hyperfan  
 

X-Men # 14

Por Eduardo Sales Filho

Prólogo — sede da Worthington Enterprises

Warren Worthington III não consegue acreditar que Helen Bancroft realmente fez aquilo. (*) O Anjo sempre a viu como uma mulher feliz, realizada profissionalmente e de bem com a vida. Seu suicídio não faz o menor sentido. O mutante olha para o envelope em suas mãos, contendo as últimas palavras de sua amiga, e se pergunta o quanto quer saber a razão daquilo tudo.

"Warren,

Lamento pelo que estou te fazendo passar. Tudo parecia tão claro antigamente, por que hoje tudo tem que ser complicado? Fiz coisas que não devia e das quais me arrependo, mas não tenho coragem de ir para a cadeia por isso. Não quero e nem vou deixar meus pais passarem por essa vergonha. Desculpe-me por tê-lo decepcionado e espero que um dia você seja capaz de me perdoar. Você foi um verdadeiro anjo em minha vida, deveria ter te escutado mais vezes.

Nos vemos numa outra vida.

Adeus,
Helen"

Dividir e Conquistar
Parte II

:: Sobre o Autor

:: Edição Anterior
:: Próxima Edição
:: Voltar a X-Men
:: Outros Títulos

Penitenciária da Ilha Ryker

O pátio da prisão está vazio. A chuva fina que cai nessa manhã de domingo obrigou os presos a receberem suas visitas num enorme salão interno.

Dois guardas tomam chuva, impassíveis, enquanto guardam, a uma distância segura, a solitária hermeticamente fechada, tendo apenas uma pequena abertura na altura da boca para passar comida e para que o ar entre. A cela, revestida de adamantium, mais parece um caixão erguido verticalmente sobre o chão, com a altura e a largura exatas para caber um homem e nada mais. Dentro dela está sendo mantido o mutante conhecido como Mercúrio.

Pietro Maximoff se surpreende quando os guardas repentinamente caem no chão. Tenta enxergar pela pequena abertura o que está acontecendo fora de sua cela, mas antes mesmo de vê-lo, ele já sente a presença de Magneto.

— O que está fazendo aqui, pai? — pergunta Mercúrio, com impaciência.

— Não consigo acreditar nisso. Eles realmente te prenderam? (**)

— Você não respondeu minha pergunta.

— Perdoe-me por parecer chocado ao ver meu filho aprisionado como um animal.

— Vou perguntar pela última vez: o que você está fazendo aqui?

— Vim libertá-lo, é claro!

— Não preciso de sua ajuda. E nem a quero.

— Ainda esperando que seus valorosos colegas Vingadores te tirem daqui? Vai esperar por muito tempo. Eles nem lembram mais que você existe.

— Os Vingadores devem estar ocupados, mas eles resolverão isso.

— Ocupados? Há quanto tempo você está aqui, filho? Sendo humilhado por esses inferiores?

— 73 dias, 8 horas, 27 minutos. — responde Mercúrio, mecanicamente.

— E ainda acha que eles virão? Seus amigos lhe abandonaram, meu filho. Assim como todos os humanos.

— Não.

— Eles não se importam com você, comigo. Com nossa raça.

— Os Vingadores são heróis, eles se importam com todos.

— Então por que nunca fizeram nada para ajudar os mutantes? Por que concordaram com sua prisão? Por que te deixaram aqui? Até os garotos de Xavier já teriam libertado um dos seus, à força se necessário, depois de tanto tempo.

— Heróis não invadem prisões para libertar prisioneiros.

— E heróis não deveriam ser mandados para a prisão, mas você está aqui ainda assim.

Mercúrio se cala.

— Eu preciso de você, meu filho. Chegou o grande momento para os mutantes, e quero você ao meu lado. Uma guerra vai começar, uma nova nação será formada e gostaria de ter você como meu general, meu ministro, meu amigo. Só podemos confiar em nós mesmos, Pietro, e em mais ninguém.

— O que você vai fazer?

— Dar liberdade ao nosso povo. Oferecer um refúgio para quem precisa. Um lar onde não serão perseguidos por seres inferiores e seus preconceitos tolos.

— Onde? — pergunta Mercúrio, curioso.

— Longe. Em outro continente. Não precisa ter receio de enfrentar seus antigos colegas Vingadores. Eles não serão um problema.

— Quando?

— Hoje. Agora. Já. — com essas palavras, Magneto usa seus poderes e parte ao meio a cela de adamantium onde seu filho era mantido sob custódia.

Mercúrio sai do local em que esteve preso nos últimos dois meses e seu primeiro reflexo é checar os sinais vitais dos guardas caídos.

— Não precisa se preocupar com eles, irão se recuperar eventualmente. E mesmo que carreguem seqüelas por toda a vida, será merecido por manterem meu filho aprisionado.

— Eles estavam apenas seguindo ordens.

— Era exatamente isso que os soldados nazistas disseram enquanto assassinavam seus avós em minha frente.

— Eu... sinto muito, deve ter sido difícil para ... — é interrompido.

— Isso é coisa do passado, não interessa pois hoje nós vamos construir o futuro.

Magneto levita em direção ao mar enquanto seu filho corre em supervelocidade sobre a água. O alarme soa estridente, informando que uma cela foi violada, mas já é tarde demais.

Mansão X — vinte minutos depois

Tempestade corre para abrir a porta. Os sensores da mansão acabaram de informar que Destrutor está na propriedade. Ororo sente falta do amigo, mas entendeu o seu desejo de se afastar do grupo por um tempo, e espera que essa visita indique que Alex Summers está de volta. O sorriso da mutante africana desaparece ao ver a tristeza nos olhos de seu colega.

— Alex? O que aconteceu? — pergunta Tempestade, com apreensão.

— Lorna. Eles levaram Lorna.

— Quem? Quem está com Lorna?

— Os Acólitos de Magneto, sob as ordens do próprio mestre do magnetismo. — o ódio é palpável na voz de Destrutor.

— Mas por quê? O que Magneto pode querer com Lorna?

— Não sei e não me interessa, mas eu vou buscar minha mulher de volta e preciso de ajuda.

— É claro, nós iremos ajudar sem sombra de ... — Ororo é interrompida pela voz de Kitty Pryde no sistema de som da mansão.

Tempestade, venha até a sala de guerra imediatamente e traga Destrutor. Vocês precisam ver isso. — a voz de Kitty passa uma preocupação que aumenta ainda mais a ansiedade de Ororo Monroe.

Os dois mutantes correm pelos corredores o mais rápido possível. Ao entrar na sala de guerra, encontram Cable, Wolverine, Noturno, Colossus e Kitty Pryde em frente à TV. Na tela um repórter da CNN informa:

"Já está confirmado, Magneto realmente deu um golpe de estado e se tornou o novo governante de Genosha. O embaixador genoshano nos Estados Unidos disse que espera da ONU uma resposta rápida e forte contra o que ele descreveu como ´um ato de selvageria de um louco´. Fontes na Casa Branca informam que o presidente estava em Ohio fazendo campanha pra sua reeleição mas já está a caminho de Washington, onde deve dar uma declaração em breve."

Cable tira o som da TV e olha, apreensivo, para todos na sala.

— Agora já sabemos pra onde Lorna foi levada. — diz Tempestade — X-Men, preparem-se, nós vamos para Genosha.


A seguir: Tem início a maior saga mutante de todos os tempos e você não pode perder.


:: Notas do Autor

(*) Confira na última edição. voltar ao texto

(**) Em Vingadores # 07. voltar ao texto


Esta edição faz parte da saga Imperius X! Confira a seqüência de leitura:
:: Prólogos:
X-Men # 14
Gambit # 01
:: Fase 1:
X-Men # 15
Gambit # 02
:: Fase 2:
X-Men # 16
Gambit # 03
X-Factor # 01
:: Fase 3:
X-Men # 17
Gambit # 04
X-Factor # 02
Mística # 01
:: Fase 4:
X-Men # 18
Mística # 02




 
[ topo ]
 
Todos os nomes, conceitos e personagens são © e ® de seus proprietários. Todo o resto é propriedade hyperfan.