hyperfan  
 

Mulher-Hulk # 03

Por Josa Jr.

— É, Josa. Mais uma vez, hein?

[— Do que você tá falando, Jen?]

— Essa história está sendo publicada no Dia dos Namorados e você está só de novo!

[— Essa história foi escrita duas semanas antes de ser publicada! Você não pode prever o que acontecerá em duas semanas!]

— Você realmente acha que consegue?

[— Acho.]

— Bwahahahahahahahahaahahahahaahahahaahhaahahahahahahaahahahahahahaha!

[— Mulheres...]

Duas semanas depois...

[— Toma. Cinqüenta pilas, como combinado.]

— Não disse que não conseguia? Não disse?

[— Queria saber por que não consegui...]

Mim Ser Bizarro!

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
::
Próxima Edição
:: Voltar a Mulher-Hulk
::
Outros Títulos

Um planeta em formato de cubo. Apenas uma visão como essa seria o bastante para deixar uma pessoa completamente perturbada. Mas Jennifer Walters já tem problemas demais para se incomodar com um detalhe tão insignificante. Dentro da nave que levou o Super-Homem Pré-Crise para a Terra, o aperto e o cheiro do próprio suor já a perturbam bastante.

— Isso que dá uma mulher de dois metros viajar numa cabine de bebê! Josa, não tinha um transporte melhor, não?

[— Não.]

Furiosa, Jen tenta se concentrar em sua missão, relembrando assim os fatos dos últimos dias para os leitores que já esqueceram o que aconteceu nas memoráveis edições passadas: ela se recorda de como foi enviada ao limbo das HQs para procurar o Fantasma Gay, um personagem esquecido há anos. Depois de deter uma revolução dos personagens do Limbo, a Mulher-Hulk descobriu que Gay fora seqüestrado por uma cópia imperfeita de si mesma, a Mulher-Hulk-Bizarro.

— Bela retrospectiva, mas agora a ação começa, pessoal!

A nave kryptoniana chega ao Mundo Bizarro, onde já é aguardada por Raiado e Beppo. Os dois superanimais abrem a nave e voam na direção da Metrópolis-Bizarro, sendo seguidos por Jennifer. Antes que o grupo entre na cidade, um elefante se coloca à frente dos heróis. Com sua tromba, o paquiderme lança cubos de gelo na vingadora esmeralda e seus aliados.

— Que coisa mais sem sentido, Josa! Beppo! Raiado! Deixem comigo e vão para a cidade!

Os dois kryptonianos voam para longe e Jennifer esmurra com toda sua força seu pesado adversário. O elefante desmaia, cuspindo todo o gelo. Ao redor do animal caído, um brilho surge, fazendo sumir o mamífero. No lugar da criatura, aparecem dois heróis de orelhas pontudas e penteado de gosto duvidoso.

— Super-Gêmeos, Josa? Super-Gêmeos? O que vem a segu... Não, eu não quero saber!

Uma grande sandália indígena esmaga a Mulher-Hulk. Um pele-vermelha gigante grita palavras sem sentido e outros personagens se unem a ele, a fim de deter a Mulher-Hulk: Gleek, Marvin, Wendy e o Super-Cão. Enfurecida, a amazona usa toda sua força para levantar o pé gigante, desequilibrando o Chefe Apache e derrubando-o sobre o irritante macaco azul e o cachorro com jeito de retardado.

"Personagens renegados do desenho dos Superamigos. Então, isso é coisa do Doutor Bong! Ele tem poder sobre a TV mas, aqui no Limbo, ele só deve controlar os personagens que foram esquecidos no desenho." Enquanto raciocina, a Verdinha derruba facilmente os outros oponentes, apenas crianças sem poderes.

Com esses obstáculos vencidos, Jennifer salta o máximo que pode, chegado à Metrópolis-Bizarro com apenas um pulo. Usando sua velocidade sobre-humana, Mulher-Hulk procura focos de batalha correndo pela cidade. Jen vê um jovem ruivo, com terno xadrez e gravata-borboleta, e resolve falar com ele.

— Ei, você sabe onde tá tendo uma briga de heróis?

— Mim saber! Perto de Planeta-Bizarro-Diário. Mim trabalhar lá. Mim ser Jimmy Olsen Bizarro.

— Prazer em conhecer, Jimmy. Agora preciso ir!

— O desprazer ser de mim. Oi!

Em frente à sede do maior jornal do Mundo Bizarro, Beppo e Raiado tentam deter os vilões Bong e Mulher-Hulk-Bizarro à distância. Nas mãos da Jennifer-Bizarro, uma pedra dourada mantém o macaco e o gato afastados. De longe, a Mulher-Hulk pensa numa forma de ajudar seus dois amigos peludos.

— Mim destruir vocês e Mulher-Hulk! Mim se vingar de Mulher-Hulk por mim nunca ter existido! Mim ter que existir nas revistas da Mulher-Hulk! Mim é vilã!

"Deixa ver... Kryptonita vermelha causava mutações estranhas. Kryptonita azul só afeta bizarros. Droga! Eu devia ter trazido uma pedra dessas pra cá! Kryptonita dourada... é a que afeta plantas? Não, essa é a branca! Então essa é a kryptonita que tira os poderes de um kryptoniano definitivamente! Eles não podem chegar perto da minha versão bizarra, ou se transformarão num gato e um macaco comuns."

[Nota do Lopes: Finalmente uma perspectiva alentadora...]

— Ei, Jennifer-Bizarro! Olha aqui!

Mulher-Hulk consegue chamar atenção de sua bizarra contraparte, que só vê um pedaço de asfalto lançado por Jenny vindo em sua direção. O destroço atinge a cabeça da vilã, e a faz derrubar a kryptonita dourada. Com sua superinteligência, os dois animais percebem que devem entreter Bong, enquanto Jennifer dá um fim na pedra. A heroína lança a kryptonita o mais distante que consegue e segura Mulher-Hulk-Bizarro, já desacordada, pelos cabelos.

Pensando em tudo o que viu no Limbo, Jen percebe que já encontrou personagens e conceitos esquecidos, visitou prédios e mundos perdidos, além de ter visto naves e kryptonitas descartadas da continuidade. Só existe um conceito que ainda não foi usada em toda essa história de limbo: superpoderes esquecidos pelos escritores! E é daí que Jennifer tira sua próxima estratégia.

— Já sei! Usem o super-hipnotismo! Usem o super-hipnotismo no Bong!

Mais tarde, ainda no Mundo Bizarro...

— Pronto, Josa! Agora, o Dr.Bong pensa que é um enredo paralelo esquecido pelo Claremont, a Mulher-Hulk-Bizarro foi aprisionada e finalmente encontrei o Fantasma Gay. Hã... ele está penteando seus cabelos castanhos, mas deve chegar logo. E então? Quando começará a usá-lo nas histórias?

[— Bem, pensando melhor, decidi que não vou mais usá-lo. Sabe como é... eu tava ficando com a fama ruim e preciso arrumar uma namorada. O que as meninas vão dizer se souberem que quero "usar o Gay"?]

— Eu não acredito! Três malditas edições pra nada?

[— Bom... os fãs dos Super-Animais acharam divertido...]

Antes que Jennifer crie um jeito de assassiná-lo, o escritor a teleporta de volta ao seu apartamento em Nova Iorque. Wyatt, que assistia televisão, é surpreendido pela chegada de sua amada.

— Ei! Eu nem pude me despedir do Beppo e do Raiado! Josa, você é um grande filho da...

— Hã? Oi, Jennifer! Como foi?

— Um saco! Eu morri de saudades de você. Melhor me dar um beijo antes que destrua a casa!

Os dois apaixonados se beijam, mas a sensação que deveria ser das mais agradáveis torna-se estranha quando a Mulher-Hulk sente um amargo gosto de pedra em seus lábios. Ela abre os olhos e vê seu namorado transformado num ser de cimento.

— Wyatt! Você ganhou poderes enquanto estive fora?

— Hã? Essa não! De novo, não!

— Como assim, "de novo"?

— Ontem, eu estava escrevendo uma poesia para você e, enquanto olhava uma foto sua, fui transformado em asfalto por alguns segundos! Eu ia falar com o Reed, mas me esqueci! Vou aproveitar que... Pronto! Voltei ao normal...

— É melhor a gente falar com o Ree... Quer dizer que você tava escrevendo uma poesia?

— É, mas depois eu te mostro. Vamos lá!

— Vamos sim. Deixa só eu pegar... que barulho foi esse?

— Parece alguém batendo na porta.

Jennifer abre a porta e, caída no chão, encontra uma mulher negra, com roupas de médico. Suja de fuligem e sangrando no rosto, a doutora se arrasta para dentro do apartamento e tenta proferir algumas palavras.

— Mulher... Hulk... me ajude... sou uma mutante...

— O título dos X-Men é logo à direita, ao lado do gordinho ali, querida.

[Nota do Dudu: Gordinho não! Fofinho...]

— Jennifer, eu vi essa mulher nos noticiários! É uma médica que foi demitida porque descobriram que ela é mutante. Ela defendeu os pacientes de um assaltante e revelou seus poderes ao público. Deve estar aqui à procura de proteção.

— e... de... uma... advogada...

— Hmmm... Acho que já temos a deixa pra próxima edição.

A seguir: Jennifer defende Cecília Reyes nos tribunais. Participação especial de Matt Murdock, o Homem sem Medo!

:: Notas do Autor

Bem, esta edição conclui a primeira saga da estonteante e... digamos... não muito sortuda Mulher-Hulk. No próximo mês, estaremos colocando no ar as edições 4 a 10 (revisadas e atualizadas, por isso, não deixe de ler!), mais uma aventura inédita, retomando a numeração correta desta série... digamos... pouco usual. Não entendeu nada? Bem, pergunte ao Josa. Foi ele quem arrumou esta salada...



 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.