ou ela está usando essa história como uma desculpa para puxar papo? Que diferença faz? Em menos de um minuto de conversa, deixo minha mesa e estou ao lado dela no balcão.”

Nova Oa, o planeta que abriga a nova Tropa dos Lanternas Verdes.

“Eu sou Hal Jordan. Toda a energia dos Lanternas está canalizada através de mim. Eu sou uma bateria viva, e essa é uma sensação que não me é estranha. Talvez eu seja um dos homens mais poderosos do Universo. Com apenas uma vulnerabilidade — o anel de Kyle Rayner. Concentro-me e, num piscar de olhos, os anéis da Tropa são recriados.”

“Muito do poder dos Lanternas desapareceu após a traição de... Parallax. Antes, éramos mais de 3600 Lanternas, hoje não consegui criar mais de oitocentos anéis. Provavelmente eu, o mais próximo de um Guardião do Universo, terei de dividir o cosmo em outro setores. “

“Já fazem três dias terrestres desde que enviei um sinal a algumas pessoas. Parece que finalmente alguém me respondeu. Uma nave chega a Nova Oa, trazendo uma pessoa de quem ouvi falar, mas nunca tive oportunidade de trocar idéias. E, pelo que sei, temos idéias bastante parecidas quanto a polícias intergalácticas.”

— Olá, Hal Jordan, o Guardião do Universo. Soa bem, não?

— Para falar a verdade, soa estranho, Ferrin Collos. É como lhe chamar de "Controlador".

— Vril Dox gostaria. — “Quem fala é uma mulher de pele alaranjada que se aproxima. Não consigo identificar sua raça.” — Então, você é Hal Jordan. Prazer em conhecê-lo.

— Igualmente. E é um prazer tê-los em Nova Oa. Vejo que trouxe... alguém, Collos. Seria uma sugestão para os novos Lanternas?

— Sim. É uma operativa muito competente. Seu nome é Furtiva.

— Já ouvi falar bastante de você, Furtiva. Nos velhos tempos da L.E.G.I.Ã.O. Bem, depois conversaremos mais. Por enquanto, acho que podemos começar o recrutamento.

— Por onde começaremos, Guardião?

— Ora, pelo coluano, é claro.

— Por Vril Dox? O filho de Brainiac?? Enlouqueceu, Jordan?

— Acalme-se, Collos! Você vai perceber que ele não é tão ruim...

— Começo a gostar de sua sugestão para a Tropa, Darkstar. — “E espero que eu não esteja cometendo um erro.”

Nova York, Terra

“O almoço foi interessante. Aquela garota é bonita, rica e culta. Quer dizer, para comprar dois quadros meus, talvez não seja tão culta. Difícil dizer se ela é admiradora da arte ou do Kyle... De qualquer forma, não posso reclamar do dinheiro extra que vou ganhar. E talvez, ganhe uma namorada nessa também.”

“Além do que, é bom ter uma garota normal. Minhas últimas namoradas foram Donna Troy, que eu acho que até hoje não sabe quem é, e a Jade, que me deixou e foi morar em Opal City. Essa menina não tem nenhum envolvimento com caras de cueca por fora das calças ou supervilões, pelo menos. Qual era mesmo o nome dela?”

— Felícia... Felícia Hardy.

“Entro em meu apartamento cantarolando o nome dela. Vou direto à prancheta esboçar alguns personagens para o ‘Exército’. Um ruído na cozinha me tira a concentração. Olho para trás rapidamente e vejo uma capa verde balançando.”

— Hal? É você?

“O homem de capuz verde caminha silenciosamente. Não consigo ver seu rosto por causa das sombras, mas tenho certeza de apenas uma coisa.”

— V-você não é o Hal! O que faz aqui? Quem é você?

— Acalme-se, jovem Lanterna. Estou aqui lhe recrutando para uma missão. Quanto ao meu nome... acho que não preciso de apresentações.

— Você... — “Ele levanta seu rosto e minha face assustada é refletida na máscara metálica. Nunca imaginei que um dia estaria frente a frente com o cara mais perigoso da Europa. Talvez, da Terra.” — Você é...

— Doom.

“E eu começando a me achar um cara normal...”

A seguir: O que o Dr. Destino quer com o Lanterna Verde? Quem serão os membros da nova Tropa? Você irá se surpreender!

:: Notas do Autor

Confuso com tantos personagens desconhecidos, leitor? Não se preocupe. Assim que o recrutamento iniciar, todos os personagens e conceitos obscuros, como Furtiva, Ferrin Collos, Vril Dox, Darkstars e a L.E.G.I.Ã.O. serão explicados nessa série. A princípio, recomendo que você leia a interessante série da L.E.G.I.Ã.O — grupo espacial criado pelo brilhante Keith Giffen — que era publicada na extinta revista DC2000, da Abril, começando por volta da edição 15.

Mais uma vez, agradecimentos a Reginaldo de Martino, por algumas das melhores idéias para a Tropa. Vê se aparece no ICQ num horário barato, cara :P



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.