hyperfan  
 

Flash # 16

Por Igor Appolinário, sobre um plot de Délio Freire

The Flash and The Crash Days
Parte Final

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Flash
:: Outros Títulos

— Eu consegui, cavalheiros — diz tranquilamente o grande gorila negro de terno sentado em uma confortável cadeira de couro. À sua frente, mercenários armados observam o pequeno monólogo do gigante — O que nenhum outro "vilão" jamais conseguiu. Eu sou aclamado pelo público. Eu sou adorado, protegido... desejado pela humanidade.

Ao lado de sua mesa elegante, um display de vidro expõe todos os produtos de merchandising com a marca "Grodd". Ao lado desta, uma grande TV LCD mostra gráficos da expansão dos negócios do símio gigante a partir de Keystone City. Expansão essa que está para explodir ainda mais...

— Agora só preciso que o Flash, fique ao meu lado...

FLAAAAAAAAAASHHHHHHHH!!!!!!!

— Onde ela está, Grodd!? (*)

Grodd se vira e vê seus homens no chão, abatidos em nanossegundos. Olha para o homem vestido em uniforme vermelho com um misto de desgosto e triunfo. Ele se levanta da cadeira, todo o seu corpo simiesco colocado em pronta ereção.

— Você tem hora marcada... Flash?

— Não brinque comigo, Grodd! Onde está Linda?

TLEK!

Com um estalo de seus dedos de pele grossa, Grodd faz um segundo monitor surgir no painel de madeira da parede. Nele Wally vê, incrédulo, Linda amarrada, chorando compulsivamente enquanto uma arma é apontada contra sua cabeça.

— O que você quer seu maníaco... eu sabia que você não tinha se regenerado!

— Tsc, tsc, Flash. — diz Grodd, perambulando pela sala — Eu não sou o vilão dessa história. Eu sou como você, como o homem simples andando na rua, dezenas de andares abaixo, como a senhora que vê meus documentários em casa pela TV. Eu quero ser vocês! A humanidade tem tanto... potencial! Eu quero fazer parte dessa maravilhosa coletividade, Wally. Eu não pertenço àquele bando de animais dos quais descendo, assim como vocês são diferentes do primata primordial. Eu quero me espelhar em vocês e ser seu espelho, seu guia, seu modelo...

— Modelo?! — diz Flash, o nojo preenchendo sua boca — Você tenta se diferenciar da Sociedade dos Gorilas, mas você não passa de um monstro...

— Eu já influencio sua cultura, Flash. Moda, comportamento, música, artes, filosofia... ah! — Grodd se regozija da sua corrente de pensamento — Acredito que o homem é essencialmente bom. Acredito ser necessário conhecer o homem em seu estado mais primário para podermos libertá-lo de suas amarras, para poder o homem ascender a um novo estágio. Como Rousseau, acredito que seja necessário se despir do conhecimento do homem civilizado, seja necessário se livrar da razão para se atingir ao homem natural, ao homem verdadeiramente bom. Eu sou esse homem natural, Flash. Eu sou a resposta aos anseios da humanidade.

— Hahahahaahahahahhaa! — Flash não consegue deixar de soltar uma gargalhada sincera — Você não é a resposta a nada, Grodd! Você é a causa dos problemas. Você é a Entropia e o Caos que permeiam a vida das pessoas comuns, não consegue perceber? Tudo o que você quer é dinheiro e fama. Você corrompeu, roubou, esquematizou e até... matou uma mulher inocente!

— Auto-preservação, Wally. O que vocês convenientemente chamam de "legítima defesa". Eu sou o homem natural, nada poderia abalar minha jornada. E você, "Flash", é a chave para que essa jornada. Deixe Keystone e conquiste o mundo!

Enquanto Grodd se gaba de seu "plano perfeito", Wally não consegue tirar seus olhos de Linda. De repente, o galpão onde ela está se ilumina e barulho de tiros são ouvidos. Flash fica estático e Grodd se vira a tempo de ver a UCE invadindo o seu esconderijo, dominando seus capangas e resgatando Linda.

Wally relaxa ao ver Simpson Smith abraçando Linda, o homem se vira para a câmera e faz um sinal de positivo, indicando que a mulher está bem. Grodd solta um grito gutural e parte para cima do velocista. Flash se desvia, mas sente uma forte pontada no flanco, ainda abalado pelo confronto com o Chapeleiro Louco. (**) Grodd aproveita o momento de descuido e atinge o velocista, que bate contra um dos monitores e cai no chão. Flash se recupera logo e corre para cima do gorila, o atingindo com diversos socos por segundo, porém pouco efetivos. Grodd é forte, furioso e implacável. Flash tenta todos os pontos fracos que conhece, mas o símio é como uma parede de pedras. Grodd tira uma faca de guerra de baixo do tampão de uma mesa e atinge Flash no ombro. Eles se evitam, se batem, se cortam...

Aaaahhh!!!

Grodd atinge a coxa de Wally, que cai no chão. O gorila avança sobre o velocista, que tenta se mover, mas sente os músculos da perna se contraindo em vão, lançando sangue pelo ferimento. Ele só tem um pensamento em mente, o mesmo pensamento quando ele está conectado à Força da Velocidade...

— Hermes! — grita Wally pelo deus grego. Ele sabe que a divindade está ali, sempre em sua mente, conectados.

O tempo pára, Grodd fica preso em seu movimento de ataque, a faca brilhando a poucos centímetros de Wally.

Sim, meu protegido. — diz Hermes de alguma subdimensão invisível — Agora você clama pelo meu nome?

— Sim, você é o único que pode me salvar.

E quem salvará os deuses na Terra, Wally West?

— O quê?

Eu lhe darei proteção, meu escolhido. Mas você me representará na Terra, como já mais de uma vez lhe pedi.

— Mas, eu... eu não posso...

Então eu sinto muit...

— Espere! Inferno! Eu não posso aceitar isso, mas... mas sei de alguém que aceitaria de bom grado...

— Linda, tome um pouco de água.

Simpson Smith cuida de Linda, que se senta na calçada em frente ao galpão onde esteve presa, o paletó do agente sobre o seus ombros.

— Obrigada, Simpson...

— Linda, eu estava realment...

— Você sabe se Wally está bem? Tenho certeza que isso foi algo feito para machucá-lo...

Smith se cala ao ser interrompido por preocupação com Flash. Ele olha para a bela mulher a sua frente e pensa no que dizer quando...

FLAAAAAAAAAASHHHHHHHH!!!!!!!

Um vendaval passa por eles. Smith e Linda olham para a direção para onde ele partiu, tentando distinguir o que era o borrão vermelho e azul que acabara de passar.

Grodd retorna da pausa temporal em seu movimento fatal, quase rápido o suficiente para atingir Wally, que se desvia na ultima hora. Ele se prepara para outro golpe quando uma rajada de vento azul e vermelho adentra o escritório e o atinge em cheio.

Joel Ciclone ajuda Wally a se levantar, o ferimento quase curado devido a alta regeneração do velocista. Imbuído do espírito de Hermes, Jay Garrick corre para cima da fera como o novo avatar terrestre do Deus da Velocidade.

Wally e Jay lutam contra a criatura que se rebate cada vez mais furiosa. Com socos ultrassônicos, os velocistas lançam o Gorila Grodd ao chão, derrotado. Suas roupas humanas rasgadas a trapos, seu belo escritório estilhaçado. Agentes da UCE invadem o local e imobilizam a fera, que não reage.

— Bom trabalho, Flashs! — diz um agente de campo — Creio que dentro desse edifício vamos achar todas as evidências que precisamos para acabar com a organização de Grodd. Não vai sobrar tostão em cima de tostão.

— Eu só quero esse monstro preso... — diz Wally.

— Ele não é nada mais do que aquele vilão que nós bem conhecemos, Wally — diz Jay, iluminado em sua aura semidivina.

— O que eu não sei se será tão vantajoso assim para nós... — afirma Wally West, ao final.


:: Notas do Autor

(*) Veja a edição anterior. voltar ao texto

(**) Em Flash # 13. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.