hyperfan  
 

Liga da Justiça # 22

Por Robson Costa

Redenção

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Liga da Justiça
:: Outros Títulos

O alarme soa por toda a base lunar. Rapidamente, os integrantes da Liga que lá se encontram dirigem-se ao monitor de onde vem o som. Super-Homem e Capitão Átomo são os primeiros a chegar, seguidos por Gyrich e o Arqueiro Verde. Lá eles encontram Boris Lievin totalmente petrificado, olhando para o alto.

— Bóris, o que diabos está acontecendo por aqui? — esbraveja Gyrich, enquanto se aproxima do embaixador russo, até que ele se assusta também — O que é isso?

Flutuando acima dos dois está o corpo astral do Dr. Estranho, o mago supremo. Strange diverte-se intimamente com o susto que aplicou aos dois membros da comissão, mas logo tenta controlar a situação.

— Desculpe-me, agente Gyrich. Desculpe-me, embaixador Lievin. Mas esta foi a forma mais rápida que eu encontrei para me comunicar com a Liga.

— E do que se trata, Dr. Estranho? — pergunta o Capitão Átomo.

— Esta noite o Mal será liberado na Terra, se não agirmos com rapidez.

Pouco a pouco, Batman recobra a sua consciência. Lança um olhar em torno e vê os seus colegas também acordando. As mãos de todos estão presas em algemas neurais que bloqueiam seus superpoderes: a mesma arma usada por Destino para incapacitá-los. Batman respira aliviado por Bárbara não estar entre os detidos. Ele sabe que Oráculo, mesmo presa na cadeira de rodas, ainda saberia se defender, mas com certeza não faria frente aos robôs de Doom.

— Vejo que nossos convidados já acordaram, Destino — fala Vandal Savage.

— Savage, não temos tempo. Pelas leituras da estrelas e planetas, o momento é agora para o que pretendemos fazer.

— Não se preocupe. Já está tudo organizado e, em breve, poderemos iniciar a cerimônia.

— O que vocês dois pretendem fazer? — pergunta Batman.

— Ora, cavaleiro das trevas, como eu já falei: uma reunião de família. Victor Von Doom vai se reencontrar com sua amantíssima mãe. Que no momento está no inferno!

— Os mísseis! Os alvos dele! Não acredito que usaria a morte de todas aquelas pessoas...

— Batman, não seja sentimentalóide. Isto não combina com a sua figura. Mas você estava certo. Este seria o uso que faríamos de um dos mísseis. Com os outros, eu voltaria a fazer chantagem. Ninguém detectaria o lançamento dos mísseis graças à tecnologia de Doom e, também, ao trabalho de Sven em globalizar a Latvéria.

— Savage me procurou algum tempo atrás. Eu lhe propus um acordo: eu o ajudaria nas suas atividades terroristas e ele traria a minha mãe do inferno. — fala Dr. Destino, com a sua voz metálica, ressoando por todo o ambiente — Ele me deu alguns dias para pensar. Durante este tempo, soube do roubo dos mísseis e da chantagem que ele fez. Naquela noite, ele voltou a me procurar, querendo sabe da resposta e eu aceitei. Já havia tentado todas as formas possíveis, místicas e científicas que conhecia e sempre havia conseguido o fracasso. Savage e Pórtex então despacharam os mísseis, sem que os outros integrantes da Legião do Mal percebessem. Mantive os mísseis escondidos até que eles voltaram a aparecer.

— Não sabia que você conhecia magia, Savage. — estranha Eléktron.

— Ora, doutor Palmer. Com os anos que possuo, já acompanhei todas as formas de pensamento que a humanidade seguiu: animismo, magia, alquimia, iluminismo, psicologia. Escutei Sócrates, Platão, Descartes, Marx, Voltaire, todos os grandes pensadores. Conheci a Grande Deusa, o Panteão Egípcio, Zoroastro. Para mim, o que vocês chamam de magia foi apenas mais uma fonte de conhecimento. Ofereci um ritual para Destino que aprendi com o próprio Aleister Crowley. O demônio adora grandes ofertas. E o número de almas que ofereceríamos iria encher o inferno por várias gerações. Afinal, é um preço até baixo para devolver uma mãe ao seu filho.

— O que vocês vão fazer é abominável! — indigna-se o Caçador de Marte.

— Sim, marciano. Mas, depois da visita inesperada de vocês, resolvemos mudar a nossa oferenda: em vez da vida de milhões de pessoas, ofereceremos as almas de quatro integrantes da Liga da Justiça. Afinal, para pessoas tão abnegadas como vocês, este seria o sacrifício maior: a vida de vocês pela de pessoas totalmente inúteis e desprezíveis. Vocês, justiceiros, me enojam.

— Rápido, Savage. — fala Dr. Destino — As estrelas já estão em posição. Pórtex, traga o braseiro.

Pórtex abre um portal e logo reaparece ao lado de Doom com o braseiro. Os dois vilões acendem o fogo. Savage sobe até a plataforma onde eles se encontram e veste uma túnica preta. Destino e Pórtex também fazem o mesmo. Vandal joga no braseiro algumas folhas e galhos, enquanto recita em uma língua antiga as palavras para abrir o portal infernal. Todo o galpão fica extremamente frio. E as luzes apagam-se, ficando apenas algumas velas acesas e o fogo do braseiro.

— De uma coisa vocês podem ter certeza: não tenho humor para nenhuma gracinha agora. — diz o Homem-Borracha, acompanhando atentamente o ritual satânico, junto com os seus colegas de equipe.

De repente, o portal se abre e, pouco a pouco, um vulto começa a se dirigir para a abertura.

— Ora, ora... enfim, voltamos a nos encontrar, Doom. — diz Mefisto.

Aço acaba de chegar na base da Liga. Apesar do Arqueiro Verde ter enviado uma mensagem tranqüilizando a todos sobre o motivo do alarme, para alguns a mensagem chegou tarde e, para outros, como Aço, a curiosidade falou mais alto. No caminho, ele encontra com Fóton.

— Mônica, como está a situação?

— Nada boa, doutor Irons. Dê uma olhada.

No meio da sala do monitor, Mulher-Maravilha trava uma discussão com Gyrich e Capitão Átomo. Super-Homem encontra-se sentado em uma cadeira, sentindo-se totalmente derrotado. O corpo astral do Dr. Estranho continua pairando sobre todos. Aço dá uma olhada em redor e verifica que o grupo está completo.

— Como não iremos fazer nada? — grita Mulher-Maravilha — Dr. Estranho é o mago supremo! Se há uma ameaça, a Liga da Justiça deve estar preparada para enfrentá-la!

— Não! Mil vezes não, princesa Diana! — retruca Gyrich — Não é por que toda vez que surgir um "fantasminha camarada" no meio da base que a Liga sairá.

— Acalme-se, Mulher-Maravilha! — ordena Capitão Átomo — Reconheço a autoridade do Dr. Estranho neste tipo de assunto, porém o que ele disse até agora é extremamente vago.

— Capitão, — fala Stephen Strange — o aviso foi dado pelo Olho de Agamotto. Normalmente, não tenho capacidade de ver ameaças futuras. Mas o fato é tão grave que o amuleto me avisou antes que acontecesse. É necessário agirmos com rapidez.

— E onde está tal ameaça, Dr. Estranho? — pergunta Flash

— Pelo que vi no Globo de Agamotto, a ameaça se originará na Latvéria.

— Latvéria?! — fala Gyrich — A Liga não irá invadir um país membro da ONU! Ainda mais baseado em suposições ou invencionices de um... de um...

— Gyrich, isto é um absurdo! — interrompe Mulher-Maravilha — Isto é uma omissão muito grave!

— Mulher-Maravilha! — fala Capitão Átomo — Como líder, concordo com a comissão! Não iremos mandar um grupo até a Latvéria para investigar ou mesmo combater uma ameaça que não existe realmente.

— Então não participaremos desta missão devido a dúvidas. Mas abandonar colegas à morte nós podemos?

A pergunta surpreende a todos. Um silêncio pesado ocupa toda a sala. Admirados, todos olham em direção a Aço, o autor da pergunta.

— Do que você está falando, Aço? — pergunta o Capitão Átomo.

— Quando entrei na Liga, eu achava que nunca veria um ato de traição dentro da equipe. Mas, neste momento, colegas nossos estão correndo risco de vida e demos as costas para eles!

— Esta acusação é muito grave, John! — fala Super-Homem, levantando-se de sua poltrona.

Aço nada responde. Apenas pressiona um botão da sua armadura e todos ouvem a mensagem enviada por Oráculo para a base. Gyrich assusta-se. Fica imaginando como Aço teve acesso àquela mensagem.

— Aço, como líder do grupo, não tive conhecimento desta mensagem. — fala Capitão Átomo, surpreendido.

— É verdade, Capitão. Pois ela foi apagada, como todos os registros referentes a ela dos computadores da Liga por Gyrich.

A revelação choca a todos. Aço continua:

— Antes de ser expulsa, Oráculo invadiu os sistemas da ONU e lá ela descobriu qual seria a nova formação da Liga e repassou ao Batman. Ele, então, entrou em contato comigo e pediu que eu trabalhasse como um espião para ele, informando principalmente dos atos da comissão. Oráculo forneceu-me programas espiões que me informavam diariamente os atos de cada um dos membros. Foi desta forma, que tive acesso à mensagem da Oráculo e os logs que indicam a traição de Gyrich.

Os heróis se revoltam. Capitão Átomo está atônito.

— Gyrich, — fala Super-Homem — você deixou amigos nossos a própria sorte, mesmo sabendo que a situação deles era grave, apenas para manter a ordem que tanto deseja? Durante muito tempo, deixei-me levar por estas intrigas políticas e entrei em conflito com muitos amigos! Esqueci do que realmente importa! Justiça! Verdade! Agora, acabou! Fóton! Dr. Estranho! Partam imediatamente para a Latvéria! Verifiquem a situação do Batman e dos outros e tentem descobrir qual é a ameaça anunciada pelo amuleto!

— Sim, Super-Homem! — falam conjuntamente os dois heróis, e logo desaparecem dos olhos de todos.

— Parem! Vocês não podem fazer isso! A independência da Liga foi suspensa pela ONU. Vocês devem se reportar à comissão! — fala Gyrich.

— Agora, não mais! A Liga não responde à ONU nem a mais ninguém. Agora, vamos, justiceiros! Capitão Átomo, você nos acompanha?

O Capitão Átomo não responde. Tenta balbuciar algumas palavras. Super-Homem parte junto com os outros para os teletransportadores. O líder não sabe o que fazer. Ele já mentiu para eles uma vez e não gostaria de falhar novamente. Mas ao mesmo tempo, havia concordado trabalhar com a comissão. Contudo, o que faria se a comissão cometesse algum ato ilegal ou mesmo imoral? Continuaria com a comissão ou com os heróis que não confiavam nele?

— Demônio! Eu lhe convoco para exigir que me devolva a minha mãe! — ordena Dr. Destino.

— Doom! Você já deveria ter aprendido que eu sou o príncipe das mentiras! A sua alma negra já me pertence há muito tempo. E nada que você tente, seja com a sua tecnologia seja com encantamentos, fará com que eu lhe entregue a sua mãe.

— E por uma negociação, Mefisto? — fala Savage.

— Ora, ora. Uma reunião de velhos amigos. E o que você e Doom têm a me oferecer para que eu libere a mãe de Destino da minha dimensão?

— Veja você mesmo. Ali estão quatro integrantes da Liga da Justiça! Almas puras! Um deleite para um apreciador como você, Mefisto! Estas quatro almas pela a alma de uma cigana. O que você acha?

— Você, como sempre, é um grande negociador. Aprenda com ele, Doom! Vejamos... uma alma alienígena, mas totalmente abnegada a uma humanidade que desconfia dele... um ser pequeno, mas com uma alma imensa... uma alma torturada pela dor e pela vontade de fazer justiça... uma alma que quer se recuperar... sim, sim... são excelentes ofertas.

— Então, demônio? — pergunta Dr. Destino — Quatro almas heróicas pela alma da minha mãe.

— Aceito, Doom. Entregue-me os heróis.

— Não! Antes, restitua a minha mãe!

— Combinado! No momento que sua mãe atravessar o portal, as almas dos heróis deverão ser entregues a mim.

— Com prazer, Mefisto. — diz Savage. O vilão posiciona-se atrás do Batman e encosta um punhal no pescoço do herói.

Mefisto sorri com a atitude do vilão. Ele faz um gesto e aos poucos um vulto começa a surgir. Sua visão é embaçada devido aos vapores da dimensão do demônio, mas logo as feições da mãe do Dr. Destino tornam-se nítidas. O tirano aproxima-se do portal e estende a mão para alcançar a mão estendida pela cigana. Porém, antes que ela possa atravessar o portal, Fóton e o Dr. Estranho (ainda na forma do seu corpo astral) invadem o galpão. O mago supremo invoca os poderes de Cyttorak e fecha o portal com a dimensão de Mefisto. Doom grita em desespero. Fóton, por sua vez, dispara dois raios lasers: um na mão de Vandal Savage, para desarmá-lo, e outro contra o painel que controlava as algemas neurais.

— Malditos! — fala Dr. Destino — Mais uma vez me foi retirada a chance de me reencontrar com a minha mãe! Irei destruir a todos! — e começa a disparar rajadas de energia.

Os heróis livram-se das algemas e desviam dos raios. Fóton dispara raios para conter o ditador.

— Savage! Dr. Destino! A Liga da Justiça chegou! — avisa Pórtex.

Destino insiste, mas o seu ataque está sendo totalmente bloqueado por Fóton. Savage consegue chegar a plataforma onde está o seu aliado.

— Doom! Continuar aqui será perda de tempo! Robôs, ataquem! Pórtex, detenha os heróis!

— Parem onde estão! — ordena Batman.

Savage pressiona um botão e no mesmo instante seis mísseis são lançados. Doom pressiona e uma passagem secreta surge, por onde os dois vilões fogem. Pórtex já havia se teleportado para tentar deter os heróis que chegaram e, agora, enfrentavam o exército de robôs de Destino.

— J'onn, avise o Super-Homem sobre os mísseis! Eléktron, venha comigo! — ordena Batman.

O Caçador de Marte destrói um dos robôs com sua visão de calor e atravessa a parede do galpão para encontrar com os outros. Homem-Borracha envolve os robôs e joga um contra o outro. Fóton dispara várias rajadas destruindo vários autômatos. Dr. Estranho invoca vários feitiços que também inutilizam outros.

Ray Palmer salta de dentro de um robô que ele tinha dado um curto para a mão de Batman. O cavaleiro das trevas leva o diminuto herói até a passagem secreta usada pelos vilões. Eléktron diminui mais e entra entre as frestas até que ele ativa o mecanismo, abrindo a passagem, por onde ele e Batman entram.

Lá fora, o restante da Liga continua a luta contra os robôs, mas logo a resistência diminui.

"Super-Homem! Savage disparou seis mísseis! Eles têm como destino várias cidades e capitais mundiais!" — alerta telepaticamente o Caçador de Marte.

"Kyle! Capitão Marvel! J'onn! Aço! Sigam-me! Temos que deter estes mísseis!" — ordena Super-Homem, utilizando-se do canal telepático mantido pelo marciano. Os heróis convocados partem cada um em direção a um dos mísseis.

Em terra, Mulher-Maravilha assume a liderança do ataque. Usando da sua força, a princesa amazona derrota vários oponentes. Arqueiro Verde utiliza-se de suas flechas especiais e detém outros robôs. Flash avança velozmente entre os autômatos, destruindo-os um a um, porém, antes que perceba, Pórtex surge na sua frente e abre um portal dimensional mandando o velocista para outro lugar, bem distante.

— Menos um justiceiro...

— Oi, Pórtex. Já havia conhecido o Vesúvio em uma oura viagem.

Pórtex se assusta ao ouvir a voz de Flash. Antes que possa abrir outra porta dimensional, Wally West desfere um soco, tirando a consciência do vilão.

— Desculpe-me, Pórtex, mas como agente de viagens, eu sou melhor. Você foi para o mundo dos sonhos e depois para prisão.

— Formaremos uma nova Liga. Há bons nomes que podemos chamar e que serão mais responsáveis e obedientes à gerência da ONU. — fala Gyrich aos outros integrantes da comissão.

Capitão Átomo acompanha a ação dos heróis. Ele viu os mísseis sendo disparados e os justiceiros partindo atrás deles. Kyle logo alcança seu alvo e envolve o míssil em um globo de luz esmeralda. O artefato explode, mas sem espalhar radiação, contida pela proteção criada pelo Lanterna Verde.

Super-Homem e J'onn J'onnz alcançam os mísseis que perseguiam e levam-nos para o espaço, onde explodem em segurança. Capitão Marvel abraça o míssil que iria atingir Los Angeles e profere sua palavra mágica. Um relâmpago surge e destrói a arma nuclear. Logo, um outro relâmpago surge e da fumaça da explosão, a figura do Capitão Marvel aparece sorridente. Aço consegue desativar o quinto, sem precisar explodí-lo.

Capitão Átomo então percebe que há um sexto míssil e que nenhum dos outros heróis chegará a tempo de detê-lo. Rapidamente, começa a digitar alguns comandos no computador da base lunar. De repente, a embaixadora Mei Li e o embaixador Farah Ahmed começam a desaparecer da frente dos seus colegas de comissão até sumirem completamente. Bóris Lievin e Gyrich se assustam. Logo, Bóris também segue o mesmo destino dos outros dois.

— Capitão, o que isto significa? — questiona Gyrich.

— Significa que fiz o que devia ter feito a mais tempo. Estou teletransportando vocês de volta a ONU e, ao mesmo tempo, bloqueando o acesso dos quatro à base da Liga da Justiça.

Gyrich tenta convencer o herói, mas antes que consiga abrir a boca, também desaparece. O Capitão Átomo aperta mais uma vez o botão e também é teletransportado, mas para Moscou, onde as pessoas a seu redor correm assustadas ao verem o míssil se aproximando.

Capitão Átomo voa em direção da arma nuclear com toda sua velocidade e choca-se contra ela. A explosão ilumina os céus da capital russa. Porém nada é destruído, pois o herói consegue absorver todo o impacto e radiação da explosão, gerando um salto quântico. Os moscovitas saúdam o herói, porém eles não o vêem no céu. Da comemoração, vem um sentimento de luto em toda cidade.

— Destino não deve fugir como uma ratazana pelos esgotos de uma cidade. — reclama o ditador da Latvéria.

— Doom, uma coisa que se aprende com um longo tempo de vida é que orgulho não serve de nada. O que importa é a sobrevivência.

— Savage, somos aliados temporários. Ofereci-lhe guarida e esconderijo para os mísseis russos e você me prometeu que teria a minha mãe de volta. A partir deste momento, iremos trilhar caminhos diferentes e sei que os nossos interesses nos levarão a ficar em lados opostos.

— Como desejar. Mas agora onde este túnel nos levará?

— Há um rio onde há um barco preparado.

— Ótimo.

De repente, um batarangue corta o ar e envolve os dois vilões com uma corda. Dr. Destino, tomado pela ira, rompe a corda.

— Batman, não sou um desses delinqüentes que você enfrenta em sua decadente cidade. Sou Victor Von Doom. Rei da Latvéria.

O cavaleiro das trevas caminha calmamente até onde estão os dois vilões.

— Eu sei disso, Dr. Destino. Mas o batarangue foi apenas um estratagema para uma arma melhor.

Antes que o tirano retruque, percebe que perdeu o controle da sua armadura. Curtos surgem por toda parte. Como um boneco de corda, o vilão choca-se com as paredes do túnel, andando atrapalhadamente. Até que vai ao chão, imóvel, sem conseguir movimentar os braços e as pernas. As armas foram todas desativadas e os jatos estão inutilizados. Doom então vê Eléktron caminhar sobre a sua máscara até chegar ao nível dos olhos do vilão.

— Desculpe-me, Dr. Destino. Mas causei uma grande confusão na sua armadura.

Savage vê o seu aliado derrotado caído no chão e vira-se na direção de Batman.

— Agora é apenas entre nós dois, Savage. — diz Batman.

O vilão pega uma espada que estava presa à parede e avança em direção aos heróis. Batman desvia-se e alcança outra espada, iniciando um duelo. Savage mostra ser um espadachim excelente, detendo alguns golpes de Batman e o cortando em alguns lances.

— Desista, Batman! Eu sou Vandal Savage! A humanidade passará, eu não!

— É o que veremos!

Savage investe novamente. Batman salta sobre o vilão e rapidamente desfere um golpe que corta o rosto dele. Savage grita de dor. Ele toca o local da ferida. Tomado pela fúria, ataca com mais força e rapidez. Batman defende-se de todos os golpes, até que desarma o vilão. A espada cai longe. Savage não vê outra espada mais perto e corre para a saída do túnel. Porém, antes que consiga fugir, Eléktron surge em sua frente. Ray Palmer cresce rapidamente até atingir a sua altura normal e desfere um potente soco em Savage. O vilão cai inconsciente. Batman aproxima do corpo inerte do vilão.

— J'onn acaba de me informar telepaticamente que os mísseis foram detidos e o exército de robôs de Destino foi derrotado. Pórtex também foi capturado.

— É, Batman... mais um dia de trabalho normal para a Liga da Justiça!




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.