hyperfan  
 

Liga da Justiça # 17

Por Robson Costa

Negócios Entre Irmãos
Parte Final — Concordata e Falência

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Liga da Justiça
:: Outros Títulos

— Dr. Estranho! Fóton! Rápido! Venham para cá! — a voz de Eléktron soa ansiosa pelos alto-falantes da base da Liga.

— Estamos aqui, dr. Palmer. O que está acontecendo? — pergunta Fóton.

— Eu estou recebendo sinal do comunicador do... Super-Homem!

De repente, a tela do computador da Liga acende e exibe a imagem do Super-Homem e dos outros membros que haviam sido raptados pelo Colecionador.

— Eléktron! Voltamos! Estamos na cidade de Washington. Pode nos teleportar?

— Imediatamente, Super-Homem.

Ray Palmer pula sobre os botões, enquanto Fóton passa as coordenadas para o teletransportador. Em instantes, os cinco membros da Liga estão na base. Todos se cumprimentam, em um alvoroço baseado na camaradagem que já existe entre eles.

— O Colecionador? — fala Fóton — Ele sempre dá muito trabalho para os Vingadores. Mas e quanto ao Batman e os outros?

— Estamos aqui, Fóton! — fala Batman.

Novamente a alegria explode na base, com os heróis raptados contando as suas aventuras e desventuras nas mãos dos dois anciãos. Mais tarde, uma reunião é feita. Apenas Aquaman não participa, preocupado com a sua ausência no reino de Poseidônis.

— Precisamos nos atualizar em relação a seres como o Grão-Mestre e o Colecionador. — fala o Super-Homem — Fóton, quando for possível, entre em contato com o Capitão América e consiga mais informações sobre eles e outros seres galácticos.

— Pode deixar, Super-Homem. O Capitão já havia repassado várias informações do banco de dados dos Vingadores para nós.

— Mas, suponho, pelo que vocês contaram, que o Colecionador deixará a Terra em paz por algum tempo. — fala Flash.

— Pode ser, Wally. — fala Zauriel — Mas, com os poderes e os recursos que ele possui...

De repente, o Caçador de Marte levanta-se da cadeira, soltando um grito de dor.

— Por Hera! J'onn, o que está acontecendo? — pergunta a Mulher-Maravilha.

— Alguém está tentando manter um contato telepático comigo! Ele está muito distante e, ao mesmo tempo, está sofrendo muito.

— Deixe-me ajudá-lo, marciano. — fala o Dr. Estranho.

Combinando os seus poderes místicos a telepatia, o Dr. Estranho produz uma imagem mental do ser que está tentando comunicar-se com J'onn.

— É o Grão-Mestre! — reconhece o Arqueiro Verde.

Justiceiros! Escutem-me! Não tenho muitas condições de manter este contato com vocês. Meu irmão, o Colecionador, está indo em direção da Terra, sedento de vingança por causa da derrota sofrida...

— Que venha! — desafia o Lanterna Verde.

— Não seja incauto, terráqueo. Vocês são poderosos, porém ele roubou os meus poderes, somou aos que tinha e está muito mais poderoso! Quase me matou e destruiu Belthanar e... argh! Não estou agüentando...

— A imagem sumiu! — fala o Capitão Marvel.

Lanterna! J'onn! — chama o Super-Homem — Vamos unir os nossos poderes para rastrear o espaço para encontrá-lo.

— Estranho, você consegue localizar de onde o Grão-Mestre falou? — pergunta Batman.

— Sim! Mas ele está muito distante!

— Pessoal! Localizei o Colecionador! — fala Kyle.

— Super-Homem! Tive uma idéia! — fala Batman — Precisamos deter temporariamente o Colecionador, enquanto uma parte de nós tenta contatar novamente o Grão-Mestre.

— Combinado! De quem você precisa?

— J'onn, Dr. Estranho e Fóton.

— Certo! Precisamos levar este embate para um lugar mais seguro! — fala Mulher-Maravilha.

— Estou providenciando isso, princesa Diana. — fala Dr. Estranho.

Fazendo gestos místicos e recitando em uma língua desconhecida por todos, Dr. Estranho concentra-se.

— O Colecionador! Ele sumiu! — exclama o Lanterna Verde.

— Ele não sumiu! Apenas o enviei para o meio do deserto do Saara. — fala o mestre das artes místicas.

— Bom trabalho, doutor! — fala o Super-Homem — Pode nos enviar, Batman.

Os justiceiros partem, permanecendo apenas o grupo solicitado por Batman.

O Colecionador, aos poucos, se recobra da desorientação proveniente do encantamento do Dr. Estranho. Porém, logo surgem os membros da Liga. Super-Homem, Capitão Marvel e Mulher-Maravilha avançam em direção ao ancião, desferindo vários e poderosos golpes, antes que o ser galáctico possa revidar. Mas uma rajada cósmica, disparada por ele, joga longe os heróis.

— Pegaram-me de surpresa e trouxeram-me para este deserto, mas será a última vez que vocês me surpreenderão. No final, eu destruirei todos vocês, sua base e este maldito planeta!

— É o que veremos! — fala Lanterna Verde, envolvendo o Colecionador em uma esfera de luz verde.

Rajadas poderosas saem dos olhos do ser cósmico. Uma luta entre o poder do Colecionador e a força de vontade de Kyle se estabelece, porém o herói não suporta por muito tempo e acaba desmaiando, devido à explosão da esfera.

Mulher-Maravilha laça o ancião e faz um sinal para Zauriel, que avança sobre o ser, soltando o seu grito supersônico. Flash desfere vários socos a uma incrível velocidade. Porém, o Colecionador logo dispara mais rajadas cósmicas, derrubando o anjo e Wally West. Depois, segura o laço dourado da Mulher-Maravilha, soltando-se. A princesa amazona é tomada de surpresa. O Colecionador a envolve com o laço, imobilizando-a.

— Ha, ha, ha! É por isso que eu os quis na minha coleção. São adversários admiráveis, mas não são páreo para os meus novos poderes.

— O Colecionador está derrotando facilmente os outros. — fala Fóton, enquanto observa a luta pelo monitor.

— Só precisamos de tempo, Fóton. — diz Batman.

Ele observa o místico e o marciano novamente combinarem os seus poderes para restabelecer o contato com o Grão-Mestre.

— Grão-Mestre! Você está me ouvindo? — pergunta J'onn J'onzz.

— Sim! — uma voz débil é ouvida por todos em suas mentes.

— Grão-Mestre! É o Batman. Precisamos da sua ajuda para deter o seu irmão.

Um grande silêncio se segue até que novamente ouve-se a voz do ancião.

— Enviem-me a justiceira chamada Fóton.

— Perdemos contato novamente. — diz o Dr. Estranho — Mas ele repassou as coordenadas de onde ele está, como também uma imagem de uma nave espacial.

— Sim! Eu vi. — diz Fóton — Posso chegar lá rapidamente.

— Então parta imediatamente. — ordena Batman.

Fóton transforma-se em luz e, logo, desaparece da frente dos olhos dos seus companheiros de grupo. As distâncias são vencidas rapidamente. Por fim, Fóton encontra a nave cuja imagem o Grão-Mestre havia enviado telepaticamente. A justiceira aumenta a velocidade e atravessa as paredes da nave, assumindo novamente a sua forma humana.

— Grão-Mestre! Onde você está? Sou eu, Fóton.

Não obtém resposta. Fóton continua avançando cautelosamente pela nave alienígena, até chegar a uma sala que ela supõe ser a sala de controle. No meio da sala, jogado sobre uma poltrona, está o Grão-Mestre. Fóton corre em sua direção, achando que mesmo viajando a velocidade da luz, havia chegado atrasada.

— Grão-Mestre!

— Você chegou, justiceira. — responde, com voz débil, o ancião — Talvez ainda tenhamos um pouco de esperança...

— Preparado, Ray? — pergunta Oliver Queen.

— Como sempre, Arqueiro. — responde Eléktron, montado na flecha que Queen está prestes a disparar.

A Liga continua atacando o Colecionador. Super-Homem dispara rajadas de calor e Kyle usa o seu anel para atacarem. Porém, o ancião gargalha, detendo facilmente os poderes dos justiceiros. Queen dispara a sua flecha. O Colecionador vê a flecha e pega-a no ar.

— Você acha que esta arma primitiva teria mais resultados que os poderes dos seus amigos, Arqueiro? — fala com menosprezo o Colecionador — Não me subestime. Eu... o que está acontecendo? Eu estou ficando... tonto...

— Aproveitem agora! — grita o Arqueiro Verde — Eléktron está atacando direto no centro de equilíbrio dele.

Capitão Marvel avança rapidamente e desfere um forte golpe no Colecionador, que é jogado para longe. Com custo, o ancião se levanta, mas logo é alvo de vários socos desferidos velozmente pelo Flash.

— Continuem assim, Liga! Não podemos parar de golpeá-lo! — fala o Super-Homem.

— Isto é por tudo que você me fez passar no seu zoológico! — fala Kyle Rayner, disparando uma poderosa rajada do seu anel.

O Colecionador pela primeira vez solta um grito de dor ao receber a rajada do Lanterna Verde. Ele tenta inutilmente se defender, porém os ataques rápidos dos membros da Liga combinados com a ação de Eléktron no seu centro de equilíbrio, o deixam completamente à mercê dos heróis da Terra.

— Tudo o que está acontecendo deve-se à falta de esportividade do Colecionador. — fala o Grão-Mestre.

— O que você quer dizer com isso? — pergunta Fóton.

— O meu irmão me procurou para que nós nos aliássemos contra a Liga da Justiça. Há integrantes em seu grupo que eram de grande interesse para ele: Super-Homem, o Caçador de Marte, Zauriel, a Mulher-Maravilha e o Lanterna Verde. Receoso de ser derrotado como foi contra os Vingadores, ele pediu que eu o ajudasse. Ao mesmo tempo, oferecia-me outros dos seus amigos para os meus jogos galácticos. Porém, eu vi uma grande oportunidade: como o Colecionador sairia se enfrentasse os maiores heróis da Terra?

— E o que você fez?

— Ajudei o meu irmão no seu intento. Capturei alguns dos membros da Liga para a minha arena em Belthanar enquanto ele levava os que interessava. Aproveitei, então, para embarcar um espião meu...

— O amigo do Kyle, o Kir?

— Exatamente. A missão dele era ganhar a confiança do Lanterna Verde e ajudá-lo a recuperar o seu anel. O que ele fez muito bem. Os justiceiros venceram o exército de robôs do meu irmão e, ainda, lideraram um levante dos espécimes da coleção dele. O Colecionador percebeu que não conseguiria deter a todos e resolveu fugir novamente.

— Isto o Super-Homem e os outros contaram.

— Agora vem a parte que vocês não sabem. Kir, ao contrário do que seus amigos acharam, não partiu Ele ficou escondido, para entrar em contato comigo e narrar o sucesso da sua missão. Após fazer isso, ele estava muito confiante com o resultado e não percebeu que meu irmão havia retornado à nave e ouvido tudo. Torturou-o até que ele confessasse todo o meu ardil e, tomado pela fúria, partiu em direção a Belthanar. Chegando lá, o Colecionador entregou-me o corpo de Kir. Ele estava irado e sedento de vingança. Porém, não me ouvia. Antes que eu pudesse fazer alguma coisa, ele sacou da sua capa um estranho aparelho, apontou em minha direção e apertou um botão. No mesmo instante. Senti como tivesse sido rasgado ao meio e caí no chão, enfraquecido.

— O que ele fez?

— Ele roubou os meus poderes com o aparelho e adicionado aos seus. Isto acabou por enlouquecê-lo. E começou a atacar os belthanarianos e a destruir tudo o que encontrava pela frente. Reuni o que me restava de forças e fugi dali, embarcando em uma nave já preparada para situações como esta. Do espaço, via as explosões resultantes das ações do meu irmão. Usei de dispositivos para ocultar-me e, depois de algum tempo, vi o Colecionador deixando Belthanar e se dirigindo para a Terra. Com alguns aparelhos da nave, verifiquei que não havia mais vida em Belthanar. Sem opção, vim para esta nave onde nos encontramos e entrei em contato telepático com o seu companheiro marciano. O resto você já sabe.

— Muito bem, Grão-Mestre. Você me convocou para vir aqui. O que posso fazer para ajudá-lo a deter o seu irmão?

— Esta nave, para funcionar, utiliza-se de parte do meu poder cósmico. Com o pouco que me restava, pude colocar alguns dos dispositivos em funcionamento. Mas para a minha vingança, já não possuo forças. Você, por outro lado, possui os poderes que preciso.

— E o que eu tenho de fazer?

— Basta entrar naquela cabine, que eu farei o resto.

— Como posso confiar em você?

— Fóton, ou é isto ou a Terra terá o mesmo destino de Belthanar. — e, dizendo isso, o ancião aponta para uma das telas dos vários computadores da sala de controle. Ela vê um planeta escurecido, com várias explosões ocorrendo na sua superfície. Lembra da descrição que Batman e os outros haviam feito. Sabe que o povo de lá não respeitava os outros seres do Universo. Para eles, tudo era motivo para os seus jogos. Porém, esta não é a punição justa pelos seus atos.

— Muito bem, Grão-Mestre. Confiarei em você.

Fóton dirige-se à cabine apontada pelo ancião e entra. Grão-Mestre começa a operar um estranho aparelho conectado a cabine onde Mônica Rambeau está. De repente, Fóton começa a sentir o seu corpo ser puxado em várias direções ao mesmo tempo. Tenta transformar para a sua forma luminosa e não consegue. Só tem tempo de soltar um terrível grito de dor e desfalecer.

Os membros da Liga continuam o ataque sem cessar contra o ancião. Porém, começam a se cansar. O Caçador de Marte, Dr. Estranho e Aço acabam de unir-se ao grupo. O Colecionador só consegue erguer campos de força, mas que pouco conseguem fazer contra a força dos ataques que sofre. Porém, concentrando-se, ele dispara uma poderosa rajada cósmica que acerta a todos os heróis e ilumina todo o deserto do Saara como um pequeno sol.

Batman acompanha a luta pelo monitor da Liga e também fica ofuscado com a claridade do ataque do ancião. Quando a luminosidade baixa, vê todos os seus amigos desfalecidos e aprisionados em globos de energia, inclusive Eléktron.

— Miseráveis! — esbraveja o Colecionador — Esta foi a última oportunidade que tiveram para me deter! Agora eu destruirei a todos e, depois, este mísero planetinha.

O Colecionador começa a se preparar para disparar a rajada final, quando uma voz ecoa por todo o deserto.

— O seu tempo acabou, meu irmão!

— Grão-Mestre! Não!

E uma outra luz cobre o deserto do Saara, enquanto o grito do Colecionador ainda é ouvido. Batman teletransporta-se imediatamente para lá e, quando chega, não encontra indícios do Colecionador. Fóton também está lá, desfalecida. Os outros justiceiros estão livres das esferas. Batman chama o Dr. Estranho e Eléktron para examinarem a companheira.

— Ela está bem, aparentemente. — diz Palmer — Aparentemente um pouco enfraquecida também.

— O que houve? — pergunta o Super-Homem.

— Acho que o Grão-Mestre resolveu terminar de vez com o contrato que fez com o Colecionador. — fala Batman.

— Que ele tenha o castigo que merece! — fala Kyle Rayner.

O Colecionador abre os olhos e percebe que não tem mais o grande poder que havia utilizado. Também percebe que está preso em uma das jaulas da sua coleção. Começa a esmurrar contra a prisão e só pára quando ouve a aproximação de alguém. Logo reconhece: é o Grão-Mestre.

— O que significa isto, irmão? — pergunta.

— Depois de tudo que fez, você pensou que não haveria uma vingança da minha parte?

— Então, por que não me mata, como eu tentei fazer com você?

— Para mim, isto seria um desperdício completo. Resolvi vingar-me de uma outra forma. Veja estas câmeras. Agora, por toda a galáxia, seres como eu, com paixão por jogos, estão apostando: quanto tempo você durará nesta cela? Você vai conseguir sair dela? E se sair, em quanto tempo?

— Grão-Mestre! Não sou um ser inferior para servir de espetáculo para estes seus jogos e apostas. Tire-me daqui imediatamente.

— Irmão! Infelizmente, isto está tendo uma atenção nunca vista por mim anteriormente. E, como você sabe, não resisto a uma aposta. Por isso, boa sorte nas suas tentativas. Você receberá a quantia de alimentos necessária para sobreviver, mas para um ser que tem a idade do Universo, isso não será problema.

E, rindo, o Grão-Mestre afasta-se, deixando o Colecionador esbravejando contra as câmeras e esmurrando as estruturas da cela. Ele chega até uma pequena nave. Embarca e, antes de partir, anota em uma espécie de agenda:

Acompanhar as inúteis tentativas do Colecionador
Visitar Satnalk-4 para conhecer as suas corridas de espaçomotos
Olhar com mais atenção para a Terra!!!




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.