hyperfan  
 

Lanterna Verde # 13

Por Igor Appolinário

Entorno de Nova Oa — novo setor 001

— Saiam da área de tração! — grita um xudariano, trajando um uniforme de guerra, para um grupo de crianças — Vão com suas mães e não sai de perto delas.

— Tomar-Tu, não precisa exagerar...

— Nós não estamos na melhor das situações, se você não percebeu, Sindar-Se.

— Nós escapamos de Galactus... isso já é mais do que fantástico. — diz a jovem xudariana, seus olhos enchendo-se de lágrimas.

Tomar-Tu a abraça e olha em volta, para os remanescentes de sua raça que se abrigam como podem no interior de um asteróide com atmosfera rarefeita. De repente, ele sente uma forte formigação em seu peito e seus olhos brilham com uma luz verde.

— Lanternas Verdes...

Tomar-Tu se solta da jovem e corre para uma pequena nave de escape. Ele aciona os motores e vencendo a atração gravitacional do asteróide segue para onde ficava Xudar, atraído pelo poder esmeralda renovado.

A Nova Tropa do Imperador — Parte III
Revelações

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Lanterna Verde
:: Outros Títulos

Memorial de Coast City — Terra — novo setor 001

— Hal... por que você tinha que me abandonar...? — diz Carol Ferris, soluçando sobre os pedaços da estátua-memorial do Lanterna Verde. (*)

— Eu sempre estive lá por você, Carol. — diz Hal Jordan, o Lanterna Verde, Guardião do Universo e de Nova Oa, pairando logo acima dela.

— Hal! — grita Carol, correndo em direção dele, que desce ao solo. Os dois se abraçam afetuosamente — Eu não me casei! Eu quero você, Hal. Eu quero ficar com você.

Hal olha para a mulher de cabelos negros com afeto e surpresa pela notícia, e a beija com paixão. Carol olha nos olhos de Jordan, porém algo a intriga.

— Aconteceu alguma coisa, Hal? Você parece... distante.

— Eu viajei pelo universo, Carol, e vi coisas que eu não queria ver novamente...

— Mas você voltou para mim, certo? Voltou para ficar comigo...

— Eu não posso ficar, Carol. Eu tenho uma missão, o universo precisa de mim. — diz Hal, se afastando da mulher, que se desespera.

Eu preciso de você, Hal!

— Eu... eu não posso ficar aqui...

Hal se afasta ainda mais e parte, sumindo no céu nublado sobre o que restou de Coast City como um ponto de luz verde.

<< Flutuações incomuns na energia pandimensional. Padrão de energia esmeralda oscilante... >>

— Energia esmeralda oscilante?

Guy Gardner olha para o anel amarelo no criado-mudo, sem entender direito o que ele quer dizer, mas pressentindo que algo ruim está para acontecer.

— Acho que já é hora de fazer uma visitinha pra essa tal de Nova Oa.

Sistema Kariss — novo setor espacial 018

ZOUM!!!

Saindo do hiperespaço, Kyle Rayner verifica o aparelho criado por seu anel, agora preso ao seu punho, e localiza a direção que vêm seguindo deste o novo setor 001. Um sinal de socorro, transmitido através do hiperespaço para todo o universo. Kyle passa pelo sistema estelar de Kariss, mas sente uma sinistra energia de morte e destruição e passa direto, em direção a um distante porto espacial.

Seguindo os rastros do sinal, ele encontra os destroços da armada khúndia, seus guerreiros mutilados em meio ao gélido nada espacial. Usando seu anel, Kyle analisa os destroços e escuta estarrecido a resposta do artefato:

<< Energia condizente com o anel do Guardião Hal Jordan. >>

— Hal...

Nova Oa — centro da Nova Tropa

— Hal, você precisa parar com essa loucura. — diz Jean Grey, seguindo o Guardião do Universo pelos corredores da fortaleza dos Lanternas Verdes em Nova Oa — Eu votei contra isso por um motivo e, como sua conselheira, tenho que insistir na minha posição.

— Jean, eu sei muito bem o que estou fazendo. Se você duvida de mim, leia a minha mente.

— Hal, não foi isso que eu...

Leia a minha mente!

Jean olha aflita para o rosto de Hal, que se transfigura de indignação. Ela se concentra e vê relances da mente de Hal. A destruição de Kariss. Coast City detonada. Lanternas mortos no frio espacial.

— Eu não fazia idéia...

Conselho dos Lanternas — Nova Oa

— Creio que devamos fazer algo definitivo para impedir a operação de exército, ou prorrogar sua ativação o máximo possível. — diz John Stewart aos outros membros do conselho, olhando de soslaio as três cadeiras vazias.

— Mas isso é traição! — diz In-Magg, batendo a mão na mesa, rachando o cristal esmeralda.

— Guardião Jordan é um dos homens mais poderosos da galáxia. — diz Fah’Zur — Talvez o mais poderoso de todos. Ele é sábio o bastante para liderar este exército com justiça.

— Vocês querem ser cabeças-duras, pois que sejam então! — diz Ferrin Collos, levantando-se e saindo da sala.

John, Merayn e Furtiva seguem Ferrin e continuam a discussão, protegidos por uma redoma.

— Podemos incentivar alguns recrutas a seguir Jordan, espionando suas atividades. — diz Furtiva — Temos jovens muito astutos e leais a nós, que os treinamos.

— Sim, John. — diz Merayn, apertando o braço de Stewart — Vamos discretamente monitorar Hal e ver se algo suspeito surge. Não podemos também tirar conclusões precipitadas.

— Eu realmente espero que estejamos nos precipitando...


Na próxima edição: A cisão entre os Lanternas Verdes explode em uma guerra civil no planeta capital da Nova Tropa e os dois maiores Lanternas do universo se enfrentarão em um conflito sensacional. E ainda: o retorno daqueles que se encontravam perdidos e uma morte que será grandemente sentida.


:: Notas do Autor

(*) Veja na edição anterior. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.