hyperfan  
 

Lanterna Verde # 11

Por Igor Appolinário

Nova Oa — cerca de dois meses atrás (*)

— Obrigado, Cilyx. — diz Hal Jordan ao sair do recinto reservado. Logo atrás dele, uma jovem mulher humanóide, de pele azulada e antenas insectóides. Cilyx Mirkel, nova integrante da Tropa dos Lanternas Verdes e experiente curandeira do planeta Duruvar K, faz um gesto com a cabeça e se afasta, tendo logo atrás de si Furtiva e Merayn Dethalis. Jordan e Jean Grey-Summers observam-nas se afastando, em silêncio.

— Muito obrigada. — diz a mutante telecinética — Eu não sei se seria possível agradecer o suficiente pelo o que você fez por mim. Ajudá-lo a treinar a Nova Tropa tem sido muito bom para mim também, mas... eu ainda tenho alguma utilidade para todos?

— Claro. — diz Hal, pensativo — Mesmo que os novos alunos estejam formados, você é uma aliada valiosa. E apreciaria muito sua permanência por aqui. Mesmo que você tenha assuntos mais... urgentes para tratar.

— Eu adoraria. — diz Jean, cabisbaixa, ajeitando as dobras do manto esverdeado que veste, o anel de Lanterna brilhando em seu dedo médio — Então... vamos à formatura?

— Sim, uma celebração antes de eu partir em busca de novos recrutas.

Hal e Jean caminham juntos para um grande estádio. Lá, John Stewart e Furtiva discursam em meio a um grande número de novatos. Com um gesto, a mulher de pele alaranjada marca os uniformes dos novos recrutas com a insígnia dos Lanternas Verdes, oficializando o final de seu treinamento.

A Nova Tropa do Imperador — Parte I
Prólogo

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a Lanterna Verde
:: Outros Títulos

Nova York — Terra — novo setor espacial 001

— Ah! Como é bom voltar pra casa. Ainda mais quando se tem um encontro com uma gata!

Kyle Rayner voa para dentro do seu apartamento e se apronta rapidamente, tentando parecer o mais bem arrumado possível, ansioso por seu encontro com Felícia Hardy. Ele chega cedo ao restaurante no SoHo e tamborila animado os dedos na mesa enquanto aguarda sua acompanhante.

— Kyle? — diz uma voz às costas do jovem desenhista, que lentamente se vira na cadeira. Ele se depara com uma bela jovem de longos cabelos dourados. Seus olhos verdes encontrando os olhos azuis dela brilham intensamente. Em seu vestido negro aveludado, ela se senta à frente de Kyle e eles começam a jantar, conversando animadamente.

— É ótimo te ver de novo, Felícia. — diz Kyle, se derretendo a cada palavra dita pelos lábios avermelhados da jovem.

— Eu fico feliz que você tenha vindo... muito feliz.

Eles conversam amenidades, riem juntos enquanto comem e olham a cidade pela grande janela do restaurante. De repente, um caminhão na rua logo abaixo tomba, despejando suas caixas na rua e causando diversos acidentes consecutivos. Kyle e Felícia ficam inquietos, pensando no que fazer.

— Kyle, eu... hum... preciso ir ao banheiro.

— Boa idéia, Felícia. Também preciso tirar uma água do joelho. — diz Kyle, enquanto os dois correm para direções opostas.

Lanterna Verde sobrevoa o acidente e ergue o caminhão e sua carga, deixando livre o caminho pra que os bombeiros ajudem as pessoas nos carros batidos. A Gata Negra surge logo depois e observa o herói do alto de um prédio.

— Bem pensado, bonitão... — diz ela, saltando para perto dele — Vamos ver se fazemos uma bela dupla! — diz, pulando para o meio do acidente e ajudando os bombeiros.

"Ai, ai, se a Felícia não estivesse me esperando no restaurante..." — pensa Kyle, deixando o caminhão e sua carga realocados em outro quarteirão, enquanto observa a Gata Negra se afastando.

Sistema Kariss — novo setor espacial 018

Em torno de uma estrela azul, cinco planetas rochosos singram em uma órbita elíptica perfeita. Nos três planetas principais do sistema, seu povo pacífico comemora uma nova época de colheita e fartura propiciada por seu deus-sol azul. Porém, em meio à alegria e à festa, explosões e violência eclodem nas capitais. Uma armada khúndia se materializa nos limites do sistema e ataca as principais cidades dos cinco planetas, capturando escravos, saqueando posses e alimentos, matando no processo todos os poucos guerreiros, homens, mulheres e infantes.

Quando as naves e cargueiros deixam o então pacífico sistema, um silêncio sepulcral permeia o ambiente combalido.

Porta-aviões aéreo da SHIELD — sobrevoando New Jersey

<< Guy Gardner da Terra, novo setor 001. Eu venho lhe trazer uma mensagem... >>

Guy Gardner, ex-Lanterna Verde e atual portador do anel amarelo de Sinestro, acorda em um pulo de sua cama no alojamento da SHIELD. Ele escorrega em uma samba-canção jogada no chão do quarto e cai de bunda. Uma pequena bola de energia esmeralda flutua sobre sua cabeça.

— Eu espero que isso seja realmente importante! — grunhe Guy, massageando a área dolorida.

<< Olá, Guy >> — diz a voz de Hal Jordan, vindo da esfera — << Espero não estar incomodando algum momento de privacidade. Mas eu tenho um convite a fazer... >>

— Hal? Mas você estava morto!

<< Você deve estar confuso com o meu retorno, mas eu estou de volta pelo bem de todos nós. Eu estou reconstruindo a Tropa no reconstruído planeta Xudar, agora Nova Oa, para mais uma vez impedir que o mal se espalhe pelo Universo. E eu quero você conosco, Guy. Você foi um dos melhores lanternas e eu quero seu auxílio. Você quer ser um Lanterna Verde novamente? >>

Guy Gardner olha intrigado para a esfera de energia, que continua sobrevoando sua cabeça, como que esperando sua resposta.

>> Padrão de energia esmeralda condizente com a da Tropa dos Lanternas Verdes. Identificação vocal confirmada: Hal Jordan da Terra, setor 2814 << — diz o anel amarelo a Guy, mitigando suas suspeitas, porém não afetando a desconfiança em seu coração.

— Olha, bolinha, eu gostaria muito de rever o Hal e conversar direito sobre isso. Mas agora eu vou ter que dizer "não", e posso fazer uma visita a essa "Nova Oa" assim que possível.

Sistema Kariss

Uma luz esmeralda corta o espaço no sistema Kariss e traz Hal Jordan, recém-saído do hiperespaço, ao novo setor estelar. Ele se aproxima dos planetas, pensando em como abordar o povo local.

— Anel, faça uma varredura biológica. Procure pelos seres inteligentes deste sistema.

<< Aguarde... análise completada. Níveis biológicos abaixo do esperado. Grandes sinais de decomposição em todos os planetas do presente sistema. Nenhum sinal de vida inteligente dominante. >>

Hal fica abismado e parte rapidamente para o maior dos planetas, possivelmente a capital do sistema. Ele atravessa as grossas nuvens da atmosfera e se depara com uma cena aterradora: o solo queimando em brasas, construções derrubas em suas fundações, campos saqueados e milhares de corpos violentados e espalhados pelo planeta.

— Não... de novo não!

Ele percorre todos os planetas do sistema encontrando a mesma cena terrível em todos eles. Ele pousa sobre uma montanha nevada, sem conseguir desprender os olhos dos milhares de karissianos mortos.

Uma explosão de energia esmeralda emerge da montanha, lavando o planeta capital. Os fogos se apagam, os corpos são envoltos em chamas esmeraldas e uma pira cerimonial se acende no pico mais alto. De repente, Jordan sente uma estranha energia e vê no espaço circundante do sistema um rastro ionizado, e parte em disparada, reconhecendo o padrão dispersor das naves khúndias.

Bolovax Vik — antigo setor espacial 674

Tum! Tum! Tum!

Dentro de um grande salão, como um templo árabe, porém de decoração estranha e surreal, batidas ecoam pelas paredes. Grandes prateleiras construídas nas paredes carregam caixões de metais de diferentes formatos e decorações. Anciões vestidos como monges caminham por entre os corredores imensos, hora ou outra parando ao lado de um caixão e encostando o ouvido do lado de fora.

Tum! Tum! Tum! PLAM!

Em uma das prateleiras mais remotas, as fortes batidas acabam por derrubar um grande caixão metálico, que ao cair no chão se abre levemente. Encravado na tampa, o símbolo onipotente dos Lanternas Verdes reluz contras as luzes baixas da catedral. De dentro dele, uma grande mão empurra a tampa para o lado, e um bolovaxiano nu sai de dentro do caixão.

— É um prazer revê-lo. — diz um ancião, se aproximando do alienígena — Sua volta era muito aguardada, dr. Kilowog. Seu processo de regeneração post-mortem demorou mais do que o esperado devido às injúrias severas causadas pelo ser Parallax.

— Quanto tempo eu demorei a retornar? — pergunta Kilowog, o antigo Lanterna Verde exterminado por Parallax, (**) aceitando o manto oferecido pelo ancião — O que aconteceu com a Tropa?

Em algum lugar do novo setor espacial 018

Hal sai do hiperespaço e vê a armada khúndia próxima a um espaçoporto planetário. Ele se aproxima da nau capitânia e aciona seu anel.

<< Análise de espectro energético terminada. Padrão energético condizente ao do ataque ao sistema Kariss. >>

Hal fica furioso, principalmente ao ver pelas janelas das naves, dezenas de guerreiros khúndios festejando e repartindo a pilhagem do sistema Kariss. Ele se afasta das naves e cria uma grande bolha de energia sobre elas, arrastando-as para longe do espaçoporto. Os khúndios ficam desesperados quando percebem que seus sistemas não respondem aos seus comandos e a energia esmeralda os prende firmemente.

Quando chega a uma região remota, Hal libera a armada. As naves se viram para o Lanterna Verde e preparam sua artilharia. Disparos ferozes são lançados contra Hal, que apenas ergue uma mão e impede que os tiros o atinjam. A energia vai se concentrando em torno de Hal, tornando-se parte da energia esmeralda até o ponto onde se torna uma enorme esfera de energia.

<< Vocês deveriam pensar melhor antes de destruir um sistema inteiro apenas para satisfazer sua luxúria por posses e guerra. >> — diz a voz de Jordan em todas as naves, através do anel — << Agora vocês servirão de exemplo para quem mais tentar algo parecido no meu Universo. Os Lanternas Verdes voltaram para proteger o cosmo. >>

A grande bolha de energia explode em uma onda de luz esmeralda. Ela varre as naves khúndias, destruindo os cascos e lançando os guerreiros em meio ao frio do espaço. Em meio aos raios verdes, reluzentes fios avermelhados transpassam os alienígenas, terminando suas miseráveis existências. Hal observa a tudo impassível, comandando a distância o espetáculo terrível.

Quando mais nenhum guerreiro khúndio mostra sinais de vida, Hal dá as costas aos destroços espaciais e reentra no hiperespaço, retornando à sua jornada.


Na próxima edição: Decisões equivocadas fazem crescer no coração do Conselho dos Lanternas a desconfiança sobre seu líder. E mais: o retorno de um antigo inimigo!


:: Notas do Autor

(*) Confira a sessão final do tratamento de Jean Grey em X-Men # 20. voltar ao texto

(**) Na minissérie Crepúsculo Esmeralda, publicada no Brasil pela Editora Abril. voltar ao texto




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.